Free Software Foundation — trabalhando juntos por software livre

Wait! One more step. — Free Software Foundation — working together for free software.

Stand up for your freedom to install free software! Fique na sua liberdade de instalar software livre

Read the truth behind so-called “Secure Boot” and sign the statement. Leia a verdade sobre a Inicialização segura (boot seguro) e assine menção.

Wait! One more step.

 

Espere! Somente mais um passo

por (by) Josh Gay – Tradução Tarcisio Praciano-Pereira

In order to finish signing our statement please remember to follow the link sent to you in a confirmation email that should arrive shortly. And, while you wait for the confirmation email…

Para finalizar a sua assinatura na menção, por favor, siga o link que lhe foi enviado no e-mail de confirmação que logo lhe vai chegar. Enquanto espera…

Help us spread the word and share this statement with others.

Ajude-nos a espalhar a informação – distribua esta menção com outros.

Support this campaign and the rest of the FSF’s work by joining as a member or making a donation today.

Apoie esta campanha e o resto do trabalho da FSF se tornando um membro ou fazendo uma doação.

Keep up on other free software issues by:

Fique de olho com respeito a outros assuntos sobre programas livres.

 

O mito da Liberdade Americana – Iraq War vet critically wounded by police, Occupy crackdown

O mito da liberdade americana – um veterano da guerra no Iraque é ferido pela polícia americana em dos movimentos de  ocupação.

 

Iraq War veteran critically wounded by Oakland police during Occupy crackdownscott olsen

Please donate to Scott Olsen’s medical fund: Click here

Oakland CA (October 26, 2011) – Scott Olsen, a Marine veteran who did two tours in Iraq, was hit by a police projectile during last night’s brutal crackdown of Occupy Oakland (photos right).  He is in serious but stable condition at an Oakland hospital. Friends have reported that Scott has a “skull fracture and swelling of the brain.”

Scott is 24 years old, and was with 3rd Battalion, 4th Marines, before leaving the military last year. He is a member of Iraq Veterans Against the War, Veterans for Peace, and a Courage to Resist supporter.

It’s ironic that days after Obama’s announcement of the end of the Iraq War, Scott faced a veritable war zone in the streets of Oakland last night.  He and other protesters were surrounded by explosions and smoke (tear gas) going off around him as people nearby carried him injured while yelling for a medic.

Tell Oakland Mayor to end the brutality and investigate this incident:


Bradley Manning Support Network in solidarity with Occupy Movement

bradley manningOctober 12, 2011. The Bradley Manning Support Network stands in solidarity with the Occupy Wall Street movement that has spread to hundreds of cities and town squares across America. We share a common commitment to exposing the corruption of corporate power upon our democratic system.

Read more…

IdeaStorm | Pre-install gNewSense on laptops and desktops

IdeaStorm | Pre-install gNewSense on laptops and desktops.

 

 

Seria possível tem um computador de mesa ou notebook com software inteiramente livre?

Isto parece ser verdade e a DELL teria uma proposta
neste sentido. Eu traduzi o artigo abaixo, mas ele é de 2007, portanto não sei se esta opção ainda existe.
Mas é uma opção tentadora partindo de uma compania
que produz hardware.

Pre-install gNewSense on laptops and desktops

By libervisco, Feb 21, 2007 – tradução Tarcisio Praciano-Pereira

gNewSense, from http://gnewsense.org/ , is a pure 100% Free Software Ubuntu based GNU/Linux distribution sponsored by the Free Software Foundation, an organization which started the Free Software movement from which the latter Open Source Initiative sprung up. It is the organization behind the GNU General Public License.

gNewSense, de http://gnewsense.org/ , é uma distribuição de
sistema operacional
contendo exclusivamente 100% software livre, baseado em Ubuntu
comm apoio da Free Software Foundation, uma organização
que iniciou o movimento pelo software livre de onde partiu a
Open Source Initiative. É a organização que se encontra por
trás da GNU General Public License.

gNewSense é muito especial no sentido de que
não contém nenhum código submetido licenças proprietárias e ainda
assim é baste possível de ser utilizado pelo usuário médio
de um computador. Isto significa que é se garante que todo
software no sistema gNewSense é completemente legal.

(vou tentar terminar esta tradução, mas não garanto! mas este
começo lhe mostra se é do seu interesse, então você pode continuar
a tradução usando uma máquina on-line de tradução, por exemplo
http://www.woxikon.se/ para não citar o gigante.)

The idea is to offer a line of laptops and desktop PCs whose
hardware perfectly fits what this GNU/Linux distribution supports (and it doesn’t support only a few hardware devices, notably some wifi chips and some Nvidia and ATI cards). It should be quite possible to build a system that doesn’t contain any such unsupported parts.

The benefits of doing this is offering a choice for those who wish to have a completely legally free operating system working out of the box on Dell computers. There is a great number of people within the Free Software community who would appreciate having such a choice and would buy it for themselves and recommend it to their relatives and friends.

It would also certainly attract attention of the Free Software Foundation which would publicly commend Dell for offering this choice, which is very good for bettering Dell’s reputation within the whole of Free Software and Open Source movements.

If Dell decides to do this, they should brand these boxes by the correct terminology, calling the operating system they are offering as “GNU/Linux” because the GNU Project, sponsored by the Free Software Foundation, started what we today know as GNU/Linux, a popular free operating system that rivals Microsoft Windows. Many of the core and essential components of the OS come from the GNU project.

Apoie a redução do salário dos políticos Brasileiros | causes.com

Apoie a redução do salário dos políticos Brasileiros | causes.com.

 

K0m

Apoie a redução do salário dos políticos Brasileiros

Nossa missão é buscar uma redução no salário dos políticos Brasileiros, trazendo-o assim a um valor médio comparável ao de outros políticos pelo mundo afora. See More

Members

51,188

Join Cause

Bulletins

  • O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse ao iG que mereceria ganhar um pouco mais que os R$ 26,723 mil que recebe mensalmente. E não só ele, mas todos os servidores públicos. (http://bit.ly/pgkOm7)

    Vale lembrar que cada um dos 11 ministros do STF pode gastar 614 reais por dia em viagens… Read More

    Invite Friends

    Posted 1 day ago · See Post on Facebook

  • “O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Gabriel Wedy, questionou o argumento de alguns setores do governo de que o reajuste da classe promoverá um impacto orçamentário negativo para o País. “Onde está esse impacto quando R$ 40 bilhões vazam pelo ralo podre da corrupção?”, protestou.”… Read More

    Invite Friends

    Posted 1 day ago · See Post on Facebook

  • Os deputados estaduais do Pa­­raná criaram um mecanismo para poder faltar às sessões plenárias sem ter o salário descontado. Devido a um acordo entre os líderes de bancadas, cada parlamentar tem direito a uma falta por mês sem sequer precisar apresentar justificativa. Só a partir da se­­gunda falta do… Read More


Sylvia Rodrigues Almeida 12 minutes ago

Porque se não posso ir no Congresso e fazer algo de forma concreta por enquanto, prefiro ao menos me juntar a um coro que se manifeste contra os mandos, desmando e injustiças realizadas em nosso sistema político, a união faz a força, e o país tem que mostrar que está descontente com todo esse contexto absurdo.


Carol Kaphan Zullo about 1 hour ago

É importante que a gente seja mais realista na política.

Arnaldo Oka about 1 hour ago

Se pelo menos esse pessoal trabalhasse…

Claudia Picone Villas Bôas about 1 hour ago

fazer melhor uso do recurso…

Marco Antonio Villas Bôas about 1 hour ago

Moralização na política passa aqui.

Cláudia Teixeira about 2 hours ago

Vamos encarar a realidade e começar um movimento SEM ELEIÇÃO, se não houver mudanças.

Carolina Bottura José about 2 hours ago

Esses salários não condizem com a realidade brasileira. Chega a soar como piada, face aos salários pagos a professores, médicos, dentistas, policiais – profissionais valorizados em qualquer país onde a civilização bateu à porta. Sinto-me envergonhada de viver no Brasil em momentos como este.

Denise Campello about 3 hours ago

Salário de acordo com a realidade do país.

Adriano Dos Reis Godoi about 3 hours ago

Unidos venceremos!!! Não podemos ficar só reclamando que esta ruim, que o país não vai para frente do jeito que esta…é fácil ficar reclamando e não tomar nenhuma atitude, então esta causa é uma forma de demonstrar que nenhum brasileiro esta satisfeito com a atual situação do brasileiro, muitos passndo fome enquant os políticos que deveriam zelar pelo povo não o fazem e recebem um absurdo fora as regalias para não fazer quase nada!! Adriano dos Reis Godoi

Genilson Maciejewshy Rocha about 3 hours ago

Talvez até pudessem merecer os seus salários exorbitantes, se todos os brasileiros também pudessem receber salários dignos e eles não roubassem.
Um ministro dizer que precisa de aumento é porque está sendo fechado o cerco contra a corrupção e a arrecadação deles caiu.

Rita Dos Anjos about 9 hours ago

Redução de número de deputados e senadores, bem como aposentadoria vitalicia. Está na hora de darmos um BASTA nesta vergonha nacional…..

César Augusto Ferreira about 10 hours ago

Acredito que os políticos devem exercer sua função por vocação e não por dinheiro.

Stella Medina about 11 hours ago

NÓS somos os agentes dessa mudança. Eles deviam ser nossos funcionários eficientes e são TUDO MENOS ISSO!
C H E G A !!!!

Paulo Sant Anna about 11 hours ago

Vamos acabar com essa rede clientelar no país, os políticos são a vergonha nacional. – José Humberto Rodrigues

Kamilla Ficher Esquerdo about 12 hours ago

Vamos AGIIIIIIIIIR

João David Gomes about 12 hours ago

Gente, se vcs acham que o que acontece na esfera politica do nosso pais é uma tremenda falta de vergonha, vamos nos unir e ver se juntos conseguimos faver a diferença, por menor que seja!

José Humberto Rodrigues about 12 hours ago

Vamos acabar com essa rede clientelar no país, os políticos são a vergonha nacional.

Marilia Carolina Bittencourt Mercer about 12 hours ago

Apoie a redução do salário dos políticos brasileiros!

Makoto Takahashi Junior about 13 hours ago

Os políticos são representantes do povo, mas atuam em casa própria, aumentando seus próprios salários. Eles são a vergonha de nosso BRASIL, os sucessivos escândalos envolvendo políticos que roubam o dinheiro do povo, desviando da saúde, educação, segurança pública e por aí a fora. Temos que banir essa “corja” da vida política. Todos pela “Lei da Ficha Limpa” nas próximas eleições !!! Abaixo os políticos corruptos e o fim da impunidade, o mal maior de todos os males !!! Ela corroe a nossa sociedade, pois tudo acaba em pizza nesse BRASIL de hoje. Chega !!!! Vamos dar um basta nisso. Precisamos nos unir. Repasse essa idéia a todos os seus amigos. Vamos formar uma “corrente do bem”. Apóie essa causa, por um BRASIL melhor.

Álvaro Maia about 13 hours ago

Porque é uma vergonha nacional – A maioria dos políticos brasileiros, o são apenas pelo dinheiro e pelas “vantagens”. Não são realmente representantes do povo

Giuseppe Maria Vozza about 13 hours ago

E alem disso tudo ROBAM horrores!

Sonia De Deus Vieira about 13 hours ago

Porque é uma vergonha nacional – A maioria dos políticos brasileiros, o são apenas pelo dinheiro e pelas “vantagens”. Não são realmente representantes do povo- Sonia Maria de Deus Vieira

Marta Octavini Lima about 13 hours ago

Política deve ser por amor, não por dinheiro. Políticos devem receber o básico para viver com dignidade e nada mais que isso…

Rosana Vieira Chaves about 13 hours ago

exatamente, os políticos são nossos empregados, e não nós os empregados dos políticos!

Rosana Vieira Chaves about 14 hours ago

isso é um desrespeito aos trabalhadores!… se eles merecem, quanto mereceria os outros trabalhadores q sustentam as engrenagens do mundo a cada dia?

Se o “windows” presta, para que impedir que o usuário decida?


From: Marcelo Nunes
To: Tarcisio Praciano-Pereira

A BIOS alterada para permitir rodar apenas um sistema operacional

Jé te contei a última traquinagem do Bill? A Microsoft anunciou que só vai
fornecer as próximas versões do Windows para fabricantes de hardware que
utilizarem uma nova BIOS que aplica certas restrições ao processo de boot.
Eles alegam que é para a “segurança do usuário” (Será que alguém acredita
nesta lorota?), mas na prática pode significar até mesmo que os computadores
comecem a sair da fábrica programados para só rodar Windows!

Eles disseram que na prática não vai ser bem assim. Cinicamente, anunciaram
que se 99% dos PC’s que saem de fábrica já com sistema operacional
instalado, é o Windows que eles trazem, então eles não teriam motivo
comercial para investir em uma tecnologia para “combater” aquele 1% de
usuários “aborrecidos” que não usam Windows. Mas a gente bem sabe que na
prática, se eles tiverem como colocar uma trava “anti-Linux” nos
computadores, eles o farão.

O que é certo é que, numa versão anterior do Windows, eles já haviam
implementado algumas alterações que impediam aquele tipo de instalação “dual
boot”, onde você tem tanto o Linux quanto o Windows instalado na mesma
máquina e no boot você escolhe qual sistema quer usar. Este bloqueio
funcionou por algum tempo, até que o pessoa do Linux descobrir como quebrar
este recurso e hoje já dá pra fazer isto de novo. Mas se eles implementarem
este bloqueio na BIOS, aí vai ficar mais difícil fazer o “dual boot”. Mas
isto até que é uma boa, porque assim, quem for usar Linux se obriga a
abandonar de vez a carroça do tio Bill.

A Free Software Foundation já lançou uma campanha para fazer com que a
opinião pública se manifeste contrária.

http://www.fsf.org/campaigns/secure-boot-vs-restricted-boot/statement

Acontece que, depois daquela última declaração infeliz do Richard Stallman
sobre o falecimento do cara da Apple, parece que agora quem bate em morto
são eles. Por exemplo, olha o título de uma coluna publicada hoje em um
site
especializado em notícias sobre informática:

Why do Linux fanatics want to make Windows 8 less secure?
(O link para o artigo é:
http://www.zdnet.com/blog/bott/why-do-linux-fanatics-want-to-make-windows-8=
-less-secure/4100?tag=3Dnl.e539
mas não perca seu tempo lendo essa bobagem!)

Ou seja, de “Linux users”, agora somos pejorativamente taxados de “Linux
fanatics”. Se este artigo fosse publicado à duas semanas atrás, este autor
seria apedrejado, agora toda a manada de
mulas acha que ele tem razão.

E daí dá pra gente tirar mais uma demonstração de como foi infeliz a
declaração do Stallman: enquanto a Microsoft, que é uma empresa de SOFTWARE,
está querendo que as empresas de hardware restrinjam os equipamento para só
rodar o produto deles, os computadores da Apple vem com um recurso que
facilita a resolução de conflitos de inicialização caso você queira instalar
o Linux em paralelo com o sistema operacional deles.

Não quero absolver a Apple, mas não dé pra colocar as duas empresas no mesmo
saco.

Marcelo

PS – Dual boot é um recurso que atualmente a BIOS possue permitindo a passagem do controle inicial do computador a um programa que faz a seleção de como fazer o boot.

Novo navio do Greenpeace ao mar

Novo navio do Greenpeace ao mar

 

18 de Outubro de 2011
Guerreiro ao mar
Foi lançado ao mar neste último dia 14, nosso novo navio de protesto pacífico e ativismo. O navio Rainbow Warrior III, que foi projetado sob medida para o Greenpeace e reforça o nosso trabalho em defesa do meio ambiente. O novo guerreiro leva o selo de sustentabilidade. Em lugar de combustíveis fósseis, seu principal motor será a força dos ventos. Assim como seus antecessores, o novo Guerreiro do Arco-Íris servirá de plataforma de campanhas, estudos, e levará o Greenpeace a testemunhar e agir nas fronteiras de destruição ambiental. Saiba mais

Veja o vídeo do navioque iniciará sua empreitada com uma turnê pela costa européia. Em seguida, ele fará a primeira travessia no oceano para começar a campanha nas Américas. O Greenpeace agradece o apoio de seus colaboradores em todo mundo, que com suas doações permitiram a construção do navio. Sem a sua ajuda, nada disso seria possível.

Para mais informações e um tour virtual no novo Rainbow Warrior, acesse: http://anewwarrior.greenpeace.org/

Não perca a oportunidade! Ocupe tudo, peça e lute por tudo!

Seize the time!  Occupy everything, demand and fight for everything!

Declaração do Movimento Bail Out People em apoio de estudantes e ativistas em Denver Colorado, que estão embarcando em uma ocupação do maior campus da  universidade no estado.

O movimento (BOOM) Bail Out the People Movement, como muitos outros, está inspirado pelo movimento tremendo que foi desencadeada em todo o país. O movimento de ocupação tem capturado a imaginação de muitos  que vêm sofrendo pelas condições de um sistema que está em uma crise profunda e intratável. BOPM saúda as realizações do Movimento Ocupação da Wall Street. Este movimento não deve e não pode ser interrompido.

Claro, o Movimento Ocupação da Wall Street não é perfeito, nenhum movimento o é. Claramente, esse movimento não será capaz de realizar seu pleno potencial revolucionário, a menos que os ativistas mais pensativos e sérios nas suas fileiras lutem para superar as barreiras todas e quaisquer movimentos para a união com as comunidades de cor, e aqueles que por causa de religião, raça, de gênero ou classe suportam o peso da desigualdade e da opressão. Ativistas em comunidades de cor e outros assumiram a tarefa de consciência em desenvolvimento e utilizando o espaço aberto para ajudar a trazer tal união completa.
Nós estamos lutando  junto com todas as pessoas e dizendo: continuar em frente. Aproveite o tempo! Ocupem demandem tudo, e lutem por tudo!
Como o tempo se tornando inclemente  esperamos que o movimento não diminua e continua a crescer, por isso nós saudamos os ativistas de  Denver, Colorado, que estão embarcando em uma ocupação do maior campus da universidade no estado. Como os estudantes e ativistas lá, apelamos a todos os estudantes a aproveitarem ocuparem suas faculdades e universidades contra os cortes, aumentos  nas taxas de matrícula e na exigência de mais oportunidades educacionais para os povos oprimidos de cor e mais oportunidades para aprender a história de suas diferentes culturas. Apelamos aos trabalhadores que enfrentam demissões e fechamento de fábricas para aproveitarem e ocuparem seus lugares de trabalho, famílias que enfrentam execuções hipotecárias e os despejos, para apreender suas casas e apartamentos.

Declaração emitida por estudantes e ativistas de  Denver, Colorado:

Ocupemos o Campus / descolonizemos nossas mentes
Os campi universitários em todo o país são um microcosmo dos problemas financeiros que as nossas comunidades estão enfrentando. Os estudantes estão lutando com elevados níveis de dívida, as empresas tornaram-se uma prioridade maior do que os estudantes nos campi, aos trabalhadores universitários lhes é negado o direito de se organizarem para exigirem melhores condições de trabalho e a educação que recebemos só serve nos enquadrar no paradigma dominante, que suporta um sistema econômico repleto de exploração.
Como estudantes, nós carregamos conosco o peso histórico de ser uma voz radical e muitas vezes o fator decisivo que tem pressionado os movimentos para irem além das reformas menores e avançar para uma mudança fundamental na estrutura da sociedade dominante. Portanto, estamos chamando para uma ocupação do Campus Auraria que será o pontapé inicial em um movimento nacional para ocupar campus universitários. Uma rede de campi em todo o país está preparada para se solidarizar com o nosso apelo à acção.
Apresentamos essas demandas básicas como um documento vivo e como fundamento que pode ser modificada através de práticas democráticas iniciadas durante esta ocupação.
1.      Depois de três anos consecutivos de ver as taxas do ensino crescerem e os diversos programas serem cortados, nos sentimos que os mais pobres estão sendo expulsos do processo educativo  alargando assim  o fosso entre uma população de elite que tem acesso às alavancas dos poderes e o resto da população. Para resolver esta injustiça e desigualdade, nós pedimos o congelamento das taxas por quatro anos para todas as instituições estatais de maneiras que  esta classe que entrou possa  ter a oportunidade de pós-graduação com o mesmo nível de  taxas em que eles entraram no sistema de ensino superior. Nós não queremos que os nossos cursos façam parte de um programa de austeridade para resolver os problemas que foram criados pela ganância corporativa.
2.     Nesta situação económica em que nos encontramos, estamos em solidariedade com a classe trabalhadora, pois eles são parte da nossa comunidade do campus. Exigimos a suspensão das práticas trabalhistas injustas em relação ao pessoal campus e exigimos que eles sejam autorizados a participar de um  processo de negociação coletiva com o sistema universitário para que eles possam ter uma voz nas práticas do trabalho que afetam diretamente suas vidas e de suas famílias .
3.      Ao examinar os paradigmas dominantes no currículo educacional, a universidade continua a produzir  membros para a comunidade que só tem as ferramentas necessárias para continuar as atuais estruturas de governo, que levaram este país para a crise econômica dentro da qual nos encontramos. Exigimos que uma alternativa para os paradigmas sejam incluídos no sistema educacional. Uma maneira como  isso pode ocorrer é através de ofertas de cursos que tenham como foco as formas de vida dos povos Indígenas e que sejam fornecidas  as ferramentas necessárias para os alunos trabalharem com esta  mudança de paradigma de que falamos.
4.   Para apoiar o ponto 3, os alunos indígenas estão conscientes de que existem programas de certificação e as opções de grau para estudos Latinos, Africano-Americano, e Estudos Asiáticos, mas em sua terra natal tradicional aqui no Colorado, eles são incapazes de ter um programa abrangente para estudos indígenas. Isso precisa ser imediatamente corrigido.
5.      Todo o financiamento corporativo, nesta Universidade, deve ter o consentimento prévio e informado do corpo discente antes de serem autorizados a entrar em parcerias com o sistema educacional da Universidade.
6.      Os alunos devem ser incentivados a concluir seus cursos, a fim de ganhar o seu grau. Quaisquer ações que estimulem os estudantes a abandonar os  programas iniciados não deve ser permitida nos campi. Isso inclui os recrutadores militares que encorajam os estudantes a se alistar no serviço e colocar as suas aspirações educacionais para o futuro.
7.      As guerras atuais de ocupação colonial levadas a efeito pelo governo dos Estados Unidos, em nossos nomes, têm drenado os recursos deste país e tiveram um impacto direto sobre a estrutura financeira necessária para alcançar uma educação adequada, neste país. Exigimos o fim imediato dessas guerras para aliviar essas pressões. Pedimos ao governo para financiar livros, não bombas.
8.      A demografia desta e de muitas universidades em todo o país não espelham as comunidades onde elas  estão localizadas. Exigimos mais ênfase a ser colocada em programas para recrutar e apoiar os estudantes das minorias  no sistema universitário.
9.Exigimos que as universidades utilizem os seus poderes de compra para reduzir o custo de materiais educativos, tornando-os acessíveis a todos os estudantes.
10.  Nós acreditamos no respeito a dignidade humana de todos os membros da nossa comunidade. Exigimos que todos os residentes locais sem documentos  sejam autorizadas a pagar a taxa de matrícula para cursar a faculdade.
11.  Presidente Obama clamou pelo perdão da dívida para o governo egípcio e para o governo líbio para o seu compromisso de entrar no mundo democrático. Nós alunos, com este movimento ocupação, somos um exemplo de democracia participativa na ação e, portanto, invocamos o Presidente a fornecer perdão da dívida para todos os alunos atualmente matriculados no sistema universitário.

Bail Out the People Movement
c/o Solidarity Center
55 W 17th St #5C
212-633-6646
bailoutpeople.org

Occupy the Board Room

Occupy the Board Room.

 

The 1% have addresses. The 99% have messages.

Life sure is tough for those at the top and it must get awful lonely. So we thought to ourselves… what could we do so they don’t feel so alone? So they know there’s somebody out there thinking of them. And then it struck us. Maybe they could use some pen pals. Well, today is their lucky day!

Find a Pen Pal

Here are your possible pen pals!

  • Show All
  • Goldman Sachs
  • Morgan Stanley
  • Citigroup
  • Bank of America
  • JPMorgan Chase
  • Wells Fargo

Nós estamos numa boa com políticos e banqueiros!

Wall Street Sit-In Goes Global Saturday By Alastair MacDonald.

Protesto contra a Wall Street se globaliza neste sábado

Por Alastair MacDonald – tradução Tarcisio Praciano-Pereira

1

4 de Outubr0, 2011

http://www.reuters.com/article/2011/10/14/wallstreet-global-idUSL5E7LD3VU20111014

http://www.countercurrents.org/macdonald141011.htm

For an October revolution, dress warm.
Para uma revolução de Outubro, se vista para o frio.

That’s the word going out – politely – on the Web to rally
street protests on Saturday around the globe from New Zealand
to Alaska via London, Frankfurt, Washington and, of course,
New York, where the past month’s Occupy Wall Street movement
has inspired a worldwide yell of anger at banks and financiers.

É assim, numa atitude educada, que se faz o chamamento na web
para que se proteste, neste sábado, no mundo inteiro,
da Nova Zelândia ao Alaska, passando por Londres, Frankfurt,
Washington, e, como é se esperar, por Nova Iorque onde a
o movimento Ocupação da Wall Street. inspirou a raiva contra
os bancos e os financistas.

How many will show up, let alone stay to camp out to disrupt
city centres for days, or months, to come, is anyone’s guess.
The hundreds at Manhattan’s Zuccotti Park were calling for
back-up on Friday, fearing imminent eviction. Rome expects
tens of thousands at a national protest of more traditional
stamp.

Quantos irão aparecer, e quantos vão ficar para acampar
e perturbar os centros das cidades por dias, ou meses, vindouros,
ninguém sabe! As centenas de manifestantes de
Zuccotti Manhattan Park estavam chamando sangue novo
na sexta-feira, temendo despejo iminente. Roma espera dezenas
de milhares de pessoas em um protesto nacional com uma
característica tradicional.

Few other police forces expect more than a few thousand to turn
out on the day for what is billed as an exercise in social
media-spread, Arab Spring-inspired, grassroots democracy with
an emphasis on peaceful, homespun debate, as seen among
Madrid’s “indignados” in June or at the current Wall Street
park sit-in.

Algumas forças policiais esperam que mais do que alguns milhares
apareçam para transformar-se num dia, que é anunciado como
um exercício que a mídia social anunciou como -Primavera Árabe
de inspiração para uma democracia de base, com ênfase no debate,
pacífico, como pôde ser visto entre os “de Madrid indignados ”
em junho ou no atual acampamento no parque de Nova Iorque,
Ocupar Wall Street.

Blogs and Facebook pages devoted to “October 15” – #O15 on Twitter – abound with exhortations to keep the peace, bring an open mind, a sleeping bag, food and warm clothing; in Britain, “Occupy London Stock Exchange” is at pains to stress it does not plan to actually, well, occupy the stock exchange.

Blogs e páginas de Facebook dedicados ao “15 de outubro” –
# O15 on Twitter – largamente exortam sobre para manter a paz,
trazer uma mente aberta, um saco de dormir, alimentos e
agasalhos; na Grã-Bretanha, “Ocupar London Stock Exchange”
se esforça ao estresse em clamar que não pretende, na verdade,
exatamente, ocupar a bolsa de valores.

That may turn off those with a taste for the kind of anarchic
violence seen in London in August, at anti-capitalism protests
of the past decade and at some rallies against spending cuts
in Europe this year. But, as Karlin Younger of consultancy
Control Risks said: “When there’s a protest by an organisation
that’s very grassroots, you can’t be sure who will show up.”

Esta exortação pode reduzir o interesse daqueles com um gosto
para o tipo de violência anárquica visto em Londres, em agosto,
em protestos anti-capitalismo da última década e em alguns
comícios contra cortes de gastos na Europa este ano. Mas, como
Karlin Younger de consultoria Control Risks disse: “Quando há
um protesto por uma organização que é muito popular, você não
pode ter certeza quem é que vai aparecer.”

Concrete demands are few from those who proclaim “We are the
99 percent
“, other than a general sense that the other
1 percent – the “greedy and corrupt” rich, and especially banks –
should pay more, and that elected governments are not listening.

Demandas concretas são poucos daqueles que se proclamam como
sendo “Nós somos os 99 por cento“, além de um sentimento
geral de que o 1 por cento, outros, – os “gananciosos e
corruptos” ricos, e especialmente bancos – devem pagar mais,
e que os governos eleitos não estão escutando esta demanda.

“It’s time for us to unite; it’s time for them to listen;
people of the world, rise up!” proclaims the Web site United
for #GlobalChange. “We are not goods in the hands of politicians
and bankers who do not represent us … We will peacefully
demonstrate, talk and organise until we make it happen.”

“Está na hora de nos unirmos, é está na hora que eles para
nos ouçam, as pessoas do mundo inteiro, levantem-se!” proclama
o Web site do United for # GlobalChange. “Nós não somos
mercadoria nas mãos de políticos e banqueiros que não nos
representam … Vamos demonstrar pacificamente, falar e
organizar até que isso aconteça.”

By doing so peacefully, many hope for a wider political
impact, by amplifying the chord their ideas strike with
millions of voters in wealthy countries who feel ever more
squeezed by the global financial crisis while the rich seem
to get richer.

Ao fazê-lo assim, pacificamente, se torna a esperança de muitos,
para conseguir um maior
impacto político, ampliando o echo de suas idéias acordem
os milhões de eleitores nos países ricos que se sentem cada vez
mais espremidos pela crise financeira global, enquanto que os
ricos ficam mais ricos.

“ENOUGH IS ENOUGH – Chega e já basta!”

“We have people from all walks of life joining us every day,
“said Spyro, one of those behind a Facebook page in London which
has grown to have some 12,000 followers in a few weeks, enthused
by Occupy Wall Street. Some 5,000 have posted that they will
turn out, though even some activists expect fewer will.

“Temos pessoas de todas as esferas da vida que estão vindo
se juntar a nós todos
os dias”, disse Spyro, um daqueles por trás de uma página
do Facebook em Londres, que tem crescido a ponto de ter
cerca de 12.000
seguidores em poucas semanas, entusiasmados com o movimento
Ocupar Wall Street. Cerca de 5.000 postaram que vão sair,
embora mesmo
alguns ativistas esperam menos vontade a ser realizada.

Spyro, a 28-year-old graduate who has a well-paid job and did not want his family name published, summed up the main target of the global protests as “the financial system”.

Spyro, é um graduado de 28 anos de idade, que tem um emprego
bem remunerado e não queria que o seu nome de família fosse
publicado, resumiu o principal alvo dos protestos globais
como sendo “o sistema financeiro“.

Angry at taxpayer bailouts of banks since crisis hit in 2008 and at big bonuses still paid to some who work in them while unemployment blights the lives of many young Britons, he said: “People all over the world, we are saying ‘Enough is enough’.”

Com raiva das ações para salvamentos dos bancos
desde a crise de 2008 e dos grandes bônus pagos,
ainda assim, a alguns que trabalham neles,
enquanto que o desemprego
se alastra e estraga a vida de muitos jovens britânicos,
ele disse: “Pessoas de todo o mundo, estamos dizendo:
” Basta! ‘”.

What the remedy would be, Spyro said, was not for him to say but should emerge from public debate – a common theme for those camping out off Wall Street since mid-September, who have stirred up U.S. political debate and, a Reuters poll found , won sympathy from over a third of Americans.

O remédio, Spyro disse, não era ele a dizer, mas deve emergir
do debate público – um tema comum para os acampados fora
de Wall Street desde meados de setembro, que despertou
o debate político nos EUA e que uma pesquisa da Reuters
encontrou que a já ganhou a simpatia de mais de um terço dos
norte-americanos.

A suggestions log posted at 15october.net (“This space is ready for YOUR idea for the revolution”) range from a mass cutting up of credit cards (“hit the banks where it counts”) to “use technology to make education free”.

Num espaço para sugestões que criado no 15october.net
com os dizeres: (“Este espaço está à disposição para suas idéias
para a revolução
“) as idéias variam desde “um
corte em massa de cartões
de crédito
(“a ferir os bancos que é isto que conta“)
a “usar a tecnologia para tornar o ensino livre” .

For all such utopianism, the possibility that peaceful mass action, helped by new technologies, can bring real change has been reinforced by the success of Arab uprisings this year.

Toda esta utopia, como tal, cria a possibilidade de que a
ação da massa, pacíficamente, ajudada por novas tecnologias,
possa trazer uma mudança real foi reforçado pelo sucesso das
revoltas árabes este ano.

“I’ve been waiting for this protest for a long time, since 2008,” said Daniel Schreiber, 28, an editor in Berlin. “I was always wondering why people aren’t outraged and why nothing has happened and finally, three years later, it’s happening.”

“Eu estive esperando por este protesto por muito tempo,
desde 2008”, disse Daniel Schreiber, 28, um editor de Berlim.
“Eu estava sempre me perguntando por que as pessoas não estão
indignadas e por que nada acontece e, finalmente, três anos
mais tarde, está finalmente acontecendo.”

Quite what is happening, though, is hard to say. The biggest turnouts are expected where local conditions are most acute.

Exatamente o que está acontecendo, porém, é difícil dizer!
A maior reação é esperada quando as condições locais forem
mais acentuadas.

Italian police are preparing for tens of thousands to march in Rome against austerity measures planned by the beleaguered government of Prime Minister Silvio Berlusconi.

A polícia italiana está se preparando para dezenas de milhares
de pessoas marcham em Roma contra medidas de austeridade
planejadas pelo governo entocado
do primeiro-ministro Silvio
Berlusconi.

Yet in crisis-ravaged Athens, where big protests have seen violence at times of late, a sense of fatigue and futility may limit numbers on Saturday. In Madrid, where thousands of young “indignados”, or “angry ones”, camped out for weeks, many also feel the movement has run out of steam since the summer.
Na Atenas em crise, devastada por grandes protestos
que viram a violência, por vezes, talvez esteja cedo,
devido a uma sensação de fadiga e futilidade, e pode limitar
o número de pessoas a protestar no sábado.
Em Madrid, onde milhares de jovens “indignados”, ou
“os irritados”, acampados por semanas, muitos também sentir
que o movimento perdeu o vapor no verão.

Germans, where sympathy for southern Europe’s debt troubles is patchy, the financial centre of Frankfurt, and the European Central Bank in particular, is expected to be a focus of marches calling by the Spanish-inspired Real Democracy Now movement.

Alemães, para quem a simpatia pelos problemas do sul da Europa
é variado, o centro financeiro de Frankfurt, e o Banco
Central Europeu, em particular, é esperado ser um foco de
marchas chamando pela Democracia inspirado no movimento
espanhol o Democracia Real Ahora.

Complicating German sentiments, however, a series of small bombs found on trains has stirred memories of the left-wing guerrilla attacks that grew in the 1970s from frustration at a lack of change after the student protests of 1968.

Para complicar os sentimentos dos alemães, houve, uma série de
pequenas bombas encontradas em trens o que provocou as
lembranças dos ataques guerrilheiros de esquerda que floresceram
na década de 1970 da frustração com a falta de mudança após
os protestos estudantis de 1968.

A cidade de Londres

British student protests a year ago were marked by some acts of violence by what authorities say were hard-core anarchists. Days of looting in London in August were put down to motives that mingled political discontent with criminal opportunism.

Protestos estudantis britânicos, há um ano, foram marcados
por alguns atos de violência por que as autoridades dizem
que foram produzidos por anarquistas pesados. Dias de saques
em Londres em agosto foram justificados com motivos que iam
do descontentamento político com o oportunismo criminoso.

As an international centre of finance, the City of London is key target. But organisers know strong police powers make setting up a Wall Street-style protest camp there far from easy.

Como um centro internacional de finanças, a cidade de Londres
é um alvo chave. Mas os organizadores sabem que o forte poder
da polícia por tornar difícil a criação de movimento de protesto
no estilo da Wall Street.

“There’s quite a bit of fatigue setting in,” said one young veteran of last year’s protests against higher university fees. “But if it’s still going by Monday or Tuesday, I think that will excite students and they will head down. The City is much more the focus of people’s anger now, compared to a year ago.”

“Há um pouco de fadiga há ser considerada”, disse um jovem
veterano de protestos do ano passado contra a taxas elevadas
da universidade. “Mas se os protestos prosseguirem
até segunda-feira ou terça-feira, eu acho que vão criar
animar nos alunos e eles entrar de cabeça. A cidade é muito
mais o foco da raiva das pessoas agora, em comparação com um
ano atrás.”

Nova Zelândia

A long Saturday of rallies may start in New Zealand, where the Occupy Auckland Facebook page provides links recommending “suitable clothing … a sleeping bag, a tent, food” — but, in a family-friendly spirit, strictly no drugs or alcohol.

Um sábado com muita manifestação pode começar na Nova Zelândia,
onde a página a ocupar Auckland no Facebook fornece
links recomendando “vestuário, … um saco de dormir,
uma barraca, comida” – mas, dentro de um espírito familiar,
rigorosamente nenhuma droga ou de álcool
.

No Brasil e na Ásia

Asian authorities and businesses exploring people in these
parts of the world, may have less to fear, since most of their economies are still growing strongly
, but for how long?. Look to Greece, Portugal, and Japan (well
for just another reason…)

Autoridades asiáticas e brasileiras e as empresas que exploram
a população nestas partes do mundo, podem ter menos a temer,
já que a maioria de suas economias ainda estão crescendo
fortemente. Mas por quanto tempo? Olhem para a Grêcia, Portugal
e Japão (claro por uma razão um pouco diferente…)

Tracking across the time zones, through towns large and small (“Occupy Norwich!” reads a website from the picturesque English city), the New York example has also prompted calls for similar occupations in dozens of U.S. cities from Saturday.

Rastreando através dos fusos horários, em busca de cidades
grandes e pequenas (“Ocupar Norwich!”, Diz um site de uma cidade
pitoresca inglesa), chamando a seguir o exemplo de Nova York
que também motivou pedidos para ocupações semelhantes em
dezenas de cidades dos EUA a partir de sábado.

In Houston, protesters plan to tap into anger at big oil companies. As the world’s day ends, hardy souls will be marching in Fairbanks. “We will be obeying traffic lights,” insist the authors of OccupyAlaska.org, and they “will be dressed warm”.

Em Houston, os manifestantes planejam investir na raiva
contra as grandes companhias de petróleo. No final do dia
as almas corajosas estarão marchando em Fairbanks.
“Nós estaremos obedecendo semáforos”, insistem as autoras
do OccupyAlaska.org, e
“estaremos vestidas com roupas quentes”.

History suggests such actions are unlikely, of themselves, to change the world. As one anonymous poster at 15october.net writes, “Fleshing out ideas into living reality has always been the bugbear of radical politics”. And while anger at corporate greed is widespread, there are plenty of voters who would agree with the Australian who posted on the OccupySydney site that those marching will be “the lazy, the paranoid, the confused”.

A história sugere que tais ações têm pouca probabilidade,
por si próprias, para mudar o mundo. Como um cartaz anónimo
em 15october.net escreve: “Concretizar idéias em fatos
reais sempre foi o bicho-papão da política radical”.
E enquanto a raiva com a ganância corporativa se generaliza,
há uma abundância de eleitores que concordaria com o
australiano que postou no site OccupySydney que aqueles
protestam são “os preguiçosos, os paranóicos, os confusos”.

Financeiras

But some analysts do see a potential for political change.

Mas alguns analistas vêem um potencial de mudança política.

Jeff Madrick, a prominent economics writer, speaks warmly of the serious and reasonable debate he found at Zuccotti Park. Revolutions may be rare, but the protests could push lawmakers to act on some of the demands, he said last week: “It may begin to change public opinion enough to give Congress, people in Washington, the courage of their own convictions.”

Jeff Madrick, um escritor de destaque da economia, fala
calorosamente da discussão séria e razoável que encontrou
no Zuccotti Park. Revoluções podem ser raras, mas os protestos
poderão levar os legisladores a agir baseados algumas das
exigências,
ele disse na semana passada: “Pode começar a mudar a opinião
pública o suficiente para forçar o Congresso a produzir algumas
mudançasas a partir do que as pessoas estão reclamando.
Pode dar coragem ao pessoal, em Washington,
para agir em cima de suas próprias convicções.”

Reclaim Democracy for the People! | freespeechforpeople.org

Reclaim Democracy for the People! | freespeechforpeople.org.

 

HELP the CAMPAIGN

Reclaim Democracy for the People!

The Problem

On January 21, 2010, the U.S. Supreme Court ruled that corporations are entitled to spend unlimited funds in our elections.

The Constitution was never intended to protect corporations.

This cannot stand. Free speech and other constitutional rights are for people, not corporations. We must act now.

The Solution

To restore the Constitution and democracy, we need to enact a constitutional amendment that puts people ahead of corporations. Learn More » Sign the Resolution » Take Action »

Read the People’s Rights Amendment

nationwide survey results are in

…and Americans support reform!

Our professional poll of over 500 people clearly shows that voters lack confidence in corporations and want to limit what they can spend on elections.

Download the PDF

State Resolutions

Resolutions in support of amending the Constitution have been introduced in several states.

We’re On:

Twitter Facebook

The Plan

We seek to restore the Constitution to its original purpose: to protect the free speech and other constitutional rights of people. We’ll achieve this by:

  1. Raising public awareness of corporate misuse of the Constitution
  2. Mobilizing grassroots support for reclaiming our democracy
  3. Creating a legal environment where courts return to the Constitution’s intended purpose
  4. Amending the Constitution to make clear that free speech rights and other constitutional rights are for people.

Get Involved

There are many ways you can help restore the First Amendment.

Watch “Making a Movement”
See how Jessica Sharp of Maryland took it upon herself to organize a rally.

Check Out Our Toolkit
We’ve put together a collection of ideas, tools and resources to help you organize locally.

Other Ways to Get Involved »

The Lowdown

Watch Congresswoman Donna Edwards discuss her new Amendment to overturn the Citizens United ruling and restore the people’s power to limit corporate spending on elections.