A evidência de que agentes provocadores da polícia brasileira jogaram coquetel molotov

Published on Wednesday, July 24, 2013 by Common Dreams

http://www.commondreams.org/headline/2013/07/24-4

Evidence Mounts Agent Provocateurs Used by Brazilian Police

Manifestantes  dizem que que o coquetel molotov foi lançado por um policial infiltrado para justificar a repressão violenta

por Sarah Lazare, staff writer

Tradução: Tarcisio Praciano-Pereira

A polícia infiltou  agentes provocadores  no meio da multidão de manifestantes no Rio de Janeiro segunda-feira, o primeiro dia da visita do Papa ao Brasil, é o que demonstra  uma longa trilha de  vídeo com apoio de  depoimentos de testemunhas.

Um dos dois infiltrados-suspeitos capturados no  filme pode ter jogado o coquetel Molotov, que foi usado como pretexto para a polícia usar canhões

Uma cena do vídeo gravado na segunda-feira à noite, no Rio de Janeiro mostrou um homem suspeito de ser um policial à paisana carregando uma mochila grande. (Foto: New York Times)

Uma cena do vídeo gravado na segunda-feira à noite, no Rio de Janeiro mostrou um homem suspeito de ser um policial à paisana carregando uma mochila grande. (Foto: New York Times)

de água, gás lacrimogêneo, balas de borracha e objetos contundentes contra centenas de manifestantes e jornalistas.

A Polícia Militar divulgou um vídeo logo após a repressão policial, que supostamente mostraria que a repressão foi uma resposta direta à violência dos manifestantes. No entanto, o vídeo foi misteriosamente removido quando surgiram evidências de fotos e vídeos,  que sugere que a pessoa retratada jogando o coquetel Molotov, e seu companheiro,  eram policiais.

O blog Lede do New York Times compila provas extensivas de vídeo  de jornalistas e manifestantes que sugere a presença de pelo menos dois policiais infiltrados.

Um clipe, gravado por uma testemunha, mostra que  “os dois homens foram brevemente interpelados por um policial uniformizado que parecia considerá-los manifestantes quando um  deles tirou alguma forma de identificação dizendo:  É a polícia, cara. ” Os relatório do Lede e o  filme podem ser vistos aqui.

Uma cena do vídeo gravado na segunda-feira à noite, no Rio de Janeiro mostrou um homem suspeito de ser um policial à paisana carregando uma mochila grande. (Foto: New York Times)

Enquanto o Lede diz que há “poucas dúvidas” sobre  a prova do vídeo que mostra pelo menos dois polícias infiltrados, ele afirma que há evidências insuficientes para provar que o cocktail Molotov foi atirado por um deles. No entanto, ativistas brasileiros compilaram evidências mostrando que o atirador do coquetel molotov era um agente provocador, incluindo um vídeo com anotações por um blogueiro brasileiro.

Polícia parecia ter como alvo jornalistas e cinegrafistas que estivessem registrando os acontecimentos de segunda-feira, atancando na  cabeça  um fotógrafo da AFP e prendendo pelo menos dois jornalistas membros do coletivo de imprensa  Midia Ninja.

Em uma declaração on-line, um dos jornalistas do coletivo Ninja Midia que foi preso, disse que os manifestantes se reuniram do lado de fora da delegacia de polícia para apoiar aqueles presos no interior, e a efusão de solidariedade o deixou “com a confiança de que amanhã será melhor.”

Os manifestantes protestavam contra os 53000 mil dólares alocados para  financiar  visita do Papa num momento em que os serviços públicos estão sendo destruídos e o desemprego e a pobreza que assolando o país. (Nota do Tradutor: ué, se o papa quer passear no Brasil, porque ele não paga a conta do seu turimo?)

Mobilizações de massa em todo o Brasil foram  desencadeadas por um aumento nas tarifas de transporte públicos em  Março, das tarifas as manifestações de derivaram para o desvio de recursos públicos para espetáculos de massa, como jogos de futebol e visitas do Papa, ao invés de terem por objetivo os serviços vitais serviços de interesse da população. Mas a resposta governamental  foi a violência policial e como resposta os manifestantes publicaram intensamente as imagens de ataques com gás contra manifestantes desarmados.

A tática de enviar agentes provocadores da polícia para se infiltrarem entre manifestntes e comunidades, para depois justificar a repressão e a violência,  é empregada pelos departamentos de polícia em todo o mundo, e é muito usada nos Estados Unidos da America do Norte.

Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 License

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.