commute riders on the storm

Eu sei o que é isto, quando vivi na Suécia, pedalei de inverno a inverno durante seis anos, mas eu tinha uma bicicleta especial, de dois lugares, uma bicleta dupla que suas três marchas terminava ficando leve e fácil de conduzir, mas ao mesmo tempo pesada se colando bem ao solo se mantinha estável no mau tempo. O terrível eram os autoahólicos que sempre davam a impressão de que o ciclista é que era o problema.

na bicicleta

Quando a pior das tempestades atinge a zona onde vivemos, enfrentamos sérios desafios para manter o nosso dia-a-dia o mais normal possível. Neste Inverno, temos sido postos à prova com ventos fortes e chuvas intensas. Acontece que muitas pessoas, residentes em outras paragens, sempre que saem de casa de bicicleta vivem cada Inverno como um desafio pessoal. As condições, tanto as climáticas como as de percurso, são das mais difíceis e que eu jamais experimentei a pedalar. A neve e o gelo, o frio glaciar e ruas escorregadias, outras inundadas como se fossem rios, ventos ciclónicos que tornam difícil manter a bicicleta na posição vertical, são condições extremas que facilmente os faria mudar de modo de transporte ou, simplesmente, jogarem a toalha ficando em casa. Ao longo destes dias fui encontrando imagens de renitentes ciclistas que por esse mundo fora pedalam no meio da tempestade com determinação e sorrisos. Aqui…

Ver o post original 26 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s