Trabalho escravo é a pretensão do Sr. Cid Gomes para as professoras

Greve nas Universidades Estaduais do Ceará e o pouco caso do Sr. Cid Gomes

A  UeVA está em greve, manifesto através da paralisação total de aulas.  Informamos  que  ele  foi  fundamental  para  que  o  governador  nos  recebesse e encaminhasse  algumas  de  nossas  reivindicações:  a  regulamentação  da  categoria  de  professor associado, a contratação dos aprovados em concurso cuja validade se extinguiria em outubro.

No  entanto,  é  imprescindível mantermo-nos  unidos  e  combativos ! A  principal  reivindicação  da greve não foi atendida: REALIZAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO! Sem esta, corremos um sério risco de  se inviabilizar o  funcionamento de diversos cursos e, talvez no longo prazo, a continuidade da existência  desta IES.

Relembrando a forma pelo menos pouco educada de como o Sr. Cid Gomes, por sinal filho dum professor, tratou os professores com um bilhete, ou melhor, rabiscando num pedaço de papel uma exigência para começar a conversar.

 

O bode na sala

O bode na sala

Neste papel rabiscado, o Sr. Cid Gomes exige aquilo que ele entende como a caracterização do nosso trabalho, simplificadamente, 52% em sala de aula. Para começar ignora o Sr. Cid Gomes a legislação que estabelece que no Ensino Superior o trabalho docente se ramifique por três atividades: Ensino, Pesquisa e Extensão.

Depois ao Sr. Cid Gomes lhe falha de forma elementar a artimética: 52% + 52% = 104%

No Ensino as professoras e professores tem um contacto mais amiude com as alunas e alunos o que inclui a ação direta em sala de aula mas também compreende o trabalho de orientação de trabalhos especializados, orientação de bolsistas de Iniciação Científica ou de outros tipos de programas, por exemplo de extensão. Também está na lei que o tempo em sala de aula corresponde igual tempo para a preparação das aulas, somente este detalhe mostra como é grotesco o papelucho rabiscado pelo Sr. Cid Gomes: 52% + 52% = 104% ou talvez ele tenha se esquecido da artimética.

Na Pesquisa as professores e professores recompõem seus conhecimentos e os mantém e dia o que do contrário inviabilizaria o desenvolvimento de alunas e alunos é a forma como a Universidade progride para atender à Sociedade. Com os 104% do Sr. Cid Gomes as professoras e professores terão que deixar de fazer pesquisa ou teriam que fazê-la em lugar do seu descanço semanal. Talvez seja esta a ideia por trás da cabeça do Sr. Cid Gomes, colocar-nos a trabalhar para além do nosso contrato de trabalho o que se transformaria em trabalho escravo que é outra ilegalidade.

Na Extensão as professoras e professores oferecem serviços à Sociedade ao mesmo tempo que adquirem detalhes de como devem corrigir seus métodos, pelo contacto com a Sociedade, para construirem uma ciência que tenha impacto social. Com os 104% do Sr. Cid Gomes as professoras e professores terão que deixar de fazer extensçao  ou teriam que fazê-la em lugar do seu descanço semanal.  Parece que o Sr. Cid Gomes pretende transformar-nos em escravos no trabalho.

Com os 52% rabiscado no pedaço de papel que sem a menor cerimônio o Sir Cid Gomes passou para as professores e professores o nosso regime escravo de trabalho se caracterizaria por:

• 20,8 ou quase 21 horas semanais em sala de aula;

• Sabendo que 1 disciplina de 60 horas equivale a 3,34 horas semanais, dividindo 20,8 por
3,34 = 6,22 disciplinas, ou seja, mais de 6 disciplinas de 60 horas.

• Restarão apenas 19,2 horas semanais para dedicar às demais atividades do magistério
superior, que são:  planejamento das aulas; elaboração de atividades e provas para os alunos; correção de atividades e provas; orientação de trabalho de conclusão de curso, de monitores, de alunos de iniciação científica e de iniciação à docência; elaboração e execução de projetos de pesquisa e extensão.

• Em suma, teremos que renunciar nossa vida pessoal para continuarmos com atividades de orientação, pesquisa e extensão ou deixar a universidade parar e transformar-se numa
“escola de má qualidade”.  Caracterizando também uma situação de trabalho escravo.

É este senhor que foi mencionado como possibilidade para Ministério da Educação! Imaginem!

Também  este mesmo senhor que anda conversando nos seus círculos de amizade e dizendo que tem a ambição de ser presidente da República, imaginem!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s