Desta vez tem que ser pra valer

Dia 29 de Novembro, vamos dizer aos governos do mundo, que participam da COP21, que queremos energias limpas e renováveis já!

 

Bicicleta

O lugar do fossil é no subsolo!

Continuar extraindo petróleo apenas aumenta a adição ao uso dos combustíveis fósseis.

Do ponto de vista de saúde pessoal, voltar-se para o uso da bicicleta como sistema de transporte urbano é um ganho imenso – abre as possibilidades de saúde pessoal.

Do ponto de vista social, o uso da bicicleta nos enquadra entre aqueles que desejam um meio ambiente limpo e uma forma de vida humana, o contrário, manter-se prisioneiro do automóvel, separa as pessoas mantendo o “motorista de carro” que não é exatamente um ser humano! O motorista de carro se incomoda quando vê faixas de pedrestres e por outro lado as faixas de pedestres são uma restrição ao ser humano – uma pequena faixa na rua onde o ser humano pode passar e, ainda assim, quando abrir o sinal. Isto para que um “ser invasivo”, o automóvel, possa se locomover livremente no restante do espaço, fora das faixas de pedestre… e poluindo!

Do ponto de vista estética, vem a beleza do ciclismo – nós ciclistas flutuamos levemente nas ruas, sem sujar, sem ruído, de leve oferecendo pouco risco para outros, mesmo quando um monte de ciclistas se embaralha numa corrida, ninguém morre!

Um outro mundo é possível

 

Os furos imensos da “segurança” governamental

http://www.truth-out.org/news/item/33750-the-post-paris-war-on-encryption-is-an-opportunistic-attack-on-our-civil-liberties

Agora os governos, em particular o de Paris, tenta restringir as liberdades e apontar os direitos universais dos indivíduos como justificativas para o assassino havido no dia 13 de Novembro.

Aqui você encontra mais detalhes mas a verdades são claras:

  1. Pelo menos um dos atacantes usou mensagens comuns, sem encriptação
  2. Pelo menos um dos atacantes usou cartão de crédito para registrar-se num hotel.
  3. Os dois exemplos acima mostram que houve ações típicas de indivíduos comuns sem sofisticação e que não foram detectadas, ou foram igonoradas pelo chamado “sistema de segurança”.
  4. Vários, com aparentemente apenas uma exceção, todos os atacantes eram fichados pela polícia francesa com antecendentes graves bem antes do atentado e estavam se movimentando livremente.
  5. Um dos “cerébros” do atentado publicou um entrevista na revista Dabiq em Fevereiro e depois entrou e saiu da Europa sem restrições.

For example: We know that at least some of the attackers used standard (unencrypted) SMS messaging on their mobile phones. We know at least one used his own credit card to book a hotel around the time of the attack, which hardly speaks to a great degree of technological sophistication. And we know that several of the eight were known to US and French authorities before the attack. Some of them lived in the same neighborhood. The planner published an interview in ISIS magazine Dabiq in February – after leaving and before returning again to Europe – that included his picture and talked about evading Belgian and French authorities. It’s not as if the ISIS attackers were invisible save for very strong math.

E agora querem restringir as liberdes públicas quando os “serviços de segurança” foram falhos, irresponsáveis, incopetentes ou possivelemente, o que é muito mais grave, sabendo de tudo, cooperaram por inercia e a razão pode ser o incremento, agora justificado, de guerra na Síria – uma repetição do que ocorreu em outros momentos na história, em particular a queda da torres gêmeas em Novar Iorque com a perda da vida de 3 mil pessoas para justificar a guerra no Iraque.

 

 

 

um mundo pacífico onde guerras e militarismo não possam ter lugar

Print

http://worldbeyondwar.org/flyers/?can_id=dbdcd1a7f107a3b6c69c50304a20224c&source=email-were-thankful-to-you&email_referrer=were-thankful-to-you&email_subject=were-thankful-to-you&link_id=1

Eu não tenho dúvidas de que guerras e militarismo nos deixam mais fracos e sensíveis do que nos dêm alguma proteção. Guerras maram, injuriam, traumatizam adultos, crianças de forma absolutamente generalizada. As guerras são tremendas nocivas para o meio ambiente, induzem uma imensa erosão nas liberdades civis e representam gastos públicos transferidos para o bolso de uma indústria terrivelmente danosa, a indústria de armas e guerras. A quantidade imensa de recursos públicos dirigida para alimentar esta indústria de guerra e armas que é inclusive retroalimentada por esta mesma indústria com corrupção de parlamentares, retira dinheiro de programas sociais importantes e destroi a longo prazo a própria economia dos paises influência danosamente as polícias locais transformando-as em braços da indústria dentro das partes mais vulneráveis das sociedades identificando-as como criminosas e aplicando diretamente a pena de morte sem julgamentos. Declaro-me decidido a participar de qualquer movimento não violento para criar um mundo pacífico onde guerras e militarismo não possam ter lugar.

Ganhar dinheiro, simplesmente, não é uma coisa decente!

Dinheiro não é produto, é uma convenção e foi uma invenção importante para a sociedade moderna que evoluiu das trocas de mercadoria para o uso de uma convenção estabelecendo valores entre produtos.

Dinheiro é apenas uma convenção e poristo já começa a ser anti-ético a existência de bancos privados, ou seja as chamadas “instituições financeiras” que fazem dinheiro, como dinheiro, com uma convenção, e finalmente nada produzem, portanto são apenas parasitas da sociedade.

No capitalismo a regra é fazer dinheiro com dinheiro sem preocupação com as consequências disto para a Sociedade, e ai vem o caso de Mariana em que as “empresas” tentam lavar as mãos dizendo que tudo foi obra do acaso, do destino, afinal eles apenas estavam fazendo dinheiro, que a população e a Sociedade que se lixem, ou vão para o lixo mesmo.

Greenpeace protesta diante da BHP Billiton na Austrália e pede justiça às vítimas do desastre em Mariana

http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/Greenpeace-protesta-diante-da-BHP-Billiton-na-Australia-e-pede-justica-as-vitimas-do-desastre-em-Mariana/?utm_campaign=RR+-+Trag%C3%A9dia+Mariana&utm_source=hs_email&utm_medium=email&utm_content=23973239&_hsenc=p2ANqtz–q3olrjCtq4DT9d4ET3KwxzluSouBybB6Aqh3W2fUy2BtDKWHivbrYuzdrYHrNdPIkXyIUM8pWZoMAVh2nyiK2WxMpJg&_hsmi=23973239

Vou apenas lhes dizer como caem as civilizações

I am not going to repeat what you have already read or heard. I am not going to say that what happened in Paris on Friday night was unprecedented horror, for it was not. I am not going to say that the world stands with France, for it is a hollow phrase. Nor am I going to applaud Francois Hollande’s pledge of “pitiless” vengeance, for I do not believe it. I am, instead, going to tell you that this is exactly how civilisations fall. – See more at:  http://historynewsnetwork.org/article/161215
Eu não vou repetir o que você já ouviu.
Eu não vou dizer que a sexta-feira em paris foi um horror sem precedentes, porque de fato não foi!
Eu não vou dizer que o mundo apoia a França porque isto é apenas uma frase de efeito.
Eu não vou aplaudir Hollande esbravejando uma vingança sem piedade porque eu não acredito nela.
Em vez disso eu vou lhe dizer como se derrocam as civilizações.

Eisenhower was right: the military-industrial complex is “the tail that wags the dog” of American politics.

Leia a análise completa aqui:

http://historynewsnetwork.org/article/161249

Eu não divido o ponto de vista do autor mas a análise é também a minha: ISIS pode ter provocado Paris para entrar na dança…e Hollande foi dançar.

If a usurious bank belonging to the Crusaders is struck in Turkey, all of the banks belonging to the Crusaders will have to be secured in all of the countries and the draining [that is, the costs of security] will increase.

If an oil interest is hit near the port of Aden, there will have to be intensive security measures put in place for all of the oil companies, and their tankers, and the oil pipelines in order to protect them and draining will increase. If two of the apostate authors are killed in a simultaneous operation in two different countries, they will have to secure thousands of writers in other Islamic countries.

In this way, there is a diversification and widening of the circle of targets and vexation strikes which are accomplished by small, separate groups. Moreover, repeatedly (striking) the same kind of target two or three times will make it clear to them that this kind (of target) will continue to be vulnerable.

– See more at: http://historynewsnetwork.org/article/161249#sthash.RX0p2PR7.dpuf

 

 

 

10 Rasões pelas quais a violência em Paris pode ter vindo de dentro do governo

10 Rasões pelas quais a violência em Paris possa ter vindo de dentro do governo
By Binu Mathew
16 November, 2015
Countercurrents.org

Foi terrível o ato de terror em Paris, matando 129 pessoas, horrífico, bárbaro, nojento. Temos que condenar o incidente e exigir uma investigação cuidadosa indo até os responsáveis com uma punição exemplar para prevenir tai ações no futuro.

Antes mesmo que começassem as investigações, de fato uma hora depois de realizada a violência, o presidente da França, Hollande, já atribuiu o ataque ao ISIS e logo em seguida o ISIS anunciou assumindo a autoria. Pode ser verdade, mas é preciso observar que qualquer pode anunciar ser o ISIS fazendo a declaração de autoria. Também outra possibilidade é que o ISIS assuma falsamente o atentado para ganhar pontos junto com seus simpatizantes alimentando seu recrutamento mundo afora. Assim é que não se pode aceitar como de valor uma auto confissão de autoria por parte do ISIS.

Tem outra forma de olhar o ato sanguinário de Paris que também conduz à ideia de que tenha sido uma operação dúbia e tais operações são eventos que se multiplicaram ao longo da história como o incêndio do Reischtag de 27 de fevereiro de 1933, atribuído aos comunistas e que posteriormente se verificou ser obra do serviço secreto alemão. O incêndio foi usado para abrir o caminho para os nazistas com a acusação de que os comunistas planejavam derrubar o governo alemão. Depois ficou famosa a declaração de Hitler "terrorismo é a melhor arma política porque nada melhor para estimular a população do que o medo de morrer violentamente." (nota do tradutor: e a queda das torres do Word Trade Center também pode ter sido obra da administração Bush, coordenada pela C.I.A. para justificar e incentivar a aceitação da invasão do Iraque e clima de terror governamental que se sucedeu).

10 razões que sugerem que a violência em Paris pode ter sido de fundo falso.
  1. O ataque foi levado a efeito por 8 terroristas, 7 morreram nas operações ficando vivo Salah Abdesslam. Um ataque com alta coordenação, com uso de explosivos e armas sofisticados, precisam de uma coordenação internacional eficaz. Impossível que tenha acontecido passando desapercebido pelas 16 agências de espionagem americanas o que inclui a NSA que escuta mesmo a espionagem francesa ou toda a europeia.  Salah Abdesslam foi detido na fronteira da França com a Bélgica varias horas depois do assalto e inexplicavelmente ficou livre.
    
  2. Omar Ismael Mostefai era de Paris, estava em listas de investigação associadas ao terrorismo há anos, mas não tanto a ponto de poder executar esta abominável ação. Estava num Cartão-S desde 2010, ou Ficha-S, que é classificação francesa para os indivíduos que representem risco para a segurança nacional exigindo que sejam monitorados ao detalhe. Não dá para acreditar como alguém com este registro pode perpetrar a ação à deriva das agências de segurança francesa.  (nota do tradutor: ou a consequência imediata teria que ser, fechamento das agências de segurança por serem simplesmente ineficazes, responsabilização criminosa em mais alto grau dos seus agentes como diretamente envolvidos no atentado).
    
  3. Um passaporte sírio foi encontrado ao lado dum suicida-bomba, dito ser de Ahmad Almohammad, cujo corpo ficou em pedacinhos com exceção do passaporte. É conhecida esta história de ficaram intatos os pais de identificação dos terroristas sempre identificando uma ação de fundo dúbio.
    
  4. Paul Craig Roberts, ex-secretário assistente do Ministério da Fazenda americano durante a época de Regan e ex-diretor associado do Wall Street Journal  disse ter recebido "um relatório vindo da segurança europeia a respeito dum ataque massivo nos sistemas franceses com 48 horas de antecedência aos ataques de Paris." Entre outras acontecimentos derrubou parte da rede comunicações francesa deixando cega a polícia. O ataque não foi nenhuma brincadeira do tipo DDOS para derrubar redes, pelo contrário foi um ataque sofisticado e voltado para falhas na infraestrutura. Um tal ataque está bem acima da capacidade da maioria das organizações e não parece ser possível ao ISIS ter as condições para isto. Um ataque desta escala é difícil de ser conduzido sem o apoio das autoridades que no mínimo podem ter deixado acontecer. A coordenação sugere envolvimento do Estado.
    
  5. O ataque chegou no momento certo da crise de refugiados, aliás provocada pelos próprios países da Europa em sua ação de rapina sobre sobre a Líbia, Iraque, Síria todo o Oriente Médio e África. Não pode ser uma coincidência que o passaporte dum refugiado sírio tenha sido encontrado entre os terroristas. Logo a seguir ao atentado a fronteira da França foi fechada assim como a dos vários estados europeus. A crise de refugiados encontrou uma solução.
    
  6. Uma hora depois do atentado o presidente da França, Hollande, creditou o atentado ao ISIS, mesmo antes que o grupo assumisse a responsabilidade. Como ficou ele sabendo que o ISIS era o responsável sem ter informação antecipada? E então, porque não sustou o ataque?
    
  7. Como Bush no caso do ataque 9/11 em sua infame afirmação de que "havia uma guerra aos Estados Unidos da América" logo a seguir do atendo à torres, assim também também Hollande declarou que "se tratava dum ato de guerra". A palavra "guerra" tem um impacto imenso e nós sabemos de suas consequência após 9/11. Já vimos esta historia e logo o New York Times trouxe-nos a notícia de que na noite de domingo a França havia jogado bombas na cidade de Raqqa na mais agressiva das ações contra o Estado Islâmico que ele acusou pela morte de 129 pessoas na sequência de atentados em Paris dias antes.
    
  8. O ataque veio no momento em que a Rússia estava se inserindo na Síria fazendo ataques coordenados com o governo sírio. O governo de Assad está se saindo vitorioso em Aleppo com o apoio russo. A aliança Russia-Hezbollah-Iran virou as cartas da aliança americana na Síria.
    
  9. O ataque veio no momento em que Obama anunciou que irá colocar botas no chão da Síria e precisamente antes da reunião dos 'grandes' do dia 14 de novembro em Viena sobre a Síria assim como o G20 vai virar um conselho sobre o terrorismo.
  10. E por fim, quem ganhou com o crime?  como foi no caso de 9/11 agora uma coalizão da OTAN liderada pelos EEUU está com as condições para um assalto aberto na Síria para descartar a coalizão da Rússia com Assad, de outro lado os refugiados correndo para Europa agora vão ser tratados a ferro e fogo por uma Europa unida, leis como draconiano  Patriot Act podem ser implementadas Europa afora. O complexo militar-industrial-petrolífero está salivando como um cão raivoso simplesmente ao se lembrar do que ganharam com os contratos militares do Iraque, Líbia, Afeganistão.  Marine Le Pen na Europa e  Bernie Sanders  nos EEUU podem ser derrubados.
Quem perdeu?  Nós o povo! Os refugiados vão ser severamente afetados. Mais leis que nos limitem a liberdade poderão ser passadas. Mais espionagem sobre a população civil em sobre os seus pensamentos serão ativadas. Veremos mais guerras, pagas com dinheiro do contribuinte derramando bilhões nos cofres do complexo militar-industrial-petrolífero e o mundo certamente será um lugar ainda mais desagradável para vivermos.



Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015, 01:30, de noite, covardemente

Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015, fábrica de Cimento Votorantim de Sobral volta a atacar

Tarcisio Praciano Pereira

No dia Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015, 01:30, de noite, covardemente, jã com a cidade coberta com a manto escuro da noite e quando os habitantes já se encontravam dormindo, a Fábrica de cimento da Votorantim, em Sobral voltou a atacar os pulmões dos habitantes da cidade de Sobral jogando espessa fumaça negra, em quantidade muito grande que o vento ajudava a espalhar sobre parte da cidade.

Como sempre as autoridades municipais assim como as autoridades estaduais do meio ambiente tem conhecimento claro deste atentado à saúde da população. É preciso não se esquecer dito nas próximas eleições municipais. Nós elegemos os administradores com a esperança de que eles estejam do nosso lado em defesa da nossa saúde e do nosso bem estar o que esta longe de acontecer no tocante à Fábrica de cimento da Votorantim em Sobral.

Repetindo:

  1. Quando: Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015.
  2. Em que hora: 01:30 quando fiz a observação e não sei por quanto tempo durou o ataque.
  3. Onde: em Sobral na zona norte do Estado do Ceará
  4. Quem: quem nos ataca é a Fábrica de cimentos da Votorantim em Sobral
  5. O que? Uma fumaça espessa, em grande quantidade jogada pela chaminé se espalhando sobre a cidade no final da tarde.
  6. Quem permite: o governo municipal de Sobral, e a secretaria de meio ambiente do Estado do Ceará

Os riscos da poluição

Uxbridge, Canada – A poluição, e não as doenças endêmicas comuns, é o maior fator de mortandade no mundo. A poluição já é responsável pela morte de 8.4 milhões de pessoas cada ano, é o que mostra uma nova análise. Desta forma a poluição mata três vezes mais do a malária e 14 vezes mais do do HIV/AID. Apesar disto a poluição recebe uma fração despresível do interesse geral da comunidade global.

http://truth-out.org/news/item/24363-in-developing-world-pollution-kills-more-than-disease

Quem nos ataca: A fábrica de Cimento, Cimento Votorantim Sobral é quem ataca a nossa saúde.

Cúmplices: autoridades municipais, autoridades estaduais do meio ambiente, não esquecer disto nas eleições,

Domingo, 15 de Novembro de 2015, fábrica de Cimento Votorantim de Sobral volta a atacar

Domingo, 15 de Novembro de 2015, fábrica de Cimento Votorantim de Sobral volta a atacar

Tarcisio Praciano Pereira

No dia Domingo, 15 de Novembro de 2015, 22:30, de noite, covardemente, jã com a cidade coberta com a manto escuro da noite e quando os habitantes já se encontravam dormindo, a Fábrica de cimento da Votorantim, em Sobral voltou a atacar os pulmões dos habitantes da cidade de Sobral jogando espessa fumaça negra, em quantidade muito grande que o vento ajudava a espalhar sobre parte da cidade.

Como sempre as autoridades municipais assim como as autoridades estaduais do meio ambiente tem conhecimento claro deste atentado à saúde da população. É preciso não se esquecer dito nas próximas eleições municipais. Nós elegemos os administradores com a esperança de que eles estejam do nosso lado em defesa da nossa saúde e do nosso bem estar o que esta longe de acontecer no tocante à Fábrica de cimento da Votorantim em Sobral.

Repetindo:

  1. Quando: Domingo, 15 de Novembro de 2015.
  2. Em que hora: 22:30 quando fiz a observação e não sei por quanto tempo durou o ataque.
  3. Onde: em Sobral na zona norte do Estado do Ceará
  4. Quem: quem nos ataca é a Fábrica de cimentos da Votorantim em Sobral
  5. O que? Uma fumaça espessa, em grande quantidade jogada pela chaminé se espalhando sobre a cidade no final da tarde.
  6. Quem permite: o governo municipal de Sobral, e a secretaria de meio ambiente do Estado do Ceará

Os riscos da poluição

Uxbridge, Canada – A poluição, e não as doenças endêmicas comuns, é o maior fator de mortandade no mundo. A poluição já é responsável pela morte de 8.4 milhões de pessoas cada ano, é o que mostra uma nova análise. Desta forma a poluição mata três vezes mais do a malária e 14 vezes mais do do HIV/AID. Apesar disto a poluição recebe uma fração despresível do interesse geral da comunidade global.

http://truth-out.org/news/item/24363-in-developing-world-pollution-kills-more-than-disease

Quem nos ataca: A fábrica de Cimento, Cimento Votorantim Sobral é quem ataca a nossa saúde.

Cúmplices: autoridades municipais, autoridades estaduais do meio ambiente, não esquecer disto nas eleições,