Onibus elétricos no norte da Suécia

Não dá para rodar caminhões pesados com baterias e a saída eletrificar as estradas

Pode-se chegar a metade do atual uso de energia.

Eletrificar as estradas custa cerca de 10 milhẽos de reais (20 milhões de coroas suecas) por quilômetro mas há ume esperança de reduzir pela metade o uso da energia.

Att elektrifiera en väg antas kosta omkring 20 miljoner kronor per kilometer, men beräknas också kunna halvera energiförbrukningen.

É uma soma apreciável. O resultado se torna melhor se houver um uso intensivo da estrada. Já pelo fato de que há uma grande economia de energia se além disto houver um tráfego intenso a estrutura se paga em cinco anos e é um tempo ótimo de amortização diz Nils-Gunnar Vågstedt.

– Det blir en ansenlig summa. Nyttan blir väldigt stor om det är många som kör på vägen. I och med att man sparar så enorma mängder energi så blir energibesparingen på en motorväg med tung trafik som är elektrifierad så pass stor att infrastrukturen är återbetald på kanske fem år. Det är otroligt snabbt för en infrastruktursatsning, säger Nils-Gunnar Vågstedt.

Outra pessoa que vê este potência é Björn Sandén, professor de inovação e sustentabilidade da Chalmers. Ele acha que a solução se aplica ao outros ramos:

– Penso que há diversos ramos da economia em que atores privados podem estar muito interessados em correm caminhões de classe e especificidade diversa. Tanto os que produzem estradas como os que produzem automotores devem querem estar junto e aprender em conjunto. A indústria das minas é um exemplo uma vez que eles fazem uso dum tipo muito específico de transporte.

En annan som ser den här potentialen är Björn Sandén, professor i innovation och hållbarhet på avdelningen för miljösystemanalys vid Chalmers. Han tror att lösningen inte minst lämpar sig för vissa nischer.

– Jag tror att det kan vara vissa sträckor där större privata aktörer kan vara väldigt intresserade där man kör väldigt mycket specifika sorters lastbilstransporter. Både de som utvecklar vägarna och de som utvecklar bilarna vill vara med och lära sig. Gruvindustrin är ett exempel eftersom man kör väldigt mycket en viss sorts transport, säger han.

Produzem ồnibus a bateria

Ainda um outra empresa no ramo é a Hybricon de Umeå. No começo a empresa focava na conversão dos ônibus-diesel para elétrico. Atualmente está produzindo um ônibus de tipo completamente novo com motor movido à bateria. O ônibus pode ser recarregado nas paradas em menos de cinco minutos e podem rodar depois por uma hora (nota do tradutor: Umeå fica dentro do círculo polar ártico o que deve produzir uma redução na capacidade de uso da bateria).  Hoje roda Hybricon como parte do transporte coletivo de Umeå.

Ytterligare ett svenskt företag i branschen är Hybricon i Umeå. Bolagets ursprungliga idé var att konvertera dieselbussar till eldrift. Nu har de i stället utvecklat en helt ny batteridriven buss för stadstrafik. Bussen kan laddas vid en hållplats på mindre än fem minuter, och kan därefter köras en timma. I dag rullar Hybricon som en del av Umeås kollektivtrafik.

-Lançamos os nosso novos ônibus de 18 metros em Umeå há alguns meses. Eles rodam entre 22 e 24 horas por dia o ano todo. Desta forma estamos tirando das ruas  200 litros de diesel, por dia e por ônibus. A nossa economia, como operadores de ônibus, fica no entorno de 200 mil reais (400 mil coroas suecas) por carro elétrico ao ano, comparado com um carro a diesel, diz Peter Norrman, chefe do setor de revendas da Hybricon.

– Vi lanserade vår nya 18-metersbuss i Umeå för några månader sedan. Den bussen går mellan 22 och 24 timmar per dygn varje dag året om. 200 liter diesel plockar vi bort från gatan, på en buss, varje dag. Där ser man att man sparar som bussoperatör runt 400 000 kronor per elbuss varje år i förhållande till en dieselbuss, säger Peter Norrman, marknads- och försäljningschef på Hybricon.

De acordo com a empresa de Umeå, os empresários podem contar com uma vida média de 12 a 15 anos por ônibus sendo que o tempo de amortização fica entre três ou quatro anos.

Enligt Umeåbolaget kan kunderna räkna med en avskrivningstid på 12 till 15 år per buss, och att investeringen är lönsam redan efter tre till fyra år.

-Não é preciso ser um ativista do meio ambiente para entender que este é o futuro, diz Peter Norrman.

– Man behöver inte vara miljöaktivist för att förstå att det här är framtiden, säger Peter Norrman.

O silêncio dos ônibus elétricos

Mas não está aí apenas no incentivo econômicos a chamativa. No meio ambiente das cidades o barulho é um problema grave e um dos argumentos dos vendedores da Hybricon se encontra o silêncio dos e-ônibus.

Med det är inte bara ekonomiska incitament som lockar. I stadsmiljö är buller ett stort problem, och ett av Hybricons försäljningsargument är också elbussarnas tysta gång.

-O maior problema das municipalidades com o trâfego não é tanto o meio ambiente, mas o ruído (Nota do tradutor, como se ruído, em si mesmo, não fosse um problema de meio ambiente. O nível de ruído tem consequências importantes para o sistema nervoso). E é coisa cara para as municipalidades eliminar o ruído. Observe-se, por exemplo, que em  Umeå se fecham algumas ruas, em determinados periódos, exatamente pelo ruído. Ou então se estabelece turnos de horas, diz Norrman.

– Det största problemet en kommun har med stadstrafik är inte miljön utan buller. Det dyraste för en kommun är att bygga bort buller. Tittar man på Umeå så stänger man av vissa gator vissa tider på dygnet på grund av bullerkrav. Man måste alltså ändra turerna efter klockan, säger Norrman.

Não faltam então incentivos.  Infelizmente alguns políticos já fizeram investimentos caríssimos em sistema de biogás o que impede outras alternativas que do ponto de vista do meio ambiente são melhores, diz Norrman.

Det saknas dock inte utmaningar. Enligt Norrman har många kommunpolitiker redan tagit investeringar i dyra biogasanläggningar, vilket förhindrar satsningar på alternativ som ur miljösynpunkt – åtminstone enligt Hybricon – är bättre.

-Difícil com decisões muito fechadas, não tem ninguém que possa garantir que “a partir da data X ninguém mais poderá dirigir na cidade com fossil”. O nosso sistema foi construído para este dispositivo!  Se fala baixinho na possibilidade de eliminar o fossil aí por 2030. Björn Sandén da Chalmers tem dúvidas a respeito e colo 2050 como um limite mais realístico.

– Det kommer inga skarpa krav. Det är ingen som törs säga ”från och med det och det datumet får inga köra stadstrafik på fossila bränslen”. Hela samhället är byggt så här. I bakgrunden hägrar regeringens visioner om en fossiloberoende fordonsflotta år 2030. Björn Sandén på Chalmers är skeptisk, och ser 2050 som en mer sannolik gräns.

-2030 está na frente somente há 15nos, os carros que estão sendo comprados hoje ainda estarão operacionais em 2030 o que torna 2030 extremamente improvável como limite. já em 2050 se poderia contar com uma frota independente do fóssil.

– Vi är ganska snart framme vid 2030. Det är bara 15 år bort. Många av de bilar man köper idag kommer fortfarande att rulla 2030. Därför är 2030 ytterst osannolikt. 2050 är en helt annan sak, då skulle fordonsflottan vara helt oberoende, säger han.

Leia mais em Nordeas Klimatfond  que investe em questões do clima (e traduza usando google…ou me peça que eu traduzo)

Läs mer om Nordeas Klimatfond som investerar i klimatfrågans lösningar.

 

Anúncios

Ciclistas em Estocolmo ganham uma autoestrada

Já existem na Alemanha e há muito tempo elas existem na Dinarmarca e na Holanda. Agora foi instalada uma em Estocolmo.

É o caminho para retirar-nos da imposição do automobilismo, a única saída para alterar a mobilidade urbana tem que passar por alterar a prioridade que hoje é feita em cima do automobilismo e em função dos interesses econômicos existente por trás do comércio de automoveis. Como um dia começamos a compreender que fumar produzia cancer agora temos que compreender que usar automotores também dá cancer assim como uma leva de outros incômodos como longas horas sentados em ruas engarrafadas quando se poderia estar fazendo ginástica enquanto também ter mobilidade urbana, mais barata, mais saudável e finalmente também mais rápida.

Ainda não começou a ligação bicicleta-metro que está dandos seus primeiros passos na Dinarmarca com alguns vagões dedicados à bicleta (e deveriam ser todos), enquanto em outros países a ideia ainda está por ser inventada.

Neste sentido não estamos atrasados no Brasil, apenas estamos no mesmo passo com alguma prefeituras começando a jogar um pouco na bicicleta e ao mesmo tempo enfrentando as críticas dos viciados em automotor.

E se Dilma?

“E SE DILMA…

E se Dilma tivesse vendido uma estatal, avaliada em mais de 100 bilhões, por 3,6 bilhões, como FHC(PSDB) fez com a Cia Vale do Rio Doce?

E se Dilma tivesse construído dois aeroportos, com dinheiro público, em fazendas da família, como fez Aécio Neves(PSDB)?

E se Dilma estivesse na lista de Furnas, junto com FHC, Geraldo Alkimin, José Serra, Aécio Neves(todos do PSDB)… Entre outros?

E se Dilma estivesse acusada de receber propinas da Petrobrás, como Aloysio Nunes(PSDB)?

E se Dilma estivesse sendo processada no STF, por ter recebido propinas da empreiteira OAS e ter achacado o Detran do seu estado, em um milhão de reais, como Agripino Maia(Dem)?

E se Dilma tivesse sido denunciada como beneficiária do contraventor Cachoeirinha, além de estar sendo processada, por exploração de trabalho escravo, em sua fazenda, como Ronaldo Caiado(Dem)?

E se Dilma estivesse sendo investigada na Operação Zelotes, por ter sonegado 1,8 milhão de reais e corrompido funcionários públicos, para que essa dívida sumisse do sistema da Receita Federal, como Nardes (Conselheiro do TCU, ligado ao PSDB)?

E se Dilma tivesse sido manchete de capa no New York Times, por suspeição de narcotráfico internacional, o que gerasse diversas reportagens na televisão norte americana, agentes do DEA, Departamento Anti Drogas, dos Estados Unidos, tivessem vindo ao Brasil, para investigá-la, e um helicóptero com quase meia tonelada de pasta de cocaína fosse apreendido em uma fazenda de amigo pessoal e sócio dela, em negócios não muito claros, como Aécio Neves(PSDB)?

E se a filha da Dilma fosse assessora do presidente da CPI da Petrobrás e lobista junto a Nardes, um conselheiro do TCU, e tivesse uma conta secreta no HSBC suíço, por onde passaram milhões de dólares, como Daniele Cunha, a filha de Eduardo Cunha(PMDB)?

E se Dilma tivesse sido presa em 2004, por fraude em licitação de grandes obras, no Amapá, e tivesse sido condenada por corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, como Flexa Ribeiro(PSDB)?
E se Dilma, quando prefeita de Salvador, tivesse sumido com 166 milhões das obras do Metrô, como Antônio Imbassay(PSDB)?

E se a filha da Dilma tivesse tido um único emprego, de assessora da mãe, e a revista Forbes a colocasse como detentora de um das maiores fortunas brasileiras, caso do Serra(PSDB) e sua filhinha?

E se Dilma tivesse 18 processos por corrupção, como José Serra(PSDB)?

E se Dilma tivesse 22 processos por corrupção, como Eduardo Cunha (PMDB)?

E se Dilma tivesse dado dois Habeas Corpus, em menos de 48 horas, a um banqueiro que lesou o sistema financeiro nacional, para que ele fugisse do país; desse um Habeas Corpus a um médico que dopava a suas clientes e as estuprava (foram 37 as acusadoras), para que ele fugisse para o Líbano; se fizesse uso sistemático de aviões do senador cassado, por corrupção, Demóstenes Torres(Dem); se tivesse votado contra a Lei da Ficha Limpa por entender que tornar inelegível um ladrão é uma “atitude nazi-fascista”(sic), tendo a família envolvida em grilagem de terras indígenas, como Gilmar Mendes (Ministro do STF)?

E se Dilma colocasse sob sigilo, por 25 anos, as contabilidades da Petrobras, Banco do Brasil e BNDES, como Geraldo Alkimin(PSDB) colocou as do Sistema Ferroviário paulista, das Sabesp e da Polícia Militar, após se iniciarem investigações da Polícia Federal, apontando desvios de muitos milhões?

E se Dilma tivesse sido governadora e, como tal, cassada, por conta de compra de votos na campanha eleitoral, corrupção e caixa dois. Como Cássio Cunha Lima(PSDB)?

E se Dilma, em sociedade com Mário Covas(PSDB) tivesse comprado uma enorme fazenda no município mineiro de Buritis, em pleno mandato, e recebesse um aeroporto de presente, construído gratuitamente, de uma empreiteira, constatando-se depois que foi essa empreiteira a que mais ganhou licitações no governo FHC(PSDB), sócio de Covas?

E se Dilma declarasse à Receita Federal e ao TRE ter um patrimônio de 1,5 milhão e a sua filha entrasse na justiça, reclamando os seus direitos sobre 16 milhões, só parte do seu patrimônio, como aconteceu com Álvaro Dias(PSDB)?

E se Dilma estivesse sendo acusada de ter recebido 250 mil de uma empreiteira, na Operação Lava Jato, como Carlos Sampaio(PSDB)?

E se Dilma tivesse comprado um apartamento no bairro mais nobre de Paris e, dividindo-se o valor do imóvel pelos seus rendimentos, se constatasse que ela teria que ter presidido este país por quase trezentos para tê-lo comprado, caso de FHC(PSDB)?

E se Dilma fosse proprietária da maior rede de televisão do país, devendo quase um bilhão de impostos e mais dois bilhões no sistema financeiro, e tivesse o compromisso de proteger corruptos e derrubar a presidente, em troca do perdão da dívida com o fisco e financiamento do BNDES, para quitar as dívidas da empresa, como no passado, caso dos irmãos Marinho, proprietários da Rede Globo de Televisão?

E se Dilma tivesse sido denunciada seis vezes, por seis delatores diferentes, na operação Lava Jato, e fossem encontradas quatro contas suas, secretas, na Suíça, alimentadas por 23 outras contas, em paraísos fiscais, e o dinheiro tivesse sido bloqueado pelo Ministério público suíço, por entendê-lo fruto de fonte escusa, e tivesse mandado toda a documentação para o Brasil, com a assinatura dela, como aconteceu com Eduardo Cunha(PMDB)?

Certamente Dilma, investigada noite e dia, em todas as instâncias, sem um indiciamento, sem sequer evidências de crimes, no dizer do promotor da Lava Jato e de um dos advogados dos réus, “uma mulher honrada”, não estaria com os citados pedindo o seu impeachment.

O seu crime? Chegou o dia de pagar os carentes do Bolsa família e o tesouro não tinha dinheiro. A Caixa Econômica Federal pagou e recebeu três dias depois. Isto é pedalada e por isso todos os citados acima a querem fora do governo.

Porque é desonesta ou porque é um risco para os desonestos?

Para apressar a tramitação dos processos em curso ou para arquivá-los.

Texto de Francisco Costa

Forçados pelas ruas governos assinaram acordo em Paris

Ontem foi um dia histórico: enquanto dezenas de milhares de pessoas enchiam as ruas de Paris, os políticos finalizaram um novo e importante acordo climático global.

O acordo em Paris inclui uma concordância em limitar o aquecimento global em menos de 2°C, com uma meta de 1,5°C, e alcançar uma “neutralidade” climática que exigirá o abandono dos combustíveis fósseis logo após a metade do século. Não é o que esperávamos, mas pelo menos é um acordo que torna necessário manter os combustíveis fósseis no subsolo. Além disso, os investidores terão que cortar seus vínculos com o carvão, petróleo e gás e desinvestir.

Esse acordo representa um progresso importante – mas, sozinho, esse progresso não é o nosso objetivo. Nosso objetivo é um planeta justo, onde seja possível viver bem.

Se seguido literalmente, esse acordo deixa uma quantidade muito grande de pessoas expostas à violência causada pelo aumento no nível dos mares, tempestades cada vez mais fortes e secas mais intensas. Ele deixa muitas lacunas abertas para evitar uma ação mais séria – apesar dos esforços heróicos de líderes de nações e comunidades vulneráveis, que lutaram por um acordo alinhado com a ciência.

Mas as empresas ligadas ao carvão, petróleo e gás não devem se sentir muito confortáveis. Esse compromisso de 2°C exige que 80% dos combustíveis fósseis remanescentes no mundo sejam mantidos no subsolo. Com uma meta de 1,5°C, esse número seria ainda maior – e os países signatários deverão retornar à mesa de discussões a cada cinco anos para estabelecer metas ainda mais ambiciosas.

Paris não é o fim dessa história – é apenas a conclusão de um capítulo em particular. Agora, cabe a nós fortalecer essas promessas, garantir que elas sejam mantidas e, então, acelerar a transição para abandonar os combustíveis fósseis e fazer a transição para 100% de energias renováveis.

Enquanto os líderes em Paris finalizavam o texto do acordo, milhares de pessoas voltaram às ruas de Paris para mostrar seu compromisso de continuar na luta: 

ParisLastDay

O último dia em Paris – manisfestantes nas ruas apesar do “estado de emergência”.   A mensagem foi inequívoca – queremos um outro mundo!

Centenas de ações solidárias em todo o mundo se uniram à luta, todas ecoando a mesma mensagem: cabe a nós manter os combustíveis fósseis no subsolo.

Todos juntos, com flores nas mãos, formamos linhas vermelhas nas ruas – porque, nessa luta, é necessário traçar linhas por justiça, e cabe a nós nos posicionarmos do lado das pessoas mais afetadas por essa crise.

Mais linhas estão sendo traçadas em todos os lugares contra o verdadeiro vilão das duas últimas semanas: a indústria dos combustíveis fósseis, que tem feito o possível para enfraquecer esse acordo tão tardio.

Sem a pressão das pessoas comuns, os líderes mundiais teriam ignorado alegremente todo esse problema. Só a pressão das pessoas preencherá essa lacuna entre o que foi assinado ontem e a ação de que precisamos.

Isso dá início ao próximo capítulo. Fique de olho neste espaço para conferir o anúncio de algo grandioso nos próximos dias!

Se você está lendo isto, significa que fez parte do trabalho que nos trouxe até aqui, e somos muito gratos por isso. 2015 foi um ano histórico para nós, pois trabalhamos juntos para construir um movimento climático mais poderoso e esperançoso.

Com gratidão e, como sempre, com esperança,

May

Unidade Central de Processamento de lixo de Sobral

Sobral Turismo
Unidade Central de Processamento de lixo
de Sobral

SobralTurismo

SobralTurismo0037

Não deixe, em visitando Sobral, na zona norte do Estado 
do Ceará, de conhecer uma experiência ímpar da 
Municipalidade na recliagem de lixo.

O prefeito de Sobral, professor Clodoveu Arruda, sério 
investigador e profundamente preocupado com os problemas 
ecológicos, produziu, com sua  equipe científica 
municipal uma leva de gatos genéticamente modificados 
com o fim especial de reclicar o lixo.

SobralTurismo0047

E o "sistema" se encontra no local mais adequado que se 
poderia encontrar na cidade de Sobral, no chamado 
“Parque da cidade” onde também corre um lindo riacho 
que representa para as sobralenses um inesperado e 
sublime ambiente para passeios em fim de tarde na 
cálida Sobral, até mesmo pelo odor ou fragância que o 
riacho exala. Agora com a experiência científica dos 
gatos transformadores de lixo, as sobralenses têm mais 
uma razão para se deliciar em seus passeios no Parque da 
 Cidade, que, como o nome bem o indica, é o local mais 
"fresco" que se pode encontrar na cidade para passeios e 
agora brindado com a especial frescura do sistema de 
processamento de lixo, possivelmente fazendo parte da
preocupação com educação ambiental que a prefeitura 
pretende dar às cidadãs e aos cidadãos de Sobral. Bem 
pensado!

Se estiver pensando num passeio ciclístico, o Parque da Cidade é o local ideal onde você pode encontrar pontes que a podem levar em sua jornada ciclista a passar sobre o igarapé que corta o Parque da Cidade, não deixando, na ocasião, de respirar profundamente para limpar os pulmões com a fragância de rosas que o rio exala. Um pequeno cuidado é necessário, uma vez que a municipalidade instalou alguns buracos nas pontes, certamente com o objetivo de preparação para olimpíadas.

SobralTurismo0039

Na foto acima uma tentativa de visão panorâmica do 
experimento municipal com a tentativa de centralisar a 
Unidade de Processamento Central do sistema que foi 
configurada para ter uma atração especial para os 
felinos que se mantêm concentrados no trabalho de 
alterar pacientemente todo o lixo que sobralenses vêm 
cuidosamente depositar dentro da UPC e, claro, sempre 
preocupados com os problemas ecológicos, igual que o 
lider municipal, tentam facilitar o trabalho dos 
bichanos distribuindo o lixo ao redor da Unidade de
 Processamento Central.