as As ideias do povo é que precisam fazer sexo!

por Luiz Flávio Gomes

É chegado o momento de as ideias do povo brasileiro fazerem sexo[1]. Durante 516 anos, mirando o poder público, só falamos do sexo dos donos do poder (classes dominantes e reinantes). Ao longo da história, quantos rios de tinta e verborragia foram gastos para falar de amantes de FHC, Lula, Collor, Ademar de Barros, Renan, D. Pedro I, D. Pedro II etc.?

Amantes FHC Renan as ideias do povo que precisam fazer sexo

FHC teria pago pensão para sua amante por meio de um contrato de trabalho falso feito por uma concessionária de lojas nos aeroportos brasileiros (Brasif). A pensão da amante de Renan foi paga pela empreiteira Mendes Júnior. Collor teria usado o poder para ter amante famosa. No último debate da campanha de 1989 não se falou de outra coisa senão da amante de Lula.

Um país exaurido, com 150 milhões de analfabetos funcionais, mergulhado em profundas crises (política, econômica e sociais), tem que progredir e varrer da vida pública todos os seus “heróis sem caráter” (mucanaímicos). A Operação Lava Jato deveria ser o ponto de partida para uma evolução comportamental.

Todo mundo sabe que a corrupção é errada[2]: O sociólogo sueco Bo Rothstein afirma que “[os delinquentes econômicos cleptocratas, leia-se] os corruptos sabem que essa prática é imoral e danosa para a sociedade. Mas isso não é suficiente para evitá-la; não basta internalizar os efeitos malignos para a sociedade de uma prática; impõe-se criar os incentivos (e obstáculos) adequados para que as pessoas não se envolvam nela”. Nossa tolerância mucanaímica é que precisa ser proscrita.

Quem, por corrupção, incompetência e pilhagens eleitorais, afunda uma das maiores empresas petrolíferas do mundo (Petrobras), esse é o caso do lulopetismo e seus comparsas, claro que deveria ser rifado do jogo político (pela via jurídica ou pelo voto).

Quem, para complementar os rendimentos de seu filho extraconjugal e de sua ex-amante no exterior, é suspeito de ter sido beneficiado por um contrato falso de uma empresa concessionária de lojas nos aeroportos (duty free – Brasif), claro que deve ser desmascarado e desacreditado (porque um falso herói).

O dono da Brasif (Jonas Barcelos), a propósito, confirmou que ajudou FHC (sem pedido dele) e mandou recursos para o exterior para Mirian Dutra, que foi amante do ex-presidente nos anos 80-90. Tudo feito por meio de um contrato fictício de trabalho (o crime de falsidade, desde logo, é inequívoco)[3]. A relação extraconjugal entre FHC e Mirian esgota a dualidade sexo e poder (sedução, desejos e gozos recíprocos). A parte do dinheiro (na trilogia) vem agora: o dono da Brasif tinha e tem excelentes conexões com as cortes (tanto de FHC como de Lula).

Em 1997, quando o governo FHC reduziu de US$ 500 para US$ 300 dólares o máximo que se podia comprar nas lojas duty free dos aeroportos, seu poder de influência falou mais alto. Prontamente a mudança foi abandonada (e voltou o valor original). Antonio Palocci, ex-ministro da fazenda no governo lulopetista, foi consultor da Brasif, que foi vendida em 2006 para a empresa suíça Dufry (e nisso teria havido “ajuda” – envolvimento – de membros do governo petista – ver Ricardo Noblat). Isso justificaria a postura amena do PT no affair FHC.

É preciso se indignar! (Stéphane Hessel)

As mentiras que todas as grandes lideranças contam (impunemente), cada uma tentando preservar hipocritamente perante seus cegos sectários uma honra impoluta de que não desfrutam (a emenda do segundo mandato de FHC foi “comprada” – ele mesmo admitiu isso à Folha), nos deixa cada vez mais contristados e abatidos, mas mesmo assim é preciso ter agudeza de espírito para examinar com imparcialidade o fluxo veloz de mentiras e decepções que nos assombram e encabulam.

O que há de pior para o predomínio da razão, no entanto, é a postura do inimigo carregado de fel e de desbriamento, porque mais facilmente tomado pela mesma cegueira dos fanáticos, ainda quando esteja diante de uma espantosa e avantajada verdade.

Já não haveria nenhuma necessidade de ficar explorando o tétrico e pútrido cenário nacional, protagonizado por barões ladrões de todas as colorações ideológicas e partidárias, desde o Brasil colônia. Mas ocorre que é preciso se indignar!

É preciso deixar palavras ressoando, ao sabor dos ventos áridos em todos os tempos tortuosos. Vale a pena sempre pesar o que realmente importa para uma vida coletiva comum. Quem vive sem nenhuma bandeira inspiradora não vive, existe!

As ideias necessitam acasalamento

Nas outras espécies animais o nascimento, crescimento, amadurecimento e a morte atendem a programas da natureza. O humano é distinto, porque ele pode progredir em cada etapa da vida (infância, adolescência, idade adulta, idade madura), levando em conta suas experiências pretéritas (Adam Ferguson).

Uma flecha e um computador com inteligência artificial retratam níveis de conhecimentos muito diferentes. Já progredimos bastante (mas precisamos de mais conhecimento). A natureza humana não muda em algumas coisas: busca por comida, por prazer sexual, cuidado com os filhos, concorrência por status, ânimo lucrativo (ganância), evitar dor, medo de altura, medo de insetos e de cobras etc. Isso é natura.

A natura muda lentamente e é fruto da evolução genética (decorrente da prática sexual). A cultura humana pode mudar rapidamente, em virtude da evolução das ideias (que devem se acasalar, se juntar). Singapura e Hong Kong eram dois países completamente corruptos (muito mais que o Brasil hoje). Mudaram nas décadas de 50/60, do século XX (agora ocupam os primeiros lugares na Transparência Internacional).

Nossa capacidade de aprendizado social é incrível (adaptação darwiniana). Nossa tendência para a imitação (G. Tarde) é inevitável. Acasalando-se nossas ideias e iniciativas, incrementamos nossa inteligência coletiva. O corpo humano é fruto da evolução dos genes em bilhões de anos. As sociedades com pouquíssima corrupção são consequência da evolução cultural das ideias e dos comportamentos. É preciso que nossas ideias e nossos comportamentos façam sexo[4].

Podemos ser melhores seres humanos. O canto do mundo que habitamos (Brasil) pode ser muito melhor do que as burras e corruptas elites nos mostraram até aqui. Quem criou os trilhos só prosperou quando se encontrou com a locomotiva. Que seria da roda sem o aço? A cultura só evolui quando trocamos experiências. A troca está para a evolução cultural como o sexo está para a evolução biológica[5].

[1] Ver RIDLEY, Matt. O otimista racional. Tradução Ana Maria Mandim. Rio de Janeiro: Record, 2014.

[2] Ver http://www.pol.gu.se/digitalAssets/1350/1350652_2007_3_rothstein.pdf, consultado em 30/12/15.

[3] Ver BERGAMO, Mônica – http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/02/1740563-fhc-usou-empresa-para-me-bancar-no-exterior-afirma-ex-namorada.shtml, consultado em 25/02/16.

[4] Ver RIDLEY, Matt. O otimista racional. Tradução Ana Maria Mandim. Rio de Janeiro: Record, 2014, p. 14-15.

[5] Ver RIDLEY, Matt. O otimista racional. Tradução Ana Maria Mandim. Rio de Janeiro: Record, 2014, p. 16.

Anúncios

Microcefalia: OMS pode usar protocolo de pernambuco no mundo todo

By Glauco Cortez / in Geral, Manchete, Saúde / on quarta-feira, 24 fev. 2016 04:37 PM / 0 Comment / 68 views

valter campanatoA Organização Mundial da Saúde (OMS) estuda usar em outros países os protocolos implantados em Pernambuco sobre formas de cuidar de bebês nascidos com malformações neurológicas. “Nós vamos disseminar esse trabalho para que todo o mundo possa se beneficiar do excelente trabalho vindo deste país”. O anúncio é da diretora-geral da OMS, Margareth Chan (foto), que esteve no Recife nesta manhã em visita ao Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip).

O Imip é uma das primeiras instituições de saúde de Pernambuco a atender crianças com microcefalia e se tornou referência no estado. Durante a visita, a diretora conversou com pesquisadores e médicos pernambucanos e assistiu a uma apresentação técnica do instituto de medicina, das secretarias de Saúde Estadual e Municipal sobre as ações de combate ao Aedes aegypti e o acompanhamento das pessoas afetadas pelo vírus Zika e demais doenças transmitidas pelo mosquito.

A diretora lembrou que a Polinésia Francesa passou por um surto semelhante em 2013 e 2014, mas que o território não identificou a relação entre o Zika e os problemas neurológicos, como a microcefalia. De acordo com ela, devido à descoberta brasileira a Polinésia Francesa “olhou para trás” e percebeu o mesmo padrão, tornando a relação entre zika e microcefalia mais evidente.

Ela também parabenizou o Brasil pelo bom trabalho e afirmou que o país não está sozinho. O mundo, segundo a diretora da OMS, vai ajudar o país a encontrar meios para combater o Aedes aegypti e o vírus Zika. “A essa altura, o controle do mosquito por vários métodos é a primeira linha de defesa. Infelizmente não temos vacina, um diagnóstico confiável e poucos meios de combater o problema.”

Vestida com uma camisa da campanha Zika Zero, do governo federal, ela também chamou o mosquito de complicado e persistente, já que o Aedes aegypti sempre encontra meios de se adaptar e sobreviver aos métodos de combate empregados por vários países, com casos de dengue e chikungunya.

Ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, também esteve no Recife. Ele pediu unidade nacional e falou que a presença dos representantes internacionais em Pernambuco é simbólica, pois é o estado com mais notificações de microcefalia no Brasil. Atualmente são 1.601 suspeitas registradas. Desse total, 209 casos foram confirmados como microcefalia e 204 foram descartados.

Segundo ele, 113 países convivem com o Aedes aegypti e a dengue, e que se fosse fácil acabar com o mosquito outras nações já teriam conseguido. “É uma tarefa difícil, mas não impossível. Podemos dizer isso com segurança, porque temos dezenas de municípios que resolveram controlar o mosquito e conseguiram. Se um consegue, dez podem conseguir, e milhares podem conseguir.”

De Pernambuco, a diretora-geral da OMS seguiu para o Rio de Janeiro onde, com o ministro da Saúde, visita a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do governo federal, onde pesquisadores estão desenvolvendo uma vacina contra o vírus Zika.

Desliga a Globo que o Brasil melhora!

Desliga a Globo que o Brasil melhora!

Tradicional inimiga das causas populares e democráticas, a Rede Globo, líder do monopólio midiático brasileiro, tem se superado cada vez mais em termos de manipulação da informação, da mentira e do assassinato de reputações. Tudo em nome dos seus interesses políticos e comerciais.

Nunca é demais lembrar o currículo dessa organização. A Globo esteve na linha de frente da campanha que levou Vargas ao suicídio, tentou de todas as maneiras impedir a posse de Jango e apoiou o golpe militar que censurou, perseguiu, cassou, baniu, prendeu, sequestrou , torturou e assassinou tantos opositores do regime.

As empresas da família Marinho tentaram sabotar a campanha das Diretas Já e escreveram um dos capítulos mais tristes do jornalismo brasileiro nas eleições presidenciais de 1989, quando editaram de forma grosseira o debate entre Lula e Collor, para prejudicar o candidato do PT.

A criminalização dos movimentos sociais e a oposição a tudo que lembre inclusão social e soberania nacional são outras marcas registradas globais. Agora, a Globo aposta suas fichas no cerco midiático aos ex-presidente Lula e a tudo que ele representa em termos de melhoria de vida dos mais pobres e desfavorecidos.

A boa notícia, porém, é que cada vez mais brasileiros percebem a que interesses antipopulares servem o império de comunicação da família mais rica do país, segundo a revista Forbes. Por isso, sua audiência despenca a olhos vistos , bem como seus leitores. Nas manifestações de rua tornou-se obrigatório o grito “o povo não é bobo, abaixo a Rede Globo.”

Contudo, não podemos menosprezar a força de um monopólio de 50 anos na disputa por corações e mentes. E a campanha “Desliga a Globo que Brasil melhora” é parte do movimento pela democratização da mídia, na qual a CUT tem papel destacado.

Com palestras dos jornalistas PHA e Miro Borges, no dia 3 de março, às 18h, no auditório da CUT-RJ, direção lança movimento para esclarecer a população sobre o quanto a Globo faz mal ao país.

SERVIÇO

Onde: Av. Presidente Vargas, 502. 15º andar (Auditório)
Quando: 03 de março, às 18 horas
O que: Lançamento da campanha “Desliga a Globo que o Brasil melhora”
Quem: Palestras de Paulo Henrique Amorim e Miro Borges

PARALISAÇÃO GERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO DO CEARÁ

Comunicado do SINDIUVA – SS do ANDES-SN Sindiuva

Comunicamos que os professores, estudantes e servidores técnico-administrativos irão parar nos dias 23 e 24 de fevereiro!
 
Amanhã (23/02), às 7:00h, haverá concentração no campus da Betânia da UeVA em Sobral.
 
PARALISAÇÃO GERAL DOS SERVIDORES DO ESTADO DO CEARÁ.  
EM DEFESA DA UeVA! 

jacaré parado vira bolsa blog.wordpress.com/2016/02/01/salas-do-curso-de-fisica-da-uva-em-pessimas-condicoes/

Ar condicionado do Gabinete do Governador colocado por engano em sala do Curso de Física da UeVA - em Sobral - Ceará

Ar condicionado do Gabinete do Governador colocado por engano em sala do Curso de Física da UeVA – em Sobral – Ceará

Em tempo:  por erro do fotógrafo, saiu foto de ar condicionado do GabGov (Gabinete do Governador) em lugar de foto que deveria ter sido de sala de aula do Curso de Física da UeVA.  Pedimos desculpas as leitoras e prometemos severas punições aos desleixado fotógrafo.

Os oragotangos podem estar eliminados em 25 anos, depois será o nosso caso!

This is not the email I want to be writing to you, Tarcisio – but the subject line says it all.

If deforestation in Indonesia continues to accelerate at the current rate, the orangutans’ habitat could be completely wiped out in just 25 years – and with it, we’ll lose these beautiful, intelligent creatures forever.

We need to act now to stop this. We’re stepping up our campaign to force palm oil suppliers to end this appalling destruction, but we need your help raising the funds.

Will you help save the orangutan, Tarcisio? Donate now to help end deforestation in Indonesia: 

Two years ago, when our campaign forced the biggest players in the palm oil industry to agree to stop destroying forests, I was overjoyed. Finally, we thought, the rainforest was going to get the protection it so badly needed.

But since then, the industry has dragged its heels. Not only has it failed to follow through on its pledge, Greenpeace investigators have now revealed deforestation appears to actually be getting *worse*.

In the last two years alone, corporations have destroyed four per cent of the critically endangered orangutans’ habitat – a rate that, if it continues, could wipe out the remaining orangutans in just 25 years.

We need to challenge the culture of secrecy that’s enabling the industry to get away with this. We’re calling on the Indonesian government to release the maps we need to expose who is destroying rainforests – and where. Using cutting-edge satellite technology, we’ll be able to hold companies to account and make sure they can’t hide their destruction any longer.

This “Forest Crime File” could be a game changer in our campaign to end deforestation, but it won’t come cheap. Donate now to help fund it, Tarcisio – it takes just two minutes to do: 

Coming face-to-face with an orangutan a few years ago was one of the most wonderful experiences of my life. I can’t bear the thought that the next generation might grow up in a world without these incredible animals living in the wild; that after millions of years on this earth, they might be lost forever in the blink of an eye – all in the name of corporate greed.

But I am convinced that, with your support, we can save Indonesia’s rainforests, and the orangutans that depend on them. After all, eight years ago a Greenpeace campaign just like this one forced Brazil’s soya industry to stop destroying the Amazon.