ANPUH contra o golpe

A Associação Nacional de História manifesta sua perplexidade diante do processo de votação do impeachment realizado no  último domingo (16 de abril). Para justificar o voto,  a favor ou contra essa medida drástica, alguns parlamentares usaram como argumento o combate à corrupção,  à política de “assistencialismo social”,  ao  “populismo”, a pressão dos eleitores e dos 10 milhões de desempregados. Muitos dedicaram seu voto a seus familiares e defenderam o  respeito à família nuclear  tradicional e patrimonial, neste caso,  desrespeitando normas legislativas que reconhecem outras formas de  união familiar.

A Presidente eleita, democraticamente, está no exercício legal de suas funções e contra ela não paira nenhum processo de uso indevido do dinheiro publico para enriquecimento ilícito, ao contrário do que ocorre com grande parte dos parlamentares que votaram a favor do impeachment, apesar de já terem sido denunciados pela justiça. Não resta dúvida de  que a votação na Camara dos Deputados teve caráter político e ideológico. Os argumentos de ordem jurídica, pouco mencionados pela grande maioria de deputados que se pronunciaram a  favor dessa medida, serviram para acobertar  as reais motivações do voto.

A campanha a favor do “Golpe” liderada  por adversários políticos, por representantes das “mídias” que,  retomando a tradição golpista, instigaram o ódio da população. A postura dos parlamentares durante a votação do impeachment  e as comemorações pela vitória, deixaram evidente  a permanência de uma cultura política antidemocrática afeita a acordos, manobras e negociações que a “Nova República” não foi capaz de eliminar. O espetáculo de desrespeito à opinião alheia  e as manifestações de intolerância expressas através de uma linguagem autoritária e chula, permitiram que viesse à  tona a outra face da decantada “cordialidade brasileira” –  a da violência – que o mito encobre.

Por fim, nesse quadro de aberrações, a ANPUH  repudia e denuncia a atitude inadmissível do parlamentar Jair Bolsonaro que, em tom celebrativo,  evocou a   memória de Carlos Alberto Brilhante Ustra, Coronel do Exército Brasileiro, ex-chefe do DOI-CODI do II Exército, um dos órgãos encarregados da repressão política no regime militar e responsável por práticas de  tortura e mortes.  Cabe, não só a nós historiadores, mas a  todos os democratas deste país, exigir punição legal contra o Parlamentar que reverenciou a memória de um torturador. Bolsonaro, não só neste ato, mas também  em outras circunstâncias se permite –  em franco desrespeito à ordem democrática vigente no país – incitar o ódio e a intolerância em seus pronunciamentos de natureza racista e homofóbica, crimes pelos quais já foi condenado.

Diante desta e de outras atitudes similares, a ANPUH Nacional lança como bandeira de luta: “Ditadura e tortura NUNCA MAIS!” e condenação penal aos que representam riscos para o Estado Democrático  de Direito.

Coincidência ou primeira medida dentro do golpe?

Veiu-me à cabeça o que ocorreu com a famigerada ANATEL exatamente na 
semana da tentativa de golpe,  na semana do dia 17 de Abril (não
aguardaram nem mesmo o o 21 de Abril).

A famigerada ANATEL, na palavra do seu gerente e naturalemente capacho das
privadas de telecomunicação, incitou as privadas para fazerem valer a
limitação na transmissão de dados nos chamando, nós,  os cidadãos, de
mal-educados. Nós, a cidadania fomos "deseducados"  pela falta de dureza
das privadas que foram deixando passar a ideia de que o acesso à Internet
seria livre de limites. Continou dizendo que era preciso que as privadas
começassem imediatamente a aplicar limitações ao acesso.

Grande coincidência ou já uma primeira medida do golpe, como já sabiamos
que na continuação do golpe vêm as restrições sucessivas dos nossos 
direitos.

A ANATEL volou atrás em consequência do barulho que fizemos que provocou
que a senadora sexológa, de sexos dos anjos, provavelmente uma vez que 
está fortemente envolvida com movimentos religiosos,  aproveitasse a 
onda para aparecer como defensora dos direitos protestando "vêmente" 
junto  à ANATEL contra a implementação de cotas nos pacotes de dados. 
Claro, também a valorosa Dilma tomou medidas que possivelmente tenham 
sido a razão pela a sub-sede do sindicato das privadas de comunicação, 
a ANATEL, tenha voltado um passo atrás. Dilma deveria ter trocado 
o gerente da ANATEL.

E temos que bater duro na ANDES que continua vergonhosamente em cima do
muro apesar de que inclusive a nível mundial se reconhece a "tetativa" de
golpe em curso. Eu tenho me manifestado junto a ANDES dizendo que a
diretoria tem sair de cima do muro e se juntar com a base do movimento
docente que se tem manifestado contra o golpe, mas apenas uma ou outra voz
é pouco.

Tarcisio

 

Multas rídiculas e as privadas de telecomunicação ficam rindo de nós e da ANATEL

Guarde o número do seu protocolo: 2016048032156
Oi fora do Ar desde 18:30 até 19:28 
Thu, 21 Apr 2016 19:30:26 -0300
E continua fora do ar no dia 22 de abril de 2016
O serviço ADSL foi interrompido ontem, dia 21 de Abril e 
continua interrmpido. O telefone está funcionando, portanto 
a linha está OK mas o serviço ADSL está interrompido. Como 
está patente, entrei em contacto com a privada de telecomu-
nicações sem absolutamente nenhum resultado. E como a ANATEL 
estabelece uma multa ridícula de 1/30 do plano por 30 minutos 
sem o serviço, por dia, então a privada fica rindo de mim e 
da ANATEL. 
Anexando foto da tela em que o navegador não encontra o servidor.

Documentos anexos Nr do protocolo: 1364543 – 2016

Tipo: Reclamação OiForaDoAr22Abr2016.pdf

Destaque nas falas dos deputados as ameaças de retrocessos aos ‪direitos humanos

Domingo (17), o Congresso Nacional deu início ao processo de impedimento da Presidenta Dilma Rousseff.

Na votação, lamentavelmente ganharam destaque nas falas dos deputados as ameaças de retrocessos aos ‪direitos humanos‬, a partir do elogio a torturadores e a crimes cometidos no período militar; menção constante a preceitos religiosos, apesar do Estado laico previsto na Constituição Federal; e interesses individuais dos votantes em detrimento do coletivo.

A Anistia Internacional Brasil se posiciona pelo fortalecimento da jovem democracia brasileira, de modo a resguardar os direitos humanos já conquistados e a necessidade de sua promoção pelas autoridades que representam a população no parlamento.


No mesmo domingo completaram 20 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, quando 19 trabalhadores rurais sem terra foram assassinados pela polícia durante uma caminhada na curva do S, a caminho de Belém, no Pará.
J.R. Ripper
Para marcar essa data, nos juntamos ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e ao fotógrafo J.R. Ripper, que detém um dos maiores acervos fotográficos sobre defensores de direitos humanos no Brasil, e montamos a exposição “Eldorado dos Carajás: 20 anos de impunidade”.

Nestes vinte anos, mais 271 trabalhadores rurais e lideranças foram assassinados somente no estado do Pará.

Ao longo destes anos, a Anistia documentou e analisou as violações de direitos humanos cometidas no massacre, monitorou o andamento do processo judicial e demandou justiça no julgamento dos responsáveis. As autópsias revelaram que 10 dos 19 mortos foram executados, inclusive à queima roupa, e outros foram mutilados até a morte com suas próprias ferramentas de trabalho.

Essas fortes imagens mostram a dor do massacre, mas também retratam a força da resistência, da solidariedade e da esperança. Esperamos que elas nos estimulem a não mais aceitar a impunidade para os crimes cometidos contra defensores de direitos humanos.

Siga a Anistia Internacional Brasil
nas redes sociais 

 

Os sucessores de Dilma todos estão sob acusação de crimes

Criminosos espreitam a saída de Dilma para tomar o poder, ela que não deve à justiça!

Enquanto que Dilma nada deve à justiça nem mesmo existe qualquer denuncia de crime cometido por ela, os três criminosos que espreitam o poder com sua saída tem severas denuncias contra eles.

Está na BBC

But the three men in the line of succession have faced accusations of wrongdoings. They are all from the PMDB party, the largest party in the coalition, which abandoned Ms Rousseff in recent weeks to support the impeachment.

  • Vice-President Michel Temer is accused of involvement in an illegal ethanol-purchasing scheme.
  • Eduardo Cunha, the Speaker of the lower house, is going on trial in Brazil’s Supreme Court on charges of corruption and money laundering linked to the Petrobras scandal. He is accused of pocketing at least $5m (£3.5m) in bribes.
  • And Renan Calheiros, who heads the upper house of Congress, is also accused of receiving bribes related to Petrobras. He also faces accusation of tax fraud in a separate case.

They all deny the allegations against them.

Quem está na merda, não pia!

Para jornalista que vivem forçados a trablhar nesta coisas golpistas que eu nem vou sujar aqui estas páginas escrevendo-lhes os nomes. A merda de vaca abaixo é mais limpa e mais rica em energia…

Conta a história que uma galinha, por falta de local melhor, deixou um ovo num monte de merda de vaca.

A coisa, cheia de elementos bioquímicos, manteve o ovo quentinho, chocou o ovo e nasceu um pinto.

Assim que o pinto quebrou a casca do ovo, deu um pio, e aí, um gavião que voava por perto deu uma rasante e comeu o pinto.

Moral da história: quem vive na merda não pia.  Quem se vê obrigado a trabalhar em meio golpista: não piar, por questão de segurança.