E a Internet era gratis e agora querem nos vender acesso!

Como um rio privatizado, a Internet era grátis e agora usam de todos os artifícios para nos convencer que devemos pagar por ela.

Eu já escrevi sobre como privatizaram um rio 0u na verdade sobre o primeiro capitalista. O capitalismo nem existia, tudo no mundo pertencia a todos mas mitos foram sendo criados e à força alguns foram se apropriando dos melhores bocados e expulsando outros para “espaços menos nobres” e finalmente vendendo acesso ao espaço agora privatizado que antes era de todos.

O PRIMEIRO CAPITALISTA

Depois de privatizar árvores e cabras, o primeiro capitalista pensou em cercar um rio que passava a uns 450 passos de sua caverna, (ainda não haviam inventado o sistema métrico), mas para seu espanto houve uma reação absurda dos que viviam a volta e usavam o rio para se banhar e nadar. Ele tentou justificar dizendo que cuidaria do rio, que o manteria limpo e que em troca venderia entradas para todos os que quisessem se banhar, nadar ou ir em busca de água.

Foi preciso usar de um estratagema “genial”, envenenar os peixes do rio e deixá-lo empestado para convencer os demais que havia uma problema de segurança, que era preciso haver alguém que tomasse conta do rio para todos. Assim ele conseguiu privatizar também o rio e a partir de então, para tomar um banho, nadar ou pegar água, era preciso trazer uma modica contribuição, proporcional ao serviço desejado: para um banho rápido, um cesto de frutas maduras, para levar água numa cabaça, era preciso trazer um cabrito ou uma ovelha, para nadar longamente era preciso trazer uma ovelha prenhe.

Assim vemos a nossa independência se esvoaçando e partindo. Alguns se beneficiam momentaneamente com isto.  E neste momento se repetem as tentativas de privatização total e completa da Internet.  A Internet, qual um rio, nasceu livre e para todos. No começo era um projeto militar que terminou se expandindo para uso generaliza das universidades com o objetivo de troca de informações, era praticamente um serviço de comunicações entre os computadores ligados em rede nas universidades e estas entre si.

Enfim, bem semelhante ao rio privatizado pelo primeiro capitalista. Como sempre os capitalistas lançam mão das invenções produzidas nas universidades e conseguem inverter até mesmo a história para fazer com o público imagine que foram eles quem inventaram a utilidade. Em geral, sim, as melhoraram dando-lhes feições mais agradáveis ao público. Em particular, com a Internet não foi bem assim. Ela foi se desenvolvendo, sempre dentro das universidades passou por diversos estágios até que Tim Berners-Lee consegui dar um salto imenso na verdade juntando pedaços mas enfim foi ele quem colocou a internet no estágio em que ela se encontra em que viajamos por toda parte com navegadores.

Foi neste momento que as privadas se alucinaram e avançaram para privatizar o rio. Num certo momento eu vi na TV um idiota que era o âncora dum certo jornal afirmar, talvez por simples ignorância que “o chato era este monte de universidades estarem penduradas na Internet”!  Pois é, a Internet que era nossa, inventada por nós nas Universidades, segundo o mentecapto eramos nós que estamos pendurados na Internet fazendo-a lenta!

Na verdade que tornou a Internet lenta foi precisamente o consumismo que avançou sobre ela. Hoje quando você recebe qualquer informação vem milhares de vezes mais lixo do tipo propaganda ou pequenos programas do interesse dos mega polos na internet como google e similares, objetivando espionar-nos que segundo eles na verdade se trataria estudar-nos para nos oferecer aquilo que melhor seja do nosso interesse. Imagine!

Ganharíamos todos se tivéssemos uma Internet pública, inteiramente gratuita, onde nada fosse vendido, e outra que seria a privada. Quem desejasse que entrasse na privada, e por mim, garanto, não entraria nunca na privada ou no máximo, em raros momentos para fazer alguma compra on-line. Nós da pública navegaríamos a mil apenas buscando aquilo que nos interessasse em termos de informações e ficariam os usuários da privada tropeçando no meio do monte de lixo usual.  Seria uma beleza.

Claro, eu continuaria advogando a liberdade de uso da privada, ainda que atropelada pela presença imensa da propaganda e das vendas como atualmente. Mas o que seria bom é que na pública teriam que ficar somente serviços públicos, como acesso aos bancos, os sistema comerciais usados pelas transações comerciais, enfim, teríamos que pensar como separar a privada da pública, porque quando pagamos  nossas compras num supermercado o nosso  interesse não é o de ficar misturado o lodo comercial que nos rodeia na Internet. O que desejaríamos era que no caixa ninguém disse a frase terrível “o sistema está lento” porque na verdade não é o sistema que esteja lento, e sim que estamos na privada internet em que um monte de lixo está circulando a nossa volta procurando saber o que desejamos e de que forma podem nos abocanhar para nos vender alguma droga, consumismo da pior classe.

Esta discussão não é fácil e vem sendo feita a tempos e temos que encontrar um caminho para separar o joio do trigo.

Alias porque, mesmo, quem construiu isto tudo fomos nós, com todos os governos de terceira classe que quase sempre tivemos, com duas ou três raras exceções.

Libertas quae sera tamen, é um velho e atualíssimo grito. Primeiro gritar, mas depois agir de maneira efetiva contra os vende-pátria, contra os Judas que nos vendem por modestos 30 dinheiros enquanto nos beijam a face com cara de irmãos.

Bruxas e fadas, uma questão central no golpe

Tanto existem bruxas com fadas.

A diferença é que as bruxas são as fadas na velhice e elas levam cerca de
mil a dois mil anos para atingirem a velhice e finalmente morrer.

Nós nunca vemos as fadas, é uma regra lá entre elas, é o sistema, o tal do
sistema que governa tudo. Embora as fadas sejam gentil e sempre queiram
ajudar-nos, elas não podem aparecer, porque elas são bonitas, agradáveis,
elegantes, o contrário das bruxas que sempre tem o nariz pontiagudo e torto,
o queixo pontudo, e menos da metade dos dentes, fora as rugas por todo o
corpo e principalmente no rosto. E o cabelo que todo mundo sabe como é,
parece estopa e nem mesmo mais consegue pegar tinta, tem que ficar branco e
ralo. Também, claro, viajam em cima duma vassoura. São coisas que todo mundo
sabe.

Já as fadas, não! elas andam de bicicleta, claro, bicicletas invisíveis como
tudo das fadas é invisível porque elas não podem aparecer, é o tal do
sistema. Vendo uma mulher bonita andando de bicicleta e disposta a lutar por
mundo melhor, desconfie, deve ser uma fada e vai ser por aí que nós conseguiremos
alterar o rumo das coisas.

As bruxas também não costumam aparecer, vivem de noite porque já não
conseguem dormir direito e preferem os dias de lua porque é a única
claridade que elas suportam. Mas de vez em quando algumas delas aparece, a
Hilary Clinton é uma delas, e como você pode ver, apesar de toda a
maquilagem, ela não consegue esconder os traços principais e marcantes duma
bruxa. O nariz é um indício que elas não conseguem esconder, você já prestou atenção
a nariz da Hilary, torto, bem na ponta! é batata, nariz de bruxa.
Mas principalmente a maldade e a companhia com que andam. As bruxas
aderem ao capitalismo, é o “sistema” de que já falei acima. Elas vivem
ajudando os capitalistas e adoram um golpe. Outra bruxa que apareceu
recentemente visível é a tal da secretaria da mulher do Tremer Traíra.
Também aí você pode ver, todo o esforço de maquilagem resulta em quase nada
útil, e a bruxa é mesmo feia que só a peste. Se fixe no nariz, é o ponto que
elas não conseguem esconder.  Como já observei, ela vive à
volta da FIESP e do golpe, coisa que elas adoram. Dentro daqueles patos da
FIESP tem pequenas bruxas, quando elas envelhecem se reduzem de tamanho e é
por isso que elas podem ficar dentro dos patos menores da FIESP. Na equipe do
Tremer Trairá deve der uma 10 ou 15 bruxas, todas fantasiadas de homem,
porque somente tem bruxa mulher. Bruxa e fada são necessariamente do sexo
feminino, como já falei, as bruxas são fadas e na idade velha quando já estão
para morrer, e é esta a principal razão do mau humor característico delas, se
transformam em bruxas e já não duram muito, e infelizmente, para morrer
levam cem, trezentos ou quinhentos anos.

Claro que a gente pode se aproveitar melhor do poder benigno das fadas e
conseguir que elas nos ajudem nesta luta insana das bruxas de destruir tudo.
E eu venho estudando o assunto a algum tempo tendo chegado a algumas
conclusões para conseguirmos alterar o rumo dos acontecimentos com auxílio
das fadas.

Uma coisa que bruxa detesta é manifestação, se explica, como são velhas
ficam extra sensíveis ao ruído, as músicas, e também elas detestam mulheres,
e com razão porque olhando as mulheres, elas se lembram de que foram fadas o
que dá uma tremenda duma raiva e despeito. Não é a toa que a PM vai para
cima das mulheres, nas manifestações com toda aquele sadismo, dentro de cada
PM tem um bruxa comandando com uma bruxa mais velha no comando do esquadrão.
É, acreditem, todo tenente ou capitão da PM é uma bruxa velha desdentada e
prestes a morrer comandando o esquadrão, o que justifica toda a sacanagem que
a PM procura fazer. Você não pode esperar nada que preste duma bruxa, pode?

O PSDB é todo formado de bruxas, claro, olhe bem pros caras, o nariz, ou os
olhos, são os pontos, exatamente, que maquilagem não consegue esconder. É
tudo bruxa assim como o próprio Tremer Traíra, ela também é uma bruxa.

Mas eu vou voltar trazendo as última reflexões que venho fazendo para que a
gente consiga usar as fadas para definitivamente vencer a bruxaria que se
encontra por trás do golpe da FIESP, aparentemente, dirigido pelo bruxo
Tremer.

Aguardem.

nenhuma morte a mais na Presidente João Goulart

A prioridade do planejamento urbano está voltada unica e exclusivamente para o consumismo automobilístico. Claro, é resultado do poder econômico que impõe aos administradores esta “visão de futuro” que nós sabemos que é falsa e que, em outros países já começa a ser revertida. Há cidades na Espanha, algumas é clara, em que avenidas centrais já são prioritárias para a bicicleta. Já de Amsterdam se fala que os ciclistas é que são os donos da rua (forma de ver de quem ainda pretende seguir no consumismo auitomobilístico). Mas a coisa tem que mudar, e rápido. Estamos nesta luta, para nossa sobrevivência como seres humanos! A Natureza é que é o nosso lugar, e não o asfalto!

Não queremos mais nenhuma morte na Av. Presidente João Goulart e em nenhuma outra avenida ou rua

Não queremos mais nenhuma morte na Av. Presidente João Goulart e em nenhuma outra avenida ou rua

https://www.change.org/p/n%C3%A3o-queremos-mais-nenhuma-morte-na-av-presidente-jo%C3%A3o-goulart?recruiter=627622&utm_source=petitions_show_components_action_panel_wrapper&utm_medium=copylink

 

 

Sérgio Moro barra, mais uma vez, investigação que envolve a Rede Globo — Educação Política

O juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, barrou mais uma vez uma investigação que envolveria a Rede Globo, por meio da Fundação Roberto Marinho. Ele anulou na noite desta sexta-feira, 03, uma no… Fonte: Sérgio Moro barra, mais uma vez, investigação que envolve a Rede Globo

via Sérgio Moro barra, mais uma vez, investigação que envolve a Rede Globo — Educação Política

Robespierre está para Moro assim como Mengels está para Osvaldo Cruz

Recebi uma mensagem por intermédio dum grupo que se autointitula de “grupoguarapes” e nele uma “pérola” cujo introdução copio abaixo

Fui pegar minha revista na portaria de meu prédio e o porteiro afirmou:
GENERAL A COISA ESTÁ PRETA. Retruquei: Muito mais preta do que você pensa.
Se o porteiro já diz que está preta fiquei a imaginar como deve se
encontrar o jogo bruto da política nos elevados escalões do governo. Será
que o medo é a presença principal ou o terror é quem toma conta do ambiente
em que vivem?
Robespierre afirmou: “o terror é simplesmente a justiça imediata, severa e
inflexível”. A maioria que se envolveu no LAVA- JATA – MENSALÃO  e outros
crimes coletivos estão com pavor de serem presos. Cada um por si e chegam
ao mais baixo do comportamento humano, traindo amigos, mentindo, roubando e
até esquecendo que como homens públicos  deveriam buscar o “bem comum”, mas
levam o País a uma crise moral nunca vista.
Saudades estamos das palavras: HONRA – HONESTIDADE – RETIDÃO – PROBIDADE
–GRANDEZA – DECÊNCIA – DECORO. Saudade e muita.
Não temos um ROBESPIERRE que mandava guilhotinar os ladrões, mas possuímos
um Juiz, Dr. MORO, que coloca na cadeia os bandidos e ladrões que roubaram
o Brasil.

Não aguentando respondi:

Está brincando general!  Comparar Moro com Robespierre e dizer isto para mim que desde criança li a Revolução Francesa em francês, porque francês é a minha segunda lingua das cinco que falo!

Agora mesmo em Maringá, na UEM, uma das melhores unversidades do Brasil, a reitoria se viu forçada a negar um título de “honoris causae” exatamente ao justiceiro Moro que tentou prender Lula sem ter nenhum dado concreto que justificasse sua prisão. A maioria dos professoras e professores da UEM, todos doutores, se rebelaram ante a proposta que foi finalmente colocado no local certo: no lixo.

Moro não é um juiz, é faz parte da mesma gang do Serra que agora está tentando doar as nossas reservas de petróleo e foi escorraçado da reunião da OECD em Paris, colega também do ladrão Aécio que está saltando que nem pipoca para evitar de ser preso apesar dos sucessivos apoios que tem recebido do Janot que não conseguiu manter escondido toda a lama do Aécio.  Já o salafrário FHC se sentiu inseguro de participar dum congresso de Cientistas Sociais para o qual foi convidado a apresentar uma palestra com consequência do “honoris causae” que lhe foi dado em Havard, somente que a grande maioria dos membros da comunidade de Ciências Sociais protestou contra sua presença e decidiu comparecer à sua palestra vestidos em preto e covarde, naturalmente, declinou da palestra que certamente esquentaria no momento das perguntas. É golpe, general!

Deixe de se informar via Globo-Golpe, general, leia New York Times ou mesmo a BBC. E se nao puder ler inglês, a BBC tem versão em português, bem ruim, mais ainda assim melhor que o lixo que a Blobo Beleza tenta empurrar na garganta do povo brasileiro.

Certamente não seria necessário, o sr. deve saber fazer buscas, mas ofereço-lhe a versão do El Pais jornal da Espanha, publicado no Brasil

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/05/23/politica/1464033744_760409.html?id_externo_rsoc=TW_CM

Mas se precisar de mais informações, não tenha dúvida, entre em contacto que tenho material de alta qualidade e excelente procedência explicando a merda que Temer & FIESP & C.I.A. estão tramando para o Brasil.

Eu não era LuloPetista, mas agora sou!
Tarcisio

DOCENTES DA UeVA NA LUTA CONTRA A CULTURA DO ESTUPRO

 

Imagem intercalada 1

DOCENTES DA UVA NA LUTA CONTRA A CULTURA DO ESTUPRO
Por uma Formação de Professores e Profissionais Ética e Reflexiva
sobre Relações de Gênero e Sexualidade
 
O bárbaro crime cometido contra uma adolescente no Rio de Janeiro
estarreceu nosso país. Trinta e três homens estupraram coletivamente uma
jovem de 16 anos. Infelizmente, este não é um caso isolado, em nosso país
são registrados 1 estupro a cada 11 minutos!!! Não podemos fechar os olhos
perante uma cultura que naturaliza a violência sexual.
O termo cultura do estupro surgiu nos EUA (rape culture), esta cultura tem
3 premissas básicas: (1)torna natural o estupro e outras agressões sexuais;
(2) questionam e difamam as vítimas e, dessa forma, (3)protegem os
agressores.
Compreendemos que a violência de gênero contra as mulheres, como o
feminicídio que mata 13 mulheres por dia no Brasil, bem como os casos de
estupro e abuso sexual são a ponta de um iceberg, cuja base se assenta na
ideologia patriarcal que alimenta o machismo, as relações desiguais entre
homens e mulheres e justifica a submissão e a inferiorização das mulheres.
Também faz parte da violência de gênero, a busca pela naturalização das
desiguais relações entre homens e mulheres, nesse sentido, temos o dever de
denunciar ações e propostas inconstitucionais de grupos, parlamentares e
igrejas que, baseados nos dogmas de suas religiões, buscam, por exemplo,
retirar dos currículos da escola brasileira a reflexão sobre gênero e
orientação sexual, além da proposição de projetos de lei que dificultam o
aborto legal, como em caso de estupro (PL 5069/13, proposto por Eduardo
Cunha). A “ideologia de gênero” proposta por grupos religiosos revela uma
profunda ignorância e desconhecimento de uma ampla produção científica
consolidada – nacional e internacionalmente – sobre gênero e sexualidade.
Não permitiremos que o obscurantismo autoritário privem nossas crianças e
jovens do acesso às teorias e pesquisas que permitem o acesso ao
conhecimento e, assim, estes tenham instrumentos capazes de desconstruir
a intolerância, o ódio e a violência, contribuindo para a formação de um
cidadão e uma cidadã que valorize e respeite a diversidade presente em
nossas sociedades contemporâneas.
As Ciências Humanas e Sociais, no Brasil e no mundo, através de estudos e
pesquisas sobre o sistema de gênero, demonstram que o conhecimento e o
questionamento destas relações são caminhos que contribuem para a
ruptura desse sistema perverso, violento e desumano.
A UVA como formadora de professores (12 licenciaturas) e
profissionais (15 bacharelados) tem um papel fundamental na luta
contra a violência de gênero em Sobral e em toda Região Norte do
Estado. Desa forma é imprescindível e inadiável que os currículos
incorporem a reflexão sobre a relações de gênero e sexualidade,
ampliando a reflexão para além da heterossexualidade, pois a
homofobia, transfobia e lesbofobia fazem do Brasil o país com o maior
número de assassinatos contra a população de lésbicas, gays,
bissexuais, travestis e transgêneros.
Como formadoras e formadores, precisamos efetivar o que é
preconizado na Lei de Diretrizes e Base da Educação, em seu artigo 2º,
“A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de
liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o
pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da
cidadania e sua qualificação para o trabalho”.
Conclamamos docentes, servidores(as) técnico-administrativos(as),
discentes e toda população a travarem uma luta cotidiana contra a
violência de gênero, para enfrentarmos a Cultura do Estupro,
rompendo o silêncio, enfrentando e denunciando:
– Assédio sexual contra alunas, servidoras e professoras;
– “Brincadeiras” que inferiorizam e objetificam o corpo feminino;
– Ações que reforçam as desigualdades entre os gêneros, como
“piadas” e ditados populares em sala de aula que reforçam o papel
subalterno e inferior do feminino;
– Quaisquer tipo de violência contra alunas, servidoras e professoras;
Compreendemos também que esse é um momento para rompermos
também com a OMISSÃO diante de práticas machistas que perpetuam
a violência de gênero em nossa sociedade. Esperamos contar com
todos e todas nessa luta!
– Pelo FIM da Violência e da Impunidade!
– CONTRA O PL 5056/13.
– CONTRA O PL 867/15 (Projeto Escola Sem Partido, que fere o direito
de livre expressão do docente e direito de aprender dos discentes).
– Pelo FIM da lesbofobia, transfobia e homofobia!
 
NOSSO CORPO, NOSSO TERRITÓRIO!

Transformação em poema da cigarra e a Formiga.

José Paulo Paes transformou em poema a fábula A CIGARRA E A FORMIGA, e revelou que de alguma maneira todos são úteis.  Ao final você pode encontrar de onde veiu esta postagem e se divertir com muito mais visitando às postagens de Micheline Moraes.

Sem barra

Enquanto a formiga
carrega comida
para o formigueiro,
a cigarra canta,
canta o dia inteiro.

A formiga é só trabalho.
A cigarra é só cantiga.

Mas sem a cantiga
da cigarra
que distrai da fadiga,
seria uma barra
o trabalho da formiga!

José Paulo Paes

Mas um navio canadense rumo ao bloqueio Sionista dos Palestinos

Donate

A critical way to help this campaign is to contribute financially. There are two ways you can make a donation. You can donate online:

Donate – doações – doaciones –

(Trouble donating by PayPal? See Notes* below. What is Turtle Island Humanitarian Aid? See info** below.)

You can also donate by cheque or money order. Make out cheque or money order to: Turtle Island Humanitarian Aid. If you cannot give it directly to one of our organizers, you can be sent it by mail to:

Canadian Boat to Gaza
C.P. 92087, PortobelloBrossard, QC
J4W 3K8
* Notes on donating by PayPal: the settings on PayPal will start with “Canada” as country and require “Province”, but  you can change these default settings by following these steps:

1. Set an amount on the PayPal screen.
2.  Select a different country.
3. Wait while PayPal resets and offers the appropriate options: “State” (and Zipcode) for the U.S., “County” (and Postcode) for the U.K. etc.
4. Proceed to fill in the rest of your form, and press “Review donation and continue”. Thank you for your patience and your support!
 **InfoOnline donations and donations mailed to Canada go through Turtle Island Humanitarian Aid, which is a Canadian-registered non-for-profit organization. This organization is set up for the purpose of facilitating the fundraising efforts to sustain Gaza projects: the Canadian Boat to Gaza, Freedom Waves to Gaza, Gaza’s Ark,  and the current Freedom Flotilla mission: the Women’s Boat to Gaza.

Please let us know if you want to help with fundraising for our work. We will be happy to provide support.
E-mail us: canadaboatgaza@gmail.com