But tell me, the people of the forest have of not the right to patent their knowledge? Put it plainly!

Coca-Cola is lining its pockets with the use of THE new trendy sweetener – the stevia – which comes from the traditional knowledge of indigenous groups in South America, the Guarani Paî Tavytera and Kaiowa people.

While Big Soda companies like Coca-Cola make billions off this knowledge, none of these communities are getting a single penny.

Coca-Cola’s dreadful attitude violates the rights of indigenous people as enshrined in international treaties.

But you can stop this by sharing this video to raise awareness of the Guarani’s plight.

Let’s stand in solidarity with the Guarani people against Coca-Cola’s exploitation — you can help make sure that this message is heard far and wide.

Click here to watch the video and share it with your friends.

Click here to watch the video and to share it with your friends.

The more people who know about the issue, the more power we’ll have to pressure Coca-Cola into settling with the Guaranis on a fair and equitable sharing of the profits out of the use of this natural sweetener.

SumOfUs is teaming up with Public Eye, Pro-Stevia Schweiz and France Libertés to make sure everybody knows about the bitter-sweet taste of stevia. We know this tactic works. Our videos targeting PepsiCo have clocked over 20 million views and have gone viral because they were shared by members like you. They’ve brought PepsiCo back to the negotiating table, and forced it to come up with a new palm oil commitment.

You truly hold the power to make a difference: you can make this glaring injustice a thorn in Coca-Cola’s side. Spread the word!

Watch and share the video with your friends by clicking here now.

Thanks for all that you do,
Fatah, Marie and the team at SumOfUs

More information:
The bitter Sweet Taste Of Stevia
Public Eye (formerly Berne Declaration). 1 November 2015.
Stevia: the path to a benefit sharing agreement
Public Eye (formerly Berne Declaration). 16 November 2016.

The more people who know about the issue, the more power we’ll have to pressure Coca-Cola into settling with the Guaranis on a fair and equitable sharing of the profits out of the use of this natural sweetener.

SumOfUs is teaming up with Public Eye, Pro-Stevia Schweiz and France Libertés to make sure everybody knows about the bitter-sweet taste of stevia. We know this tactic works. Our videos targeting PepsiCo have clocked over 20 million views and have gone viral because they were shared by members like you. They’ve brought PepsiCo back to the negotiating table, and forced it to come up with a new palm oil commitment.

You truly hold the power to make a difference: you can make this glaring injustice a thorn in Coca-Cola’s side. Spread the word!

Watch and share the video with your friends by clicking here now.

Thanks for all that you do,
Fatah, Marie and the team at SumOfUs

SumOfUs is a community of people from around the world committed to curbing the growing power of corporations. We want to buy from, work for and invest in companies that respect the environment, treat their workers well and respect democracy. And we’re not afraid to stand up to them when they don’t.

Please help keep SumOfUs strong by chipping in $3

Chip in $3

The bitter Sweet Taste Of Stevia
Public Eye (formerly Berne Declaration). 1 November 2015.
Stevia: the path to a benefit sharing agreement
Public Eye (formerly Berne Declaration). 16 November 2016.

Anúncios

Um grupo de policiais invadiu e expulsou moradores de suas casas no Complexo do Alemão

Imagina só: após um longo dia de trabalho, você chega em casa cansado e descobre que ela foi invadida por pessoas desconhecidas. Você não pode entrar e corre para denunciar o crime. Só que no meio do caminho, descobre o pior: quem está cometendo o crime é um grupo da própria Polícia Militar. É exatamente isso que está acontecendo no Complexo do Alemão.
No dia 14 de fevereiro, o Defezap mostrou ao vivo que policiais da UPP Nova Brasília, sob comando do Major Leonardo Zuma, invadiram e montaram “bases provisórias” nas casas de moradores, sem qualquer autorização, mandado ou respeito à lei. O Major Zuma, responsável pela operação, alega que as casas estavam abandonadas, mas, em visita ao local, a ouvidoria da Defensoria Pública, a Comissão de Direitos Humanos da Alerj e a OAB comprovaram que as invasões foram feitas ilegalmente, desmentindo a versão da PM. O caso seria absurdo e inaceitável em qualquer lugar da cidade, mas esse grupo de policiais continua agindo contra a lei sem ser incomodado.
A autoridade capaz de intervir para que os policiais saiam das casas é o Comandante Geral da PMERJ, Coronel Wolney Dias. Ele já sabe do ocorrido, mas como a repercussão do caso ainda é pequena, ele está numa posição confortável e preferiu fingir que não está vendo.
É por isso que precisamos nos mobilizar e criar uma onda de pressão no Coronel Wolney: se ele receber milhares de mensagens de cidadãos e cidadãs cariocas indignados com o que está acontecendo no Alemão, ele se sentirá obrigado a intervir imediatamente.
 

 

Envie o seu e-mail de pressão agora

complexoalemao

 

 

 

 

O filho de emigrante, ou refugiado, este palhaço de nome Trump

Kallstadt na Baviera. Uma aldeia com 1200 habitantes. Rodeada de vinhas e famosa na Alemanha festa “Saumagen”,   estômago recheado com carne de porco, batatas e especiarias. Eu nunca tinha ouvido falar tanto do resort ou para a direita antes de começar a tomar drogas Trump.”

filho de refugiado e imigrante que persegue negros, latinos, mulsumanos e imigrantes

É como começa o texto que não vou traduzir, você pode obter uma traduçãozinha meia boca no “gigante” e pode sentir a forma como um sueco está agora entendendo este palhaço filho dum emigrante que escapou da alemanha para começar com cabelereiro em Nova Iorque que terminou desovando o palhaço que dirige o país mais militarizado do globo e que pode com suas medidas de exceção, parecidas com estas que o seu lambaio no Alvorada imprime, decretos leis,  aporrinhar a vida de pretos, latinos e mulsumanos e até mesmo despertar a compreensão da colonia americana, chamada Suécia (ou da NATO,  o que dá no mesmo), sobre a desgraça dum imbecil sentado na sala oval. hahahaha!

A presidenta que fala com segurança e respeito

Num dos trechos de sua entrevista à agência AFP, a presidente eleita Dilma Rousseff afirma que não nutre sentimentos de ódio, rancor ou vingança em relação ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, na condição de presidente da Câmara, conduziu o golpe contra a democracia que atirou o Brasil no atoleiro atual; “não dei esse luxo […]

via Dilma: não dou luxo a torturador, nem ao Cunha | Brasil 24/7 — BRASIL S.A

Homo Sapiens – o animal sabido

Evolução do home, o animal sabido

Evolução do home, o animal sabido

http://www.countercurrents.org/2017/02/11/scenario-homo-sapiens/

in Life/Philosophy por  February 11, 2017

Traduzido por Tarcisio Praciano-Pereira

A metamorfose da mente humana superando de longe a visão histórica está ocorrendo. Os seres humanos finalmente devem compreender uma dura realidade: por suas próprias ações e omissões eles podem estar chegando ao fim (ou pelo menos da civilização como a entendemos hoje)  A dolorosa lição terá que ser aprendida e seremos forçados a aceitar que a manutenção da vida no Planeta Terra dependente de nossa  capacidade de viver em consonância com o seu ritmo natural, mesmo que este ritmo tenha se tornado fortemente estranho.

As temperaturas globais recentes nestes dois últimos anos têm sido as maiores já registradas na história. Ppm de CO2 atingiu agora o nível 400, (nota do tradutor quando o mundo científico considerava que atingir a marca dos 350 seria gravíssimo e é porisso que foi criada uma ONG com o nome  350.0rg ). Estima-se que o nível 450 será alcançado até 2030 e vai continuar a subir. (nota do tradutor Como foi predito, se passamos dos 350 seria difícil evitar que continuasse crescendo).  Então, temperas muito mais elevadas conduzindo a eventos como um loop de feedback hidrato de metano poderiam ocorrer.

Perante este cenário de risco ficam duas perguntas: Será que o Homo Sapiens irá sobreviver no Planeta Terra? E se sobreviver, como?

Aqui vou supor o caso da sobrevivência, entretanto, somente após a dor e o sofrimento de enormes proporções. Também vou descrever como essa dor e sofrimento serão os motores da mudança e também  vou  descrever como essa mudança irá resultar em uma interdependência planetária / cósmica distante da interdependência que trouxe a civilização humana ao presente estágio religioso filosófico da era Industrial/Scientific/Económica em que vivemos hoje.

Dor e sofrimento entre os seres humanos não é novodade. À medida que avançamos após o estágio de caçadores / coletores, a cada passo ao longo do caminho nossa espécie suportou dor e sofrimento. Depois que a dor e o sofrimento existem ajustes sempre seguidos no pensamento político, económico, social e religiosa  desta instituição que apoia esta maneira de pensar.

Após a desintegração, sempre segue uma “transição”, levando a um novo período (nota do tradutor  apenas este novo período pode voltar depois de milhares de anos e há uma hipótese de “os deuses não seriam astronautas” como sugeriu Sagan, mas humanos de uma civilização desaparecida como poderá desaparecer a nossa nos levando de volta à idade da pedra). No início, a transição se move lentamente. Em seguida, ele recolhe o força  e constrói em intensidade. Nunca há uma epifania repentina, com visitação dos bons  deuses acima, nenhuma compreensão global repentina que possa trazer a normalidade súbita.

Como os eventos ecológicos já começam a acontecer em ameaça a nossa civilização e forças planetárias poderosas começaram a se mover com pontos de ruptura já tendo sido atingidos, podemos concluir que este processo de recomposição vai se desenrolar.

Estamos prestes a entrar num período de tal mudança como resultado do nosso abuso dom do planeta. Uma breve descrição do cenário 100/200 ano segue:

Temperaturas ficarão ainda maiores do que as que vemos agora. Padrões climáticos e sobre-utilização serão extremamente prejudiciais para a produção agrícola. As cidades costeiras, todas serão destruidas. A acidificação dos oceanos terá destruído grande parte do estoque de comida de peixe e crustáceos. O tamanho da população do nível 8/9 bilhões estará pressionando todos os recursos disponíveis. Para seres humanos a existirem sob as  condições climáticas e atmosféricas adversas, estruturas fechadas e auto-suficientes vão ser necessárias em algumas partes do planeta. (nota do tradutor  um cenário típico de sobrevivência em Marte, por exemplo, o que não pode afastar de ser esta a razão porque a NASA investe tanto em pesquis sobre vida e sobrevência em Marte. Seria para aplicá-la aqui mesmo?  Porque, como conhecimento e com a tecnologia que temos hoje não há nenhuma forma de concluir que será possível uma expedição à Marte para lá estabelecer uma colonia humana!  então o conhecimento que se explora é para aplicar aqui mesmo… e possível com um grupo pequeno de “colonos”)

Segue-se uma descrição da resumida  de transição até o fim do cenário. Alcançar isso vai levar tempo: (nota do tradutor  ou na verdade aconteceria o que a NASA está prevendo em segredo, provavelmente.)

Como o cenário acima em desdobramento (nota do tradutor obviamente não sob a ótica do tradutor), um corpo político global vai encontrar o empoderamento (nota do tradutor poderia ser a ONU com os “cinco grandes” que são apenas três uma vez que os outros dois são simples colônias americanas que tem um sentimento de independência que nem Alemanha ou Japão podem guardar….) através de uma revisão da consciência coletiva do mundo num nível intelectual. Grupos de indivíduos racionais vãi ganhar poder e começar a instituir a mudança significativa. Isto será precedido por sucessivas ondas de ansiedade reverberantes toda a população em geral. Todos os níveis da sociedade vai finalmente chegar à conclusão de que o Homo Sapiens pode estar enfrentando o seu fim. Pontos de ruptura ecológicos serão o estímulo trazendo em uma nova forma de consciência humana e vontade de se adaptar e aceitar a mudança social, política, económica e religiosa. Expresso em termos metafísicos, haverá uma mudança na consciência humana para forjar uma nova forma de perspectiva de vida humana. (nota do tradutor extremamente otimista, mas até eu sou otimista, hahahaha! do contrário nem estava traduzindo este texto!)

A obstinação e falta de desejo de entender (nota do tradutor não é bem falta de desejo de entender e sim a imposição dos meios de comunicação à serviço de grandes interesses econômicos que forjam uma vontade política), testemunhado hoje, lentamente vai dar lugar a um entendimento mundial de ambos os aspecto, planetária realidade ecológica e humana/ cósmica. Isso vai começar a se formar em 25/50 anos (nota do tradutor não sei se aguentamos tanto tempo com as duas calotas, ártica e antártica em vias de extinção, os dois maiores espelhos térmicos que nos protegem). Acesso à Internet de alta velocidade será uma das razões para que isso venha a acontecer (nota do tradutor  com os donos do mundo tentando nervosamente dominar a Internet porque já reconhecem que foi um “erro” permitir um tal nível de liberdade individual). Quase todos os seres humanos estarão interligados por meio da Internet por meio de imagens visuais e tradução simultânea Inglês. Os cientistas vão fazer a divulgação das informação na Internet detalhando a repartição ecológica e oferecendo explicações da “realidade” para os distúrbios ecológicose a percepção de que a sociedade deve reconhecer as forças ecológicas que trabalham contra a sobrevivência das espécies estará entrando na mente do público em uma escala universal. (nota do tradutor aqui um erro de expressão do autor com o qual eu não posso conviver ou assumir, não são “as forças ecológicas que trabalhm contra a sobrevivênci das espécies” e não é nada disto!  A Terra existe e existimos nós como consequência dum sistema dinâmico que globalmente garante nossa existência, o tamanho da Terra, sua disância do Sol e sua capacidade, pelo seu tamanho e massa específica, de  guardar uma atmosfera – rompidas estas condições este sistema dinâmico terá suas propriedades alteradas o que representará um retorno à idade da Pedra ou anterior a ele para recomeçar um novo cíclo de reconstrução da vida onde nossa civilização será vista pelos que voltarem a viver aqui como astronautas que aqui estiveram de visita…o mito de Sagan em “seriam os deuses astronautas”.)

Neste palco de “pânico” construído, os ‘líderes políticos’ irão tomar medidas para manter o poder, tornando seus países habitáveis para eles mesmo e seus constituintes. A ‘elite’ política/financeira em cada país avançado tentará preservar o seu status quo e manter a lei de auto-serviço e da ordem internamente através das instituições existentes. questões ecológicas serão uma questão importante, mas não de todo importantes. Ao mesmo tempo uma ampla gama de correções internas vai entrar em jogo. As instituições internacionais vai assumir um papel fundamental no nível político global, Outras formas de tratados ecológicos sobre Clima serão assinados. As organizações humanitárias também vão desempenhar um papel activo. O que é importante para entender aqui é que por todo este século 21 as “correções” que sairam dos quadros institucionais e culturais do passado não serão capaz de resolver os problemas ecológicos subjacentes como as tentativas de transplante para o presente dos quadros institucionais e culturais de épocas passadas, como a egípcia de 3000 anos atrás  ou a grega ou romana da chamada “era antes de cristo” ou mesmo  do quadro-americano de 1776.  O ponto aqui é que será necessária uma arquitetura social inteiramente nova.


Até aqui eu traduzi com o objetivo de sugerir que você mesmo lesse se o excerto traduzido o possa convencer que merece o esforço de ler e entender.  Eu  mesmo, aos poucos terminei por me afastar do autor como comprovam as minhas “notas do tradutor” e não é porque eu imagine que eu saiba mais do que ele, até porque estou convencido de que ninguém pode imaginar, o que irá acontecer uma vez que os fatos fogem à nossa percepção por serem interamente novos para nossa experiência e quantidade de transformações ultrapassa a nossa capacidade de análise científica.

 

 

 

 

 

 

REFORMA DA PREVIDÊNCIA É “BOMBA” CONTRA TRABALHADOR

16.08.2016
Do portal BRASIL247,12.08.16

Moreira Mariz: <p>Senador Humberto Costa (PT-PE) concede entrevista. Foto: Moreira Mariz/Agência Senado</p>

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou que a reforma da previdência que vem sendo preparado pelo vice-presidente em exercício Michel Temer (PMDB) cairá como “uma bomba” para os trabalhadores uma vez que “fala em ampliar consideravelmente a idade mínima para aposentadoria e estipular uma regra que deva ser a mesma para quem começou a trabalhar aos 18 anos e quem iniciou a sua vida profissional aos 30. Isso só favorece as distorções”; parlamentar também criticou a proposta do governo em querer fazer a reforma da previdência sem passar pelo Congresso Nacional. “É um abuso de poder, um tema como esse precisa ser debatido no Congresso”, afirmou

Pernambuco 247 – A reforma da previdência que vem sendo preparado pelo presidente interino Michel Temer (PMDB) cairá como “uma bomba” para os trabalhadores. A avaliação é do líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE). Segundo o senador, o projeto prejudica quem já está na ativa e deve ampliar distorções dentro do sistema previdenciário.

“O que o governo está vendendo aí como se fosse uma solução para as contas públicas é, na verdade, uma penalidade para os trabalhadores. Ele fala em ampliar consideravelmente a idade mínima para aposentadoria e estipular uma regra que deva ser a mesma para quem começou a trabalhar aos 18 anos e quem iniciou a sua vida profissional aos 30. Isso só favorece as distorções”, denunciou Humberto Costa.

O pacote da previdência deve mudar drasticamente planos de aposentadoria de cerca de 80% dos trabalhadores que estão na ativa. Para os 20% restantes, também deve haver mudanças, mas menos drásticas. A proposta de Temer também prevê a unificação da idade para a aposentadoria de homens e mulheres.

“Essa é mais uma marca de um governo misógino, que é formado apenas por homens brancos e ricos. No mercado de trabalho, as mulheres ganham menos fazendo a mesma função, isso sem falar nas jornadas muitas vezes duplas ou triplas das que são mães. Não é uma questão de privilégios. É uma questão de justiça social”, afirmou.

O senador também criticou a proposta do governo interino querer fazer a reforma da previdência sem passar pelo Congresso Nacional. “É um abuso de poder, um tema como esse precisa ser debatido no Congresso, com as entidades que representam os trabalhadores. Mas como Temer sabe que a reforma que ele quer geraria uma grande reação, ele quer tentar fazer tudo na surdina. Está cada vez mais claro que o golpe para tirar uma presidente proba e legitimamente eleita não é só contra Dilma, mas contra os trabalhadores”, concluiu.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

*****