Não parecemos seres humanos, parecemos hienas selvagens

The evidence is shocking
No images? Click here

Amnesty_International_Australia
Help_Save_Rohingya_Families

Tarcisio, they’re setting fire to entire villages & shooting people trying to escape.

Will you help our crisis team stay on the ground?

EMERGENCY UPDATE: New satellite evidence shows that now more than 80 villages in the Rakhine State of Myanmar have been set ablaze. This is a targeted attempt to harm already vulnerable Rohingya families.

Family homes, neighborhoods and entire villages  – torched to the ground.

And as terrified families flee for their lives, many have been killed.

Because the Myanmar military are shooting people as they try to escape.

Our Crisis team have used active fire-detection data, satellite imagery, photographs and videos from the ground in order to expose this level of devastation.

Tarcisio, with your support we can continue to gather critical evidence like this, expose the truth and help end the violence. Please make an urgent donation today.

“The military attacked at 11am. They started shooting at houses and at people, it went on for around an hour. After it stopped, I saw my friend dead on the road. “

“When people fled, they burned the houses with bottles of petrol and rocket launchers. The burning continued for three days. Now there are no homes.” – A Rohingya man who fled his home

Every day thousands of families have been forced to cross the border in search of safety in Bangladesh.

But people are still trapped in Myanmar, unable to escape the violence.

They’re traumatised and exhausted with nowhere to go.  Many people, including children, are injured.

But the military continues to restrict access to humanitarian organisations, including medical aid and food, in northern Rakhine State.

We’ve been exposing the violence and abuse towards the Rohingya people in both Myanmar and Bangladesh for more than 20 years.

And this is by far the worst crisis we’ve seen there.

Tarcisio, I’m on the ground in Bangladesh right now and we urgently need your support to stay here, where we’re needed most. Please give $30 to help end the violence.

We will not stop until they’re safe.

It’s clear what has to happen next. The international community must put pressure on Myanmar to end its campaign of violence, we can’t look away.

We won’t let the Myanmar military get away with this.

Enough is enough. The time is now.

Together we can help end their suffering.

Anúncios

Sabia que do projeto “licença para matar”? e sua posição?

Você ja pensou no assunto?  Já pensou que militares, polícia ou exército, no espirito deste projeto de lei, passarão a ser jugados por seus “pares” em caso de assassínio de civis?  É, a tal da “justiça militar” hahahaha!

Já pensou que o projeto de lei equipara a tensão social com atividde de guerra em que os “nossos” militares (meus mesmo não!  eu detesto militares!)   estão em guerra com o povo brasileiro?

Já pensou, provavelmente, que isto não lhe diz respeito, se você for “branco” (não é o meu caso, eu sou meio amarelado, entre róseo e claro, coisa que muito qualificam como branco….hahahaha) mas isto nos deixa com uma certa “segurança”.   Entretanto ninguém tem segurança contra balas perdidas ou contra o sadismo natural das brigadas militares e pode até mesmo sobrar para nós, os brancos!

Mesmo que no meu caso eu imagine que estou numa certa faixa de “segurança” repugna-me aceitar esta guerra dos “nossos” militares (meus mesmo não!  eu detesto militares!) contra parte de nossa população, basicamente os “pretos” ou os mais pobre!

Infelizmente, o PL do Licença para Matar (PLC 44/2016) acaba de ser aprovado na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado.

Agora, o projeto segue para o plenário com urgência e deve ser votado no começo da próxima semana.

Nossa missão continua a mesma: resistir e lutar para que esse projeto não seja aprovado. Já estamos elaborando uma nova estratégia de ação.

Para receber em primeira mão os próximos passos desta mobilização, envie “Licença para Matar” para o nosso Whatsapp: 21 9 9436-8403

Um abraço e seguimos!

STJ apenas comutou a prisão do inocente Rafael Braga – prisão domiciliar!

Finalmente uma boa notícia!
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) acabou de conceder uma liminar que autoriza que Rafael Braga continue cumprindo sua pena em regime de prisão domiciliar. 

Rafael contraiu tuberculose na prisão e, desde que foi diagnosticado, os advogados do DDH (Instituto de Defensores de Direitos Humanos) vinham tentando que ele fosse para casa fazer o tratamento, já que as condições da prisão são precárias – e só hoje a decisão veio.

Isso é um avanço, mas sabemos que essa decisão não garante nenhuma liberdade para Rafael. Por isso, mais do que nunca, precisamos continuar mobilizados para que ele seja libertado, absolvido e que a justiça seja feita. 

Para ficar sabendo sobre os próximos passos dessa mobilização envie “Rafael” para nosso whatsapp: 21 9 97622 8170.

GGN e o DCM vão investigar a indústria da delação premiada na Lava Jato e contam conosco

O Jornal GGN e o DCM vão investigar a indústria da delação premiada na Lava Jato e contam com você

 

Pela primeira vez, o DCM e o Jornal GGN, duas das marcas mais conhecidas do jornalismo digital, vão participar juntos de um projeto de crowdfunding

Nos últimos anos, o maior negócio do meio jurídico foi a indústria da delação premiada na Lava Jato. 

Advogados foram contratados por honorários milionários, de dezenas de milhões de dólares, para oferecer aos clientes o conforto de uma negociação confiável com procuradores e juiz da Lava Jato.

Ter a confiança do magistrado passou a ter um valor inestimável. Ao mesmo tempo, surgiram discrepâncias variadas entre as sentenças proferidas, algumas excessivamente duras, outras inexplicavelmente brandas.

Tudo isso ocorre no reino de Curitiba, território em que a justiça criminal é dominada há anos pelo grupo que conduziu a Lava Jato, juiz Sérgio Moro à frente.

Esse modelo ganha consistência no caso Banestado, em que não houve culpados.

As reportagens visarão levantar as origens dessa parceria, as razões de criminosos notórios, como Alberto Yousseff, sempre sair beneficiados, o caso da advogada Beatriz Catapretta e os negócios envolvendo Rosângela Moro e escritórios de advocacia de Curitiba, incluindo as relações entre ela e Marlus Arns, consolidadas no período em que ambos atuavam para a APAE do Paraná.

Um capítulo especial será dedicado ao aprofundamento das revelações do advogado Rodrigo Tacla Durán, que teria sido procurado pelo também advogado Carlos Zucolotto Júnior, amigo de Moro, com uma oferta de venda de facilidades na Lava Jato, com um acordo de delação premiada em condições mais favoráveis.

O dinheiro arrecadado servirá para custear o trabalho dos repórteres em Curitiba, Belo Horizonte e outras cidades, eventualmente do exterior. As matérias serão publicadas nos dois sites simultaneamente. 

No final, um vídeo reportagem será produzido.

Contamos com você. 

Números primos

Um número primo é um número natural positivo,
maior do que 2, que não pode ser decomposto como um produto de outros
números naturais. 7 é um número primo, assim como 5,3 e 2. Mas,
como 8 = 2^{3} então 8 não é um número primo. O crivo
de Eratóstenes
é a lista dos
números primos até um certo “último número primo”, observando
que o conjunto dos números primos é infinito, é o chamado
teorema de Euclides, é um dos teoremas fáceis da Álgebra.
Este meu programa, escrito em Python, gera o crivo de Eratóstenes do tamanho que
você desejar, aqui está o resultado para os números primos menores do que 10000
Primos

obtido com o meu programa para produzir o crivo de Erastótenes
Este programa, escrito em Python produz o crivo
de Eratóstenes
até onde você quiser. O programa tem um defeito e agradeço
quem mo possa indicar, precisei inverter o \emph{sinal} da função
predicado que verifica se um número é primo. Também ela poderia começar
o teste com \frac{k}{2}, outra otimização, mas eu não
consegui melhorar o programa.

Programa

O teorema fundamental da Álgebra
afirma que todo número inteiro maior do que 2 pode ser escrito de
maneira única como um produto de fatores primos, a menos da ordem como
estes fatores apareçam:
n \in \Z; n > 2; n = q_{1}^{\alpha 1}\cdots q_{r}^{\alpha r}
quando dizemos que n tem r fatores primos distintos.

\index{Eratóstenes!crivo de}
\index{Euclides}
\index{teorema!fundamental da Álgebra}

Parem de fatiar o Brasil para distribuí-lo com as raposas do golpe.

Não ao deserto na Amazonia

“Pedimos o abandono total e definitivo da PL 8.107/17. Exigimos também que ouçam o apelo do povo brasileiro e parem, de uma vez por todas, de passar leis, decretos e qualquer outra medida legislativa irresponsável para agradar interesses da bancada ruralista e outros poderosos. Esse abuso gera o desmate e destruição irreversível da floresta Amazônica, patrimônio da humanidade das gerações atuais e futuras.”

Amazonia é nossa mas menos nossa do que de toda a Humanidade. Apenas nós somos os guardiões da Amazônia tendo como síndicos o povo das florestas.

Amazonia é nossa mas menos nossa do que de toda a Humanidade. Apenas nós somos os guardiões da Amazônia tendo como síndicos o povo das florestas.

Não se pode esperar decência e nem respeito dentro dum golpe. Por natureza os golpes vêm para destruir as regras de convivência porque um grupo pensa que pode impor aos demais os seus interesses. É o inverso do se que se espera numa democracia em que um contrato se estabelece, chamado Constituição e que amarra a tod@s num comportamento comum. As constituições são resultados de golpes brandos porque afinal elas não representam os interesses das minorias e são produzidas por “eleitos” num processo em orquestrado pelo poder econômico portanto reflete os interesses dos grupo econômicos dominantes, mas é aquilo que de menor mal se tem e assim foi feita a Constituição Cidadã que sabiamente, mas também ingenuamente, inseriu em seu contexto a possibilidade de emendas que viraram remendos.

Precisamos, urgentemente, revisar a Constituição Cidadã para que ela volte a ser um contrato social aceitável e sobretudo amarrar melhor as emendas submetendo-as a plebiscitos como é que se faz em toda parte uma vez que o Congresso vigente não pode ter poderes para emendar a seu gosto o contrato social ao ele esta submisso.

Neste momento, tentam rasgar a Amazônia e com ela o resto da Constituição. Amazonia é nossa mas menos nossa do que de toda a Humanidade. Apenas, nós, somos os guardiões da Amazônia tendo como síndico o povo das florestas.