Prisão de Lula poderia ocorrer na segunda – alerta para a luta!

 

https://jornalggn.com.br/noticia/prisao-de-lula-pode-ocorrer-na-segunda-e-imprensa-ja-tem-detalhes-diz-eduardo-guimaraes#.WePB9u9IFVA.facebookalerta para a luta

Jornal GGN – O blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, publicou na tarde desta sexta-feira (14) uma nota informando que o ex-presidente Lula deve ser preso a qualquer momento e que parte da grande mídia já teria detalhes da operação que levará para Curitiba outros petistas. Segundo Guimarães, “não será de espantar se a prisão ocorrer na próxima segunda-feira”, considerando que foi antecipada por “sucessivos indiciamentos”, “engendrados para ir preparando o espírito da população”.

“Este é um dia de muita tristeza para este blogueiro. Chegaram ao meu conhecimento informações fidedignas e verossímeis de que Lula pode ser preso a qualquer momento em um verdadeiro show que está sendo armado pela Globo em consórcio com a Lava Jato. (…) Infelizmente, minha fonte é segura. E nem fui pego de surpresa. Eu tinha certeza de que isso estava para acontecer. A informação que me foi passada só me surpreendeu pelo timing; eu achava que o golpe final seria dado no ano que vem”, publicou o blogueiro.

Essa semana, Lula virou réu pela terceira vez, mas não pela Operação Lava Jato. Ele foi acusado pela Procuradoria do Distrito Federal de ter praticado tráfico de influência em favor da Odebrecht em Angola. Em troca, teria sido contratado para fazer palestras e intermediato a subcontratação da Exergia Brasil, de Taiguara Rodrigues (o “sobrinho”). Na visão dos procuradores, a empresa é de fachada e teria pago despesas pessoais de Frei Chico, irmão de Lula.

A defesa do ex-presidente negou as acusações e apontou que não faz sentido uma denúncia em que Lula aparece fazendo lobby para a Odebrecht conquistar R$ 7 bilhões em financiamento do BNDES para receber, em troca, R$ 20 mil em plano de saúde e combustível para seu irmão. Além disso, o advogado Cristiano Zanin enviou nota à imprensa reafirmando que Lula é vítima de lawfare – uso distorcido das leis para destruir um inimigo público. O criminalista disse, em coletiva de imprensa, que a Lava Jato e outras investigações centradas em Lula têm um objetivo em comum: inviabilizá-lo como candidato em 2018.

Essa semana, a jornalista Helena Chagas também publicou que o ministro Teori Zavacki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou uma série de medidas cautelares, em caráter estritamente sigiloso, o que indicaria que uma nova fase da operação está em andamento. No Supremo, Lula é investigado por suposta tentativa de obstruir a Lava Jato.

Na visão de Guimarães, a prisão de Lula pode ter sido acelerada para evitar que o desempenho ruim do governo Michel Temer crie uma massa crítica capaz de endossar manifestações a favor do ex-presidente.

“Os golpistas consideram que haverá uma comoção pública com as medidas de supressão de direitos e eliminação de programas sociais que vêm por aí e, nesse contexto, o recall de Lula ressurgirá com força inaudita. (…) Este momento está sendo considerado o ideal para prender Lula porque a maioria da sociedade ainda está com muita raiva do PT e essa raiva tende a se diluir conforme for ficando claro que o golpe foi dado para tomar do povo os benefícios dados justamente pelo PT.”

Clique aqui para ler a íntegra, no Blog da Cidadania.

Anúncios

Segredos de Estado

En respuesta a la elección de Salvador Allende el 4 de septiembre de 1970, el Presidente de EEUU, Richard Nixon, y su principal asesor en política exterior, Henry Kissinger, pusieron en marcha una serie de operaciones encubiertas para impedir que Allende entre a la Moneda y, tras no lograrlo, generar las condiciones para que se produjera un golpe militar.

En esta exposición “Secretos de Estado. La historia desclasificada de la dictadura chilena”  Peter Kornbluh —investigador que ha jugado un rol fundamental en la campaña para desclasificar 23.000 archivos de la CIA, NSC, FBI, Casa Blanca y el Departamento de Defensa del Estado— se muestran una serie de documentos desclasificados que nos permiten entender la historia secreta del golpe de Estado y la dictadura chilena junto al apoyo que entregó EEUU, tanto a la Junta Militar como a medios de comunicación. Los documentos también dan luz a la represión estatal, la Operación Condor y los esfuerzos encubiertos de Pinochet para sostenerlo en poder cuando ganó el “NO” en el plebiscito de 1988.

Entrevista a Peter Kornbluh

Peter Kornbluh  se ha desempeñado oor más de 30 años como Analista Senior en el Archivo de Seguridad Nacional,una organización sin fines de lucro en donde es Director del proyecto de Documentación de Chile que ha logrado conseguir la desclasificación de miles de documentos que dan luz a la historia de intervención de los Estados Unidos en Chile y los abusos a los derechos humanos del régimen de Pinochet.

Peter Kornbluh después del arresto del general Pinochet en Londres lideró una campaña para convencer a la Administración de Clinton para la desclasificación de 23.000 archivos de la CIA, del FBI, de la NSC, de la Casa Blanca, de la Defensa y del Departamento de Estado de los Estados Unidos y Chile, entre 1970 y 1990. Parte de esta documentación fue donada por él como parte de una colección indexada de más de 5000 documentos relativos a Chile al centro de estudios del Museo de la Memoria y los Derechos Humanos.

Se destaca en su trayectoria su participación para proporcionar testimonios de expertos y documentación como prueba de varios casos de derechos humanos, incluyendo la investigación del juez Juan Guzmán sobre los crímenes de la Operación Cóndor, el asesinato de Charles Horman y Frank Teruggi, la desaparición de Boris Weisfeiler, el caso de Los Quemados y la investigación sobre el papel de Agustín Edwards en la subversión de la democracia chilena. Así como proporcionar documentos y testimonios al juez Baltazar Garzón en España durante sus esfuerzos por procesar al general Pinochet.

Por su trabajo en Chile, el gobierno de Michelle Bachelet ha elegido a Sr. Kornbluh para ser incorporado al Orden de Bernardo O’Higgins. El premio será presentado por el embajador de Chile en Washington el 1 de octubre de 2017.

Autor de “Pinochet: Los Archivos Secretos”, libro sobre la dictadura militar y el papel de los Estados Unidos en Chile; “The Pinochet File: A Declassified Dossier on Atrocity and Accountability”, Nueva York, The New Press, 2003, Edición 2013; “Los EEUU y El Derrocamiento de Allende”, Santiago, Ediciones B, 2003, “Chile and the United States: U.S. Policy toward Democracy, Dictatorship, and Human Rights, 1970-1990”, una colección digital de 2000 documentos desclasificados, publicados por el Archivo Nacional de Seguridad, 2008.

A europa unida, mas apenas com grandes países, hahahaha!

CONSIDERAÇÕES VÁRIAS SOBRE UM COMENTÁRIO

Brasilino Godinho

SOU EUROPEÍSTA E NÃO CONCORDO COM UMA EUROPA DE PEQUENOS ESTADOS. PRECISAMOS DE UMA EUROPA UNIDA AGORA MAIS DO QUE NUNCA POR RAZÕES ÓBVIAS…”

Parafraseando a precedente frase direi que, por óbvias razões, sou por uma Europa onde caibam pequenos, médios e grandes Estados. E onde não se invalide ou impossibilite a Europa Unida. Todos, grandes e pequenos Estados, – absolutamente todos! – têm direito a existência digna e livre de opressões e de arbitrariedades; estas, sempre exercidas pelos mais fortes em relação aos mais fracos.

A união da Europa foi ideia concebida pelo cidadão francês Abade de Saint-Pierre que a expressou em texto designado PROJECTO PARA TORNAR PERPÉTUA A PAZ NA EUROPA, escrito em 1713. O filósofo suíço Jean-Jacques Rousseau, por sua vez, deu-lhe – em 1756 – divulgação através do seu estudo: EXTRACTO E JULGAMENTO DO PROJECTO DE PAZ PERPÉTUA DE ABBÉ DE SAINT-PIERRE. Durante dois séculos a ideia de Abade de Saint-Pierre foi considerada utópica.

No entanto, quando terminaram as duas grandes guerras do século XX, foram criadas, respectivamente, a Sociedade das Nações e a Organização das Nações Unidas (ONU), ambas com recurso de aplicação das ideias de Abade de Saint-Pierre e de Rousseau.

A União Europeia é uma criação do pós-guerra de 1945 inspirada no PROJECTO PARA TORNAR PERPÉTUA A PAZ NA EUROPA, tendo em vista acabar com os conflitos no continente europeu, especialmente entre a Alemanha e a França, e fomentar a união entre os estados europeus e a fraternidade entre os povos da Europa, sem exclusão de nações, ditas pequenas e de média dimensão.

Isto escrito para afirmarmos que a Europa tem de se unir e viver num estável clima de respeito mútuo partilhado pelas nações do velho continente e com activo repúdio por tudo que seja ofensivo do território, da dignidade, da cultura, da língua e das condições económico-financeiras, de cada uma delas.

Tal com sucede com uma família numerosa a União Europeia tem que se configurar como a grande família europeia. Em condições de uma regular vivência em que todos os seus membros desenvolvem diariamente a aprendizagem do convívio, da consideração e do respeito, que se devem uns aos outros; e em que os mais velhos não têm regalias ou tratamentos singulares em detrimento e humilhação dos que são mais pequenos.

E será sobre este prisma de fraternidade, seriedade, justiça, respeitabilidade e compenetração moral e ética, que se alcançará o desígnio de uma Europa Unida.

Se assim não for, os cristãos fervorosos bem poderão ir rezando pela alma do ente colectivo ao qual, em recente data, alcunhámos de Europa Unida.

Na Inglaterra, debate dos Veteranos pela Paz – Inglaterra

Putney Debates 2017: Dissent and Debate in the Armed Forces
Sat 28 Oct | 12:00-16:00
St Mary’s Church

High Street
Putney
London
SW15 1SN
Register Here

StopWar

Stop de War coalition

Organisado por : Veterans For Peace UK »

Organised by: Veterans For Peace UK »

Neste mes de Outubro VFP UK estará sediando uma série de debates sobre o conceito de democracia, debate e oposição nas Forças Armadas e o seu impacto na nossa sociedade.

This October VFP UK will be hosting the first of a series of debates on the concept of democracy, debate and dissent in the Armed Forces and the impact on our society and history.

Entre os que falam se encontram historiadores John Rees, editor do novo livro  ‘John Lilburne and the Levellers, reappraising the roots of English Radicalism 400 years on’, w  Julian Putowski, autor de  ‘Shot at Dawn’.  O evento se dedica ao debate com um oposicionista de hoje o ex-soldado  Ben Griffin e  o famoso autor de ‘Soldier Box’ Joe Glenton.  A audiência será encorajada a se manifestar.

Keynote speakers include historians John Rees, editor of the new book ‘John Lilburne and the Levellers, reappraising the roots of English Radicalism 400 years on’, and Julian Putowski, author of ‘Shot at Dawn’. The headline of the event will be a debate with modern day dissenters former SAS soldier Ben Griffin, and renowned author of ‘Soldier Box’ Joe Glenton. In each session audience feedback, questions, and debate will be encouraged.

No final da primeira Guerra Civil Inglesa, soldados e civil e pessoas de significado se juntaram num debate pelo futuro da Inglaterra e sua participação nele. Os debates começaram em 28 de Outubro de 1647 na  igreja St Mary’s Church em Putney. Muitas das ideias ali ventiladas de sobre democracia, representatividade e direito da terra ainda não foram atingidas como a abolição da casta dos “lords”, “the House of Lords”.  Foi um começo de discussão sobre democracia e os direitos populares na sociedade moderna.

At the end of the first English Civil War soldiers, civilians, and men of power came together to debate the future of England and their place in it. The debates started on 28th October 1647 at St Mary’s Church in Putney. Some of their ideas on democracy, representation, and land rights have still not been achieved, such as the abolition of the House of Lords. This was the beginning of the discussion about democracy and the rights of people in a modern society.

Pela primeira vez nestes 370 anos depois do movimento de 28 de Outubro de 1647 que os veteranos se reunem para comemorar o evento e discutir suas consequências na atualidade.

This is the first time in 370 years that veterans have come together to commemorate this event and discuss the big issues of the day.

Começa 12:00 h e a entrada é livre.  Maiores informações por favor olhem nossa página no Facebook ou envie e-mail para  1647@vfpuk.org

Starting at 12:00 hrs, entry is free. For further information please refer our Facebook pages or email 1647@vfpuk.org

StopWar

Stop the War coalition

E a injustiça Militar é que julgaria crimes de militares contra civis!

 

PLC 44/2016
PROJETO DE LEI DA CÂMARA nº 44 de 2016

 

Neste momento em que votei, o “placar”  (parece jogo, mas é questão de vida ou morte para alguma pessoas) estava 48 (a favor)  contra 145.   Quer dizer que de cada 3 pessoas uma concorda que deva julgar crimes de militares contra civis seja a própria patota dos militares.

Quer fazer mais pressão ainda?! Ligue para o Senado Federal (0800 612211) e diga ”eu não concordo que militares sejam julgados por militares quando cometerem crimes contra civis. Sou contra o PLC 44/2016 que está na pauta do plenário hoje!” NÃO VAMOS FICAR CALADOS!

https://anistia.org.br/entre-em-acao/email/acao-urgente-proposta-de-lei-pode-deixar-militares-impunes/

NÃO VAMOS FICAR CALADOS!