A soberania dos país não está no radar dos que “comandam” o país.

Fonte: Celso Amorim | “Soberania não está no radar das pessoas que estão dirigindo o país”

via Celso Amorim | “Soberania não está no radar das pessoas que estão dirigindo o país” — BRASIL S.A

Anúncios

Sem revolução não teremos mudanças.

Coordenador da Frente Nacional Luta Campo e Cidade, Zé Rainha, um dos mais conhecidos ativistas na luta pela terra no Brasil, articula uma grande marcha nacional para o próximo 21 de maio em defesa da liberdade de Lula; o ato deve mobilizar 500 pessoas, que sairão de 11 estados; “Eu não consigo ver esse Brasil […]

via Zé Rainha: sem revolução, não teremos mudança | Brasil 247 — BRASIL S.A

Scripts do gnuplot, memorizando o trabalho

scripts do gnuplot memorizando o trabalho

Tarcisio Praciano-Pereira

Este é o segundo artigo dum série sobre
gnuplot, um programa para
fazer gráficos. Aqui eu vou mostrar como memorizar o trabalho o que
pode ser mesmo que planejar o trabalho no
gnuplot. Estas duas formas de falar servem para
encobertar que é possível
fazer programas em gnuplot, apenas gnuplot
não é oficialmente uma linguagem de programação.

A versão mais completa desta artigo você encontra na Sobral Matemática e ele faz referência a programas para rodar com gnuplot
que você pode baixar dum link indicado. Meus programas são todos distribuído com
a licença GPL na versão que melhor lhe convier.

Dedico este artigo ao prisioneiro político Luís Inácio Lula da Silva!

Este artigo é continuação deste artigo que seria interessante que você lesse como prerequesito para este. Nele
eu estabeleço como condição de trabalho que você abra dois terminais
e num deles execute

gnuplot

e no outro faça o mesmo mas o reserve para executar o
help na medida em que for necessário. Este é o cenário do artigo.
Também é importante que você esteja no diretório certo, vou supor
que este cenário acontece num diretório que vou chamar de gnuplot e
nele que devem estar todos os programas que eu lhe sugerir que
baixe da Sobral Matemática. Não fazendo isto podem ocorrer
erros do tipo

“Gnuplot02_02.gnuplot”, line 0:
Cannot open script file ‘Gnuplot02\_02.gnuplot'”

em que gnuplot está dizendo que não pode encontrar
o arquivo \texttt{"Gnuplot02_02.gnuplot} porque eu fiz um
"load" em diretório errado, em que não havia

o programa “Gnuplot02_02.gnuplot”.

Uma chateação é definir funções num terminal do gnuplot e quando ele
for encerrado ficar todo o trabalho perdido. Uma solução para este incômodo
é guardar as informações num arquivo e depois carregá-lo para dentro
do gnuplot.

Deixe-me começar com um exemplo que lhe peço que execute para que eu teça
comentários em cima da experiência que você adquiriu. Baixe
o arquivo Gnuplot02_02.gnuplot
colocando no mesmo diretório onde você estiver executando o gnuplot
e agora execute, no terminal do gnuplot

load “Gnuplot02\_02.gnuplot”

não esquecendo as aspas. Se você esquecer gnuplot vai lhe dizer que
você terá cometido um erro associado uso de texto. Não vou entrar no detalhe
deste erro que depois deverá ficar claro para você, se errar, corrija!

É interessante ler o arquivo
Gnuplot02_02.gnuplot abrindo-o com qualquer editor de textos
antes de executá-lo e depois também, tentando entender o que aconteceu.
Melhor será ainda que você altere o arquivo, mas não se esqueça de guardar
uma cópia de reserva para poder recomeçar do ponto de partida quando
houver erro.

O resultado deste comando “load” foi a abertura duma janela
gráfica com os gráficos de três funções e um título na janela gráfico
que você deve observar está escrito usando ortografia correta do português.
O responsável é a função sprintf() e eu ainda vou retornar a
discutir esta função mais para frente. Neste momento interessa apenas que
ela permite escrever frases com a ortografia correta, entretanto, você
não pode fazer isto diretamente no terminal do gnuplot.
Experimente e verá
que tipo de ocorre: raspe e cole o comando

set title sprintf( “minha primeira função – gnuplot sabe somar funções”);

para ver o que ocorre. Não vou entrar, neste momento nas
possibilidades que sprintf() oferece, o que me interessa agora
é que possivel editar uma lista de comandos do gnuplot, gravá-los num
arquivo e depois carregá-lo com load.

A única novidade em Gnuplot02_02.gnuplot sobre o que foi exposto
em Gnuplot02_01.gnuplot é uso
de sprintf() para formatar o título da janela gráfica de
gnuplot. Observe que neste script eu redefini a função potência e
como você poderá ter uma série de funções ou constante que sejam
interessantes para usar com gnuplot, você poderá criar um arquivo,
por exemplo BibliotecaGnuplot.gnuplot em que você registra
as denifições que lhe forem caras e ao iniciar qualquer sessão com
gnuplot que seja o primeiro comando

load "BibliotecaGnuplot.gnuplot"

Observe que estou lhe sugerindo um nome para bibliotecas de programas e que não
se trata dum programa que você possa encontrar para baixar. Mas de você me pedir
eu posso enviar-lhe ou passar-lhe um link para uma biblioteca que já tenho para
usar com gnuplot.

Retornando aos comentários sobre o
arquivo Gnuplot02_02.gnuplot,
ele é uma pequena apresentação sobre função quadrática e gnuplot
lhe dá uma alternativa bem interessante para usá-lo como gerenciador
de apresentações. Sei que isto funciona bem sob Linux e não posso
garantir como funciona sob outros sistemas uma vez que uso exclusivamente
computadores rodando Linux, porque eu sou livre e amo a liberdade!

Abra um novo terminal e nele digite

gnuplot Gnuplot02_02.gnuplot

observe agora a ausência de aspas, porque, você está passando
um arquivo para gnuplot o que é diferente de estar dentro do
gnuplot e carregar um arquivo. Você está rodando gnuplot e lhe passando
um lista de comandos que é o conteúdo do arquivo
gnuplot Gnuplot02_02.gnuplot.

Abra o arquivo com um editor de textos noutro terminal enquanto você
executa gnuplot Gnuplot02_02.gnuplot. Entenda como se você
estivesse fazendo uma apresentação, jogando numa tela de projeção
o resultado desa operação. Inclusive sugiro que você melhore
a apresentação a seu gosto incluindo mais comandos “print
explicando melhor o assunto – equação do segundo grau.
Não se esqueça de dividir sua explanação em blocos separados pelo
comando

pause -2 "aperte para continuar "

e compare com o resultado do comando

pause 5 "vou prosseguir em 5 segundos"

A diferença está em fornecer um parâmetro positivo ou negativo
para pause. Se você fornecer um número qualquer negativo,
pause vai aguardar, pacientemente, pelo uso do .
Fornecendo um número positivo, ele vai contar os segundos que correspondem
ao número. Leia e roda Gnuplot02_03.gnuplot
e sobretudo leia para verificar como difere de
Gnuplot02_02.gnuplot.

Você tem, assim, dois métodos para rodar gnuplot:

  1. usando load quando chamar um script de
    dentro do gnuplot,

  2. chamando gnuplot e lhe passando na linha de comandos
    o nome do arquivo que contém o script, e neste caso, sem aspas.

Leia e rode a nova versão do programa, Gnuplot02_04.gnuplot.

Encriptação

Dedico este artigo ao prisioneiro político da ditadura fascista que nos assola, Luís Inácio Lula da Silva. #LulaLivre

Aqui dois aplicativos simples para você encriptar o que escrever, por exemplo, o
arquivo com suas senhas. Claro, roda em Linux e eu não uso este outro troço vulgarmente chamado de sistema operacional.

#! /bin/bash

function apeteco (){
echo “Aperte uma tecla para continuar”;
read teste;
return 0;
}
function encripta() {
gpg -c -o$1.gpg $1
## less $1
rm $1
return 0;
}

encripta $1
apeteco;

Coloque-o no diretório em que ficam os programas executáveis. Na minha máquina
eu tenho um /home/tarcisio/bin e é lá que coloco os arquivos executáveis que eu
escrevo.

Como usar? Num terminal execute:

decripta nome_arquivo

em que “nome_arquivo” é o arquivo que você deseja encriptar. Vai lhe ser pedida uma senha que ainda vai ser pedida outra vez para verificar, sendo produzido o arquivo

nome_arquivo

que é o arquivo encriptado. Aqui havia um erro, corrigi agora! O comando errado
era

nome_arquivo.gpg

A extensão não é necessária, o meu programa acrescenta a extensão “gpg” quando fizer a enctriptação e a retira quando fizer desencriptação.

Este você pode enviar pela rede para quem você quiser com segurança e repassar a senha para quem o vai receber por outro canal. Ou simplesmente guardar num pendrive e levar consigo no bolso. Por exemplo a lista de suas senhas.

É necessário que o gpg esteja instalado, no Debian/gnu/Linux e seus derivadas, como ubuntu, mint você instala com o comando

sudo apt-get install gpg

se não já estiver instalado.

Agora o outro programa para desencriptar é

#! /bin/bash

function apeteco (){
echo “Aperte uma tecla para continuar”;
read teste;
return 0;
}

function decripta() {
gpg -d -o$1 $1.gpg
less $1
rm $1
return 0;
}

decripta $1
apeteco;

e funciona de forma parecida com o outro:

decripta nome_arquivo

Se você tiver criado nome_arquivo.gpg com o outro programa, este irá desencriptar lhe pedindo a chave que você tiver usado anteriormente.

Aqui havia um erro, corrigi agora! Em nenhum dos dois programas é preciso indicar a extensão “gpg” ela será colocada ou retirada pelos programas. Se você quiser encriptar um arquivo denominado “programas” o resultado ser “programas.gpg” que é o arquivo encriptado mas o comando será

encripta programas

Se você quiser desencriptar o arquivo “programas.gpg” que foi encriptado por você e que você então conhece a senha, o comando será

decripta programas

Isto é uma boa ajuda com esta quantidade imensa de senhas que temos que manter. Eu as coloco todas num arquivo, encripto e ponho num pendrive. Se perder o pendrive está tudo protegido, e onde eu chegar uso o pendrive para abrir o arquivo e usar as senhas. Basta ter o cuidado de usar uma senha suficientemente longa, uma boa senha.
E será esta a única senha que você precisa memorizar.

gnuplot, um motor gráfico

gnuplot – um motor gráfico para programas

gnuplot – máquina de calcular gráfica

Praciano-Pereira, Tarcisio

resumo

gnuplot, sim, escrito em minúsculas como é sugerido pelos autores,
é um máquina de cálcular gráfica com alguma capacidade de linguagem
de script. Eu vou na primeira seção extender-me um pouco mais sobre
o programa porque o resumo tem que ser resumido. Em suma você pode
fazer o gráfico de qualquer função conhecida pelas linguagens de
programação. Abra um terminal do gnuplot e digite

plot sin(x), 0

e você verá o gráfico do seno.

Em vez de escrever um grande artigo falando tudo sobre gnuplot, vou escrever
uma serie de pequenos artigos tratando de tópicos relacionados com o programa
e posteriormente farei uma recompilação de todo o trabalho.

Sinta-se à vontade para escrever-me sobre o conteúdo do artigo, perguntas, críticas,
e vou aproveitar para atualizar o artigo respondendo dentro do mesmo os seus questionamentos. E sinta-se à vontade, uma crítica, não importa a forma, sempre é válida. Se você achar que cometi algum erro, e não havendo erro, indica que há um
defeito de comunicação.

Que é gnuplot

A versão final desta post pode ser consultada na Sobral Matemática.

Dedico este artigo
ao prisioneiro político
Presidente Luís Inácio Lula da Silva

 

gnuplot começou como uma brincadeira, e como toda brincadeira
bem feita, deu certo. É um programa que tem dono,
Copyright (C) 1986 – 1993, 1998, 2004, 2007 Thomas Williams, Colin Kelley
e foi inciado por Thomas Williams, Colin Kelley porque eles estavam
precisando ver melhor alguma ondas quando estavam estudando
um curso avançado de Mecânica e na brincadeira resolveram
construir um programa que fizesse gráficos: gnuplot.

Como acharam que estava interessante, divulgaram deixando que
quem quisesse fizesse uso do programa, e realmente a coisa deu certo,
muita gente usou e muito mais gente passou a cooperar transformando
gnuplot no motor gráfico de vários programas importantes, como
octave.

Abra um terminal e nele digite gnuplot, e você pode
receber a mensagem

-bash: gnuplot: comando não encontrado

em que bash,que é a alma por trás do Linux,
estaria lhe dizendo que o gnuplot ainda não estaria instalado. Se
estiver usando Debian/gnu/linux, como eu, a coisa é simples
de resolver, e vale para quem usar ubuntu ou mint que são duas outras
distribuições de Linux baseadas em Debian.

sudo apt-get install gnuplot

em alguns minutos o programa estará instalado. Digite então
gnuplot e vai ser aberto um terminal rodando o programa.

Digite
a linha de comando que se encontra no resumo e você vai ver
o gráfico do seno. Será um gráfico mal feito porque
gnuplot otimiza a janela gráfica ocupando-a inteiramente com o
gráfico mas você melhorar isto com digitando, antes do
comando plot, os comandos

set xrange [-3.1415:3.1415]; set yrange [-4.:4];

que estão definindo as dimensões da janela gráfica.
Digite agora o comando

replot

que refaz agora o gráfico de forma bem mais parecida como a gente
espera que seja o seno. Neste ponto já tenho alguns comentários
complementares:

  1. Na linha em que foi redimensionada a janela gráfica há
    dois comandos. Você pode colocar quantos comandos quiser
    numa mesma linha, separando-os com ponto-e-vírgula.
    gnuplot não obriga que você termine os comandos
    com ponto-e-vírgula, se for um único comando na linha,
    o fim de linha é suficiente. Mas você pode, se quiser, terminar
    todos os comandos com ponto-e-vírgula e querendo
    colocar mais de um numa mesma linha, tem que separá-los
    com ponto-e-vírgula.
  2. O comando replot é muito importante quando você tiver
    fazendo vários gráficos dentro dum laço, o replot atualiza
    a janela gráfica a cada passagem do laço.
    Eu vou voltar a
    apresentar este comando quando discutir laços com gnuplot.

Eu vou, de propósito, evitar de incluir gráficos neste artigo, porque
todos os gráficos podem ser produzidos com comandos do gnuplot e eu
vou deixar que você os execute numa janela gráfica ao lado do
artigo que você está lendo.
Você, certamente, já deve ter tentado,
raspar e colar o comando, da janela do navegador para
o terminal do gnuplot: funciona!

Espero que você já o tenha feito com
os comandos que lhe apresentei, mas vá além, experimente com
outra funções e vou lhe sugerir algo que torne a leitura
deste artigo mais iterativa:

plot sin(x)*(x+3)*(x-5), 0

e o resultado pode ter sido desapontador, certo? Se você tiver visto
apenas parte do gráfico a razão se encontra no comando

set xrange [-3.1415:3.1415]; set yrange [-4:4];

que continua sob efeito. Experimente

unset xrange; unset yrange;

e volte a pedir o gráfico da função que você tiver definido.
Use o replot.

Neste ponto já temos alguns itens sobre o que conversar e umas outras
tantas coisas para você experimentar. Experimentar á uma palavra chave
em se tratando de programação, parte do conhecimento você obtém fazendo
testes, experimentando. Fazendo pequenas modificações nos comandos
e vendo que efeito se produzem.

  1. O comando set, do inglês ligue ou defina, serve para dar
    valores à variáveis que controlam o comportamento da janela gráfica.
    Não se esqueça de que gnuploté tocado à gráficos.
  2. Aqui eu usei set xrange [-3.1415:3.1415] que define
    a variação no eixo $OX$ e set yrange [-4:4]
    definindo a variação no eixo $OY$ e também existe
    set zrange [-31:14] para estabelecer
    a variação no eixo $OZ$ quando você trabalhar com funções
    de duas variáveis cujos gráficos vão usar uma janela gráfica
    3D, experimente

    splot x**2 + 3*x*y + y**3, 0

    e o resultado deve ter sido desanimador! Certo? É que agora
    eu pedi, e você acompanhou, uma tarefa mais complicada ao
    gnuplot . Estou usando o comando splot
    e vou deixar para entrar nos seus detalhes num próximo texto,
    ele é o comando para fazer
    o gráfico de superfícies.
    Mas o próximo item vai lhe dar uma saída imediata para esta questão
    caso você queira enfrentar a barra.

  3. gnuplot traz uma ajuda inclúida no programa. Experimente
    digitar no terminal do gnuplot

    \parhelp

    \cola Desanimador? É texto em inglês! Infelizmente este é um problema
    que nós ainda temos que enfrentar enquanto ainda vivemos com uma
    ciência colonialista. Nossa língua é português mas somos obrigados
    a dominar inglês porque quase toda a literatura que nós mesmos
    escrevemos, o fazemos em inglês. Mas você pode superar o problema se
    enfrentar o inglês e sair lendo, eliminando o receio. Você pode aprender
    inglês somo aprendeu português, se lembra? sem nenhum auxílio, sem
    nenhuma didática, na marra. Foram falando com você e você foi adivinhando
    onde queriam chegar. Com o inglês pode ser mais fácil, existe um
    monte de auxílio on-line, mas comece usando o mesmo método do
    aprendizado do português: vá usando. Experimente, force a compreensão
    e aos poucos o vocabulário irá crescendo. Acredite, e enfrente!

    Boa parte do que aparecer na primeira tela do help interessa pouco,
    é uma descrição genérica do gnuplote você verá que vou
    tratar de muita coisa nos artigos que ainda virão. Pegue de leve,
    leia por cima, e sobre tudo obedeça a ordem que aparece no final
    da tela:

    \parPress return for more:

    \cola dê enter para continuar, (tradução livre).

    Na próxima tela aparece alguma coisa (duas coisas importantes), uma de que já falei
    acima. Não vou fazer uma tradução direta, mas vou dizer-lhe o conteúdo do primeiro
    parágrafo que termina com a palavra Example se referindo a linha seguinte.

    • os nomes das funções, quer dizer dos comandos do gnuplot, são
      sensíveis à caixa alta/caixa baixa. Quer dizer: Plot, não existe,
      e é diferente de plot o comando para fazer gráficos.
    • você pode colocar vários comandos numa mesma linha, já falei disto acima,
      desde que os separe com ponto-e-vírgula, como aparece no exemplo.
      Uma coisa interessante que você pode fazer é abrir dois terminais do
      gnuplot, num deles ler o help e no outro executar comandos.
      Esta é uma facilidade típica de quem usa terminais em Linux.
      Estou lhe dizendo para abrir dois exemplares do
      gnuplot, num deles ler o helpe no outro executar
      o programa. É uma novidade, tente e vou mostrar-lhe como se faz usando Linux
      e possivelmente também funciona em outro “sistema”, mas não posso garantir
      porque uso exclusivamente Linux.

      Abra um terminal e nele digite

      gnuplot &

      ao fazê-lo vai se abrir um novo terminal em que estará rodando gnuplot deixando
      o terminal anterior livre para novos comandos, é o significado do “&” digitado no
      fim do comando, é um comando de Linux que significa
      deixar um processo rodando por trás da cena.

      Retorne ao terminal anterior e acione a tecla “seta para cima” o que fará aparecer
      o comando anterior, dê novamente enter e novo terminal rodando gnuplot estará
      no ar. Num deles acione help e o outro reserve para rodar os comandos do
      gnuplot. Você está com duas cópias do programa no ar e as duas cópias
      estarão rodando de forma independente. Isto é Linux!

      O exemplo a que se refere help é bem interessante e vou traduzí-lo com
      a sugestão de que você
      o execute transformando-o a seu gosto e eu mesmo já o traduzi modificado.
      Compare como está na página do gnuplot e como traduzi aqui.
      Raspe e cole no outro terminal e verifique o resultado.

      set title "meu primeiro gráfico"; plot sin(x); pause -2 "Enter para continuar"

    • No exemplo eu usei o comando pause que está em inglês mas é exatamente
      a mesma palavra portuguesa… inglês é considerada uma lingua latina porque uma
      grande percentual das palavras inglesas são nossas, eles foram colonizados pelos
      latinos! title é uma corruptela de título pelo que podemos ver
      que inglês é português mal escrito!

      O comando pause recebe dois argumentos, o primeiro é “-2” e o segundo
      é uma frase e o seu efeito é parar o motor esperando que você bata no enter.
      É muito útil quando você for apresentações com vários gráficos aparecendo cada na sua
      vez com este comando controlando quando a sessão deve prosseguir. Eu vou voltar mais
      a frente quando falar de laços que é quando este comando será muito importante.

Na -próxima seção vou sugerir alguns exercícios usando o material que foi
exposto para que você faça algumas experiências que irão levá-la a aquirir um
uso prático do gnuplot para resolver algumas questões de Matemática
elementar mas logo irão servir para exemplos mais avançados.

No próximo artigo eu vou mostrar-lhe como se pode memorizar o trabalho
feito sem precisar, em cada ocasião, começar do começo.

Grupo de Risco

Neste momento, há duas semanas, um inocente está preso na Polícia Fascista,
a chamada PF, em Curitiba, acusado por uma sentença que 103 juristas
brasileiros já a qualificaram de autêntico estelionato jurídico, confira
“Juristas e o caso Lula” naJuristas e o caso Lula
https://tarcisio.wordpress.com/2018/04/14/juristas-e-o-caso-lula/
onde você pode encontrar um link para o livro dos juristas que
pode ser livremente baixado.

Mas talvez você diga que nada tem o que ver com isto! Talvez até você
diga como alguns disseram na ocasião da morte de Marielle, “que ela
recebeu o que procurava”, como eu aqui, que estou na defesa do inocente
preso em Curitiba, estou me arriscando a receber o que estou procurando.

Todas as pessoas que estiverem preocupadas com as injustiças, neste
momento, “podem receber o que estão procurando”, e nem precisa propriamente
estar preocupadas com coisa nenhuma.

Talvez você seja mulher, se for bonita então merece ser estuprada no
entender dum “candidato” a presidente da República que segundo alguns
“institutos de pesquisas” acumula alarmantes 16% de interesse eleitoral.

Se você for mulher e não for bonita então possivelmente pertence a uma
classe social inferior e corre risco simplesmente porque é mulher. Talvez
não corra o risco de ser estuprado, segundo o referido “candidato” a
presidente da República com 16% de interesse eleitoral, mas pode apanhar
dum machão nas proximidades até morrer e gente a volta ficar rindo
do espetáculo, afinal você é apenas mulher e feia.

Se você não for mulher, como eu, ainda assim pode estar no grupo de risco
se não tiver certas “proteções” que se traduzem em termos de dinheiro,
e agora, com o golpe todos estamos com menos dinheiro e portanto correndo
mais riscos.

O inocente preso está preso porque se opunha a tuda esta injustiça, é
um cara perigoso! Tirou milhões (da miséria), levou milhares para dentro
das universidades. Pelo mesmo preço da corrupção do Tietê,
desviou (eta desviou!) um rio na direção do nordeste. Botou o Brasil no
rumo do futuro, parceiro, sócio, dum banco mundial, BRICS,
elevou o Brasil a 6ª economia mundial. Você lembra que o Brasil “era o
país do futuro”? Pois agora o Brasil estava no futuro até o dia do golpe,
que objetiva colocar o cara, Luis Inácio Lula da Silva na prisão
para evitar que ele voltasse a ser eleito para consertar o estrago
que o Vampirão e seus asseclas no judiciário ou no Congresso fizeram.

Estrago? talvez você pergunte. É um grande estrago que nós todos estamos
sofrendo e conduz à destruição de nossa sociedade quebrando as regras
de comportamento o que justifica o título desta redação: aumenta
sensivelmente os grupos de risco. Qual é o estrago? talvez você pergunte,
de forma “inocente”.

Tome o présal para começar, talvez ele seja o maior e possivelmente foi
o objetivo do golpe. O Brasil, e foi Lula na presidência, com a Petrobrás,
que descobriu este lençol imenso de petróleo que está nas costas da
Guanabara e que as estimativas indicam ser a maior quantidade de petróleo
disponível em águas profundas. A Petrobrás desenvolveu a técnica para
estração segura do petróleo, é apenas ela que sabe fazer isto exatamente
porque o Brasil entrou no futuro. E foi uma das primeiras ações do
infame Vampirão, entregar o presal para a Shell e a Exxon. Era do Brasil,
e estava destinada ao desenvolvimento da Educação e da Saúde. É um
baita estrago. E sem educação estamos todos, você, eu, no grupo de
risco num país entregue à burrice fascista.

Tome agora a indústria nacional, foi ele, o Lula na presidência que
respondeu ao Busch que o convidava para participar da guerra no Iraque
que respondeu que a guerra dele era outra e enquanto o mundo todo entrava
num grave problema econômico, o Brasil florescia porque a industria nacional
começou a vender para a África e para os demais países da América Latina,
e você pode encontrar aqui outra razão do golpe: o Brasil estava entrando
no futuro, virando a 6ª economia mundial. As condições internas de vida
melhoraram para todos nós, a sociedade estava ficando mais igual e portanto
reduzindo os grupos de risco que é o assunto que me move aqui. Com uma
economia bem desenvolvida, com distribuição de riqueza, todos ganhamos
mesmo os mais ricos e aqui está uma contradição terrível. Eles, os mais
ricos são tão burros que não entenderam que todos estávamos ganhando,
até mesmo eles que enriqueceram mais e ajudaram a chutar o pau da barraca
em que nós todos estávamos dentro para cairmos no estrago em que o
golpe está nos deixando.

Tome agora algumas coisas que são menos visíveis embora sejam tão
importantes como présal porque se encontram na base de tudo, as
Universidades. Talvez você precise ler uma das últimas pesquisas
anunciadas pela FAPESP, a fundação de ampara à pesquisa do Estado
de São Paulo. Pesquisadores brasileiros, das universidades que o
golpe pretende acabar ou encolher, é uma promessa do golpista que se
encontra no Ministério da Educação, eu dizia, pesquisadores brasileiros,
das universidades, descobriram uma promissora utilização do vírus
zika. Ele pode ser usado com um robot para atacar outros vírus. É, não
se esqueça de que o Brasil entrou no futuro, agora a gente faz pesquisa
que os outros países ainda não conseguiram fazer porque ele,
o cara, levou milhares para dentro
das universidades, criou o programa ciência sem fronteiras que levou
centenas de brasileiras e brasileiros para irem estudar em universidades
da Europa e dos Estados Unidos e eles voltaram porque havia emprego
para eles nas Universidades do Brasil que foram criadas às dezenas. Você
já deve ter notado que antes não havia universidade na cidade em que
você mora ou numa cidade vizinha, e agora tem. Foi ele, o cara, que
fez isto, que criou mais universidades que todos os presidentes
da república juntos, ele o “analfabeto” com dizem alguns, o preso
político porque levou o Brasil para o futuro. Com mais universidades,
com melhor educação com professores ganhando melhor porque ele criou
o piso nacional de salário para os professores, a sociedade caminha para
ser mais justa reduzindo os risco para todas e todos nós.
Vale a pena ler o jornal eletrônico da FAPESP, faça uma busca que você
a encontra e lá pode se inscrever para receber semanalmente o jornal
eletrônico e assim ficar sabendo como Brasil se encontra no futuro.

Eu sei que agora você deve estar se perguntando: e porque o golpe? a
primeira razão é mesmo o présal. O présal se tornou o centro motor de
nossa redenção e a nossa garantia de sair da 6ª posição na economia mundial
talvez para chegar na 1ª coisa insuportável para o Imperialismo Norte
Americano que via o Brasil agora competindo e lhe tomando mercados na
América Latina, na África e até mesmo na Europa. Para isto precisavam
dum traidor e o Vampiro estava preparado para o serviço junto com os
demais traidores que construíram a queda da Presidente Dilma. Mas
outra razão importante é a burrice da minoria rica que pensou apenas em
acelerar imensamente a sua riqueza, burros, porque num país pobre não
tem como ficar imensamente rico. Todos vamos ficar cada vez mais na
zona de risco.

Não tem jeito, temos que derrubar este golpe imundo ou perdemos todos.