Amnesty International primeiro espera o leite derramar depois tenta juntar!

Oi, ,tudo bem?   Claro que não!  Afinal durante toda a campanha eleitoral eu estive criticando a Amnesty Internacional porque havia um prisioneiro político.  E a Amnesty Internacional deu de ombros.  Aparentemente a Amnesty Internacional precisa que exista um problema para que ela fature em cima do problema.  Se não houverem prisioneiros políticos às dezenas, para que mesmo existiria a Amnesty Internacional.  Então a Amnesty Internacion torceu para houvesse golpe no Brasil para que ela agora apareça como protetora dos desvalidos!  hahahahaha!
Juntos, enfrentamos o desafio de proteger os direitos humanos no Brasil? E porque não se juntou conosco para evitar o golpe?  porque não se juntou conosco para denunciar que Luís Inácio Lula da Silva é um prisioneiro político e exatamente quem tinha um caudal eleitoral que poderia enfrentar o golpe que finalmente chegou e se instalou pela via eleitoral?  Agora Amnesty Internacional chegou para juntar o leito que derramou?
O “presidente eleito” fez campanha suja, com caixa 2, criminosa, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo,  tinha uma agenda abertamente anti-direitos humanos e frequentemente fez declarações discriminatórias sobre diferentes grupos da sociedade, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo, Sua eleição como presidente do Brasil representa um enorme risco para os povos indígenas e quilombolas, comunidades rurais tradicionais, pessoas LGBTI, jovens negros, mulheres, ativistas e organizações da sociedade civil, caso sua retórica seja transformada em política pública”.

Agora a Amnesty Internacional tem uma razão para sua existência, ela precisava que o golpe se instalasse,  que potencialmente houvessem os problemas com os direitos humanos para que a Amnesty Internacional mostrasse que ela poderia servir para alguma coisa!  hahaha!  Um pouco tarde!  Os apolíticos, os que se omitiram nas eleições, os que se deixaram enganar pelo propagando de caixa 2 que devem agora apoiar a Amnesty Internacional para apaziguarem mutuamente suas consciências de seres apolíticos.

Vamos nessa?
A nossa mobilização já mostrou ao que veio e que tem muito poder de frear retrocessos! 
Lembra do potencial da nossa campanha Direitos Não se Liquidam no ano passado? Com nossa mobilização e de outros movimentos da sociedade civil conseguimos, por exemplo, o adiamento da votação sobre a redução da maioridade penal e a não aprovação do relatório sobre a PEC 181 de 2015, que criminaliza o aborto nos casos previstos na legislação brasileira.
Ou seja, quanto mais lutamos, mais ganhamos. 
Já estamos preparando as bases para ampliar nossa mobilização e pressão sobre as autoridades em 2019, a fim de garantir que o futuro do Brasil tenha menos retrocessos e mais justiça e liberdade. Mas precisamos do seu apoio e doação para nos fortalecermos e atuarmos juntos por nenhum direito a menos!

Vem com a gente! Some sua voz a essa luta por direitos! Mostre que você se importa com direitos humanos!

Quero doar para a Anistia Internacional

Apesar de você

Apesar de você – Chico Buarque

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu

Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro

Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal
Lá lá lá lá laiá

A democracia está sob ataque ao redor do mundo.

Não é apenas no Brasil. A democracia está sob ataque ao redor do mundo.

Um novo estudo da Universidade de Oxford confirmou que centenas de milhões de dólares são gastos para nos manipular na internet e nas redes sociais. O Bolsonaro venceu principalmente por causa disso. E com eleições importantíssimas se aproximando nos EUA, Europa, na Índia e em outros lugares, o mundo está à beira do abismo.

Mas é pra isso que a Avaaz foi feita. Desde pressionar o WhatsApp pra que mudem suas políticas, a escrever leis que possam conter as fake news no Facebook e Twitter, não há outro movimento que possa lutar por nossa democracia a nível global como o nosso.

Isso torna esse momento não apenas uma oportunidade, mas uma questão de responsabilidade — contribua para financiar esse trabalho.

A eleição de Bolsonaro se deve em grande parte à enxurrada de fake news que inundaram o WhatsApp. Mas qualquer outro político ou partido pode fazer a mesma coisa: o Whats é uma terra sem lei! Para lutar contra a corrupção é preciso limpar as redes sociais. Assine e vamos exigir do WhatsApp o fim da distribuição descarada das fake news na plataforma e defender a democracia mundial:

assine agora

Queridos amigos e amigas,

Acho que estamos todos em choque. Acabamos de eleger o presidente mais extremista das últimas décadas. O que será de nosso futuro?

A verdade é que não tem como saber. Mas tem uma coisa que todos podemos fazer para garantir que ele seja responsabilizado:

Consertar o Whatsapp.

Bolsonaro não teria vencido sem o WhatsApp. 98% do seu eleitorado viu notícias falsas nas eleições e 89% acreditou nelas. E se você acha que ele vai parar com as mentiras agora que ele ganhou, pense bem: se funcionou tão bem uma vez, por que ele pararia agora?!

O Whatsapp está sofrendo uma forte pressão global para combater a enxurrada de fake news que inundam a plataforma. Um grande apelo dos brasileiros e brasileiras pode fazer a diferença para a proteção da democracia em nosso país e no mundo. Assine agora para adicionar seu nome e vamos ser a oposição popular. Hoje.

Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais

As empresas e exércitos de trolls que atuam em nome de Bolsonaro não vão parar depois da eleição. Modi da Índia, Hu na China, Putin na Rússia… essa nova roupagem da tirania usa enormes exércitos de trolls para controlar a conversa na internet e moldar a opinião pública. Os novos autocratas adoram este método muito mais do que a censura óbvia da tirania “tradicional”. Agora, eles podem mentir online descaradamente, e ganhar legiões de apoiadores!

Se não fosse Bolsonaro a usar esses métodos para subverter nossa democracia, poderia ter sido outro partido ou político – inclusive, há evidências de que o PT usou táticas semelhantes. Por isso, limpar as redes sociais é lutar contra a corrupção! Podemos conseguir isso pressionando as próprias empresas a fazer reformas reais. Assine a campanha agora  — a Avaaz entregará as assinaturas no escritório do WhatsApp, em São Francisco:

Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais

A Avaaz está lutando contra as notícias falsas e a desinformação em todo o mundo. No Brasil, nosso grupo de combate às fake news expôs uma das maiores redes de desinformação do país e conseguiu derrubá-la. Mas foi muito pouco, e muito tarde. Os algoritmos das redes sociais têm grande poder sobre nossas sociedades, e eles estão nos envenenando à força nesse mesmo instante. Em nome de tudo que amamos, precisamos limpá-los antes que seja tarde demais.

Com esperança,

Flora, Ricken, Christoph, Fadi, Emma, Alice, Rosa, e todo o time da Avaaz

MAIS INFORMAÇÕES:

Maior rede Pró-Bolsonaro do Facebook é excluída após denúncia do Estado (Estadão)
https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,maior-rede-pro-bolsonaro-do-facebook-e-excluida-apos-denuncia-do-estado,70002558430

Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp (Folha de São Paulo)
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/empresarios-bancam-campanha-contra-o-pt-pelo-whatsapp.shtml

PF vai apurar registros de envio por WhatsApp apagados por campanha do PSL (UOL)
https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/10/29/pf-registros-apagados-envio-whatsapp.htm

O governo de Bolsonaro tem tudo para ser uma catástrofe para o meio ambiente (Vice)
https://www.vice.com/pt_br/article/wj938w/o-governo-de-bolsonaro-seria-uma-catastrofe-para-o-meio-ambiente

Os três tipos de usuários do WhatsApp que irão eleger Jair Bolsonaro no Brasil (The Guardian – Em inglês)
https://www.theguardian.com/world/2018/oct/25/brazil-president-jair-bolsonaro-whatsapp-fake-news

É uma pena que esteja em francês, mas esta legendado e dá para você ter uma pálida ideia de como se violam eleições e como se pode eleger um imbecil como presidente do país que foi a 6ª economia mundial.

Não fique triste, use o filme como uma motivação aprender francês hahahahaha!

Ações do ANDES-SN diante da conjuntura – unificar para resistir

Unificar para resistir. Este é o lema que os docentes de todo o país devem assumir para enfrentar os ataques contra a categoria, a educação e o serviço público. Quando falamos ataques, nos referimos aos direitos e conquistas da categoria e da classe trabalhadora, mas também aos ataques físicos e morais que têm ocorrido em diferentes partes do Brasil.

 

ANDES_x_FASCISMO.png

 

A conjuntura se acirrou. A eleição, pelo voto direto, de um projeto de país que tem como base a privatização, a terceirização e o desmonte dos serviços públicos está trazendo uma série de ataques aos direitos da classe trabalhadora. Entre esses ataques, se destacam aqueles contra as universidades públicas.

Nossos desafios são muitos, e é necessário construir a mais ampla unidade em defesa das liberdades democráticas, dos serviços públicos, da liberdade de expressão dos professores e da Universidade Pública, Institutos Federais e Cefets.

Confira abaixo as ações realizadas, as que estão em curso e as planejadas para defender o patrimônio da sociedade, a Universidade Pública, bem como a liberdade de expressão do (a)s docentes.

– Publicou inúmeras notas de repúdio às perseguições e de solidariedade aos/às perseguido(a)s (Circulares nº 290, 304, 305, 306, 336, 342, 351, 359, 362 e 366) ;

– Publicou um conjunto de cards denunciando os ataques que a educação estava sofrendo;

– Publicou um conjunto de cards denunciando as agressões sofridas por professore(a)s, estudantes e outras pessoas, motivadas pelo discurso de ódio;

– Realizou reunião conjunta do setor das federais e estaduais/municipais, indicando rodada de assembleia nas bases, para deliberar a posição do ANDES-SN no segundo turno das eleições (Circulares nº: 325, 339, 340 e 351);

– Realizou uma coletiva de imprensa para denunciar as ações de diferentes esferas da justiça, inclusive as ações coordenadas do TRE às vésperas do segundo turno das eleições (Circulares nº 364 e 365);

– Ingressou como Amicus Curiae na ADPF 548 que tratou da liberdade de expressão dentro das Universidades. Na audiência, o ANDES-SN realizou sustentação oral e na sua peça jurídica citou a deputada eleita de Santa Catarina, que tem estimulado a perseguição à(o)s docentes, provocando os ministros a se pronunciarem sobre o caso (Circular nº 372);

– Realizou reunião com entidades nacionais no dia 23 de outubro, para construir alternativa para a organização do(a)s trabalhadore(a)s nesse momento. A proposta é a construção de uma Frente/Fórum Nacional em Defesa da Democracia;

– Orientou as seções sindicais e as secretárias regionais a construir frentes locais antifascistas e/ou a favor da democracia;

– Elaborou orientações gerais para o(a)s docentes se protegerem nos casos de ataques (Circular nº 376);

– Solicitou reunião com ANDIFES, ABRUEM e CONIF. A reunião com a ANDIFES ocorreu no dia 6 de novembro (Circular nº 381);

– Solicitou parecer ao DIAP e à Assessoria Jurídica Nacional do texto “Carta à Nação Brasileira”, da bancada evangélica com propostas para o novo governo;

– Deliberou-se no setor das federais que as seções sindicais cobrem dos Conselhos Universitários posição em defesa da Universidade Pública e pela liberdade de cátedra e realizem uma rodada de assembleias gerais para deliberar, entre outras ações, pelo Dia Nacional em Defesa da Educação e a realização de uma reunião conjunta do setor das federais e estaduais/municipais, no dia 2 de dezembro (Circular nº 379);

– Está rearticulando, juntamente com outras entidades da educação, a Frente Nacional Escola Sem Mordaça para atuação imediata (Circular nº 380);

– Está realizando reuniões semanais com entidades nacionais da educação para a construção de ação unitária em defesa da educação pública a ser realizado no início de dezembro, o que está sendo chamado de Dia Nacional em Defesa da Educação;

– Está redimensionando o Seminário Interno de Reorganização da Classe, deliberado pelo 63º CONAD, para debater a conjuntura e os desafios diante do novo governo. O seminário vai acontecer em Brasília nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro;

– Está elaborando ações de comunicação em defesa da Universidade Pública;

– Criação de grupo de advogado(a)s para produzir material sobre as questões relacionadas a perseguição de docentes e escola sem partido;

– Solicitação de audiência com o(a)s ministro(a)s do STF para tratar dos Projetos Escola sem Partido, Autonomia das Universidades Públicas e Liberdade de cátedra do(a)s docentes;

– Vai intensificar a Campanha de sindicalização com o mote: “Não fique só, venha para o sindicato”.