A democracia canadense em oposição a ditadura chinesa!

Francois Ouellette
·
July 9
Lived in Montréal, QC, Canada (1958–2015)
What is your opinion? China fired back at Canada on Saturday for criticising Beijing’s national security law for Hong Kong, the second rebuke in a week that has added to strains of their bilateral ties. Do you support Canada’s democracy or China?

Canada’s “democracy” has the “War Measures Act”, which, when activated, suspends all civil liberties and allows the police to arrest anyone without mandate. Which they did in October 1970, arresting over 400 people and detaining them for weeks.

Canada’s “democracy” has voted a law that if there is a referendum in Quebec on independence, the federal government will decide BY ITSELF how much of a majority is required. Thus if there are 55% for, it can decide that 60% is required. Yes, that’s “democracy” for you.

Canada’s “democracy” has decided that if there are campaign finance rules in Quebec, the federal government does not have to follow them, and can spend millions to campaign against independence, not to mention granting accelerated citizenship on condition that the immigrants vote against.

Canada’s “democracy” has adopted a constitution without the consent of one province.

Canada’s “democracy” has allowed a corrupt mayor to reign over a major city for more than 20 years.

Canada’s “rule of law” means protecting a corrupt company that has given tens of millions in bribes both across the world and in Canada.

Canada’s “democracy” has decided not to say a word about a Saudi blogger who has been imprisoned for years and subject to whipping, for having criticized the Saudi King, even though his wife is Canadian. Because, we like to sell them tanks that will serve to kill Yemeni people.

Canada’s “democracy” did not say a word when rioters in Hong Kong killed an old man by throwing a brick at him. Or when protesters set an innocent man on fire. And yet, when there were demonstrations in Quebec in 2012, a law was quickly passed to make illegal any gathering of more than 6 persons.

If there is one thing that I do not support, it is hypocrisy. Unfortunately, the government of my home country has become the home of the hypocrites. So, no, I don’t support that.

Comparação China x USA no caso da pandemia e compare com o Gen. Ocida e sua burrice.

Why did China only take a month to bring COVID-19 under control while our states suffer so much for so long?

Ray Comeau · July 12Decades working in analyzing risk and plotting strategy

Why did China only take a month to bring Covid-19 under control?

The reason China acted so aggressively was because its experts in epidemiology told the central government of the potential risks to the population/country that a novel coronavirus posses if it is not brought under control immediately.

How it brought covid-19 under control after the outbreak, was a national mobilization.

  • National media communication strategy warning people of a new infectious pneumonia outbreak calling people to wear face masks outside their home, wash hands and to use alcohol disinfectants liberally.
  • National mobilization of tens of thousands of medical staff was transported to provide needed resources to the epicentre in Wuhan.
  • The creation of 4 new treatment centres in the epicentre within weeks .
  • A broad lock down strategy in January that covered hundreds of millions:
    • Requested people stay in their homes
    • Closed all private businesses and government offices
    • Closing all general transportation was closed down in the epicentre.
    • Closing all retail store except grocery, pharmacy. All outlets allowed to be open must temperature check every everyone staff and customers.
    • Many places were closed down 45-60 days to avoid reopening too quickly. It was 76 days of lock down for Wuhan.
  • A national tracking and tracing program to find and test every close contact in the last 14 days of anyone who became infected with Covid-19, and observing them medically for 14 days.
  • The citizens willingly followed the medical advise and directions given.
    • Everyone wore a face mask and stayed home, only going out every 3rd day for groceries etc.
    • Everyones temperature was taken whenever you entered any store etc.
  • There was no shortage of Covid-19 tests by February
  • Medical treatment for Covid-19 was free.
    • In the epicentre, suspected cases were sent to observation facilities for 14 day and tested frequently.

The above is fairly similar in nature to what South Korea, Singapore, Vietnam and Japan did to bring their Covid-19 under control quickly.

Why is the US having so many issues :O mesmo se dá com os genocidas que assolam o palácio do Planalto conduzindo o Brasil a 90 mil mortes nos próximos dias.

  • No national leadership, no national strategy, or coordination of resources, no national communications plan.
  • Confusing and contradictory communications at the national level, compounded a lot of purposeful misinformation.
  • Politicizing the pandemic.
  • CDC having problems developing it own test and refusing to use the tests available by WHO and other countries.
  • Shortage of tests.
  • No national track and trace system.

Brasil paga para ele trabalhar para mim, diz comandante americano sobre brigadeiro; veja vídeo

A reportagem é da Folha de São Paulo onde há um vídeo em que o militar brasileiro, qual moleque, é chamado para se levantar para que o almirante americano o apresente ao baby trump como um dos elementos que trabalham para os americanos.

O elemento em questão é um “oficial” das forças armadas do Brasil e eu me senti enojado em ver a forma como o almirante americano se referiu a ele a um outro elemento, das forças armadas da Colômbia, como peões que trabalham para os americanos e ainda pagos pelos governos dos seus respectivos países.

Ele trabalha para mim e é pago pelo governo do Brasil! Almirante Craig Faller disse que ‘brasileiros estão pagando para ele [brigadeiro David Almeida Alcoforado] vir para cá e trabalhar para mim’

Que vergonha! Senti vergonha da forma como o militar brasileiro e o militar colombiano foram tratados pelo Faller. Ele lhes deu uma ordem curta e grossa, levante-se e cumprimente o presidente (o baby trump). Tanto o militar colombiano, como o militar brasileiro, um de cada vez, ficaram de pé, em posição de sentido como garotos num banco de escola na frente dum autoridade. E é pago pelo Brasil para se submeter a uma situação humilhante destas. Veja o vídeo e comprove o ato vergonhoso!

Aqui está o o link do vídeo que eu consegui direto no youtube sem ter que pagar para o inimigo que é a FS coisa que eu não faria e a folha coloca uma tarja azul em cima do conteúdo pedindo que pague.

baby trump é constante em dizer que os países aliados deveriam pagar pela cooperação norte-americana. Ele cobra que membros da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) aumentem a contribuição financeira e quer que o México financie a construção do muro na fronteira entre os países, por exemplo.

NOTA DO SINDIUVA E DCE PELA REVOGAÇÃO DO PROVIMENTO 09/2020, DO COMITÊ GERAL DE ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DO CORONAVÍRUS – UVA

NOTA DO SINDIUVA E DCE PELA REVOGAÇÃO DO PROVIMENTO 09/2020, DO COMITÊ GERAL DE ENFRENTAMENTO À PANDEMIA DO CORONAVÍRUS – UVA  Com a grande campanha realizada pela SindiUVA e o DCE-UVA na defesa da igualdade de condições para o acesso e a permanência na escola/universidade (art. 206, inciso I, da CF/1988; art. 3º, inciso I, da LDB/1996), bem como em defesa da educação de qualidade (art. 206, inciso IIV, da CF/1988; art. 3º, inciso IX, da LDB/1996) e dos direitos trabalhistas dos docentes, a reitoria não avançou no seu plano de aulas remotas para a continuidade do semestre letivo da graduação, mas implementou as aulas remotas das disciplinas, estágios e práticas para cursos de graduação e de especialização pagos, chancelados pela UVA e administrados por institutos privados (Provimento nº 06/2020 e Provimento 04/2020, respectivamente), e na pós-graduação stricto sensu (mestrados, conforme o Provimento n.º 03/2020).  Esses provimentos foram editados pelo Comitê de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus no âmbito da UVA, formado por 15 (quinze) representantes da gestão e por 02 (dois) representantes da comunidade acadêmica, um do SindiUVA e um do Diretório Central dos Estudantes – DCE, o que demonstra uma desigualdade brutal entre as categorias representadas no órgão. Acrescentamos que, durante 45 dias, o SindiUVA e o DCE-UVA solicitaram insistentemente assento nesse comitê, pois, como se observa na Portaria nº 94/2020, da lavra do magnífico reitor da UVA, ele havia sido criado apenas com os membros do staff da reitoria.  Na graduação, a gestão da universidade implementou o que chamou de “atividades pedagógicas não presenciais”, não obrigatórias para alunos e professores, reguladas, inicialmente, pelo Provimento n.º 01/2020. Conforme esse provimento, as atividades pedagógicas não presenciais, a serem desenvolvidas via sistema acadêmico da UVA, não podem ser aproveitadas como componentes curriculares do semestre letivo 2020.1, tendo em vista que ele foi suspenso pelas portarias n.º 95/2020, n.º 99/2020 e n.º 101/2020, do Reitor. Nessa direção, a gestão da universidade, organizada no referido comitê, fez a distinção entre “calendário acadêmico” e “calendário letivo”. Mesmo com o “calendário letivo 2020.1” suspenso, o “calendário acadêmico 2020.1” seguiu com as atividades administrativas e acadêmicas (excetuando-se as atividades letivas, a exemplo das aulas, estágios e práticas).  Para a surpresa de todos e todas, em reunião realizada em 17 de junho de 2020, o Comitê deliberou pela flexibilização da regulação de atividades à distância na UVA, como estavam previstas no Provimento n.º 01/2020. Apesar do “calendário letivo” estar suspenso, professores de alguns cursos desenvolveram determinadas atividades não presenciais com seus alunos e demandaram pelo seu aproveitamento como atividades letivas, componentes curriculares do semestre 2020.1, o que havia sido vedado, segundo o texto do parágrafo 2º, do art. 1º, do Provimento n.º 01, de 27 de abril de 2020 – Comitê, o qual regula as atividades pedagógicas não presenciais na graduação durante a pandemia, as quais não equivalem a atividades letivas do semestre 2020.1. O Comitê decidiu, então, pela alteração do Parágrafo 2º, Art. 1º do Provimento n.º 01/2020, para atender à requisição apresentada pela Prof.ª Izabelle Mont’Alverne, vice-reitora da UVA, qual seja: a de possibilitar o aproveitamento das atividades pedagógicas não presenciais da graduação como atividades letivas, mesmo com o calendário letivo 2020.1 estando suspenso!  Desse modo, o Provimento n.º 01/2020 foi revogado pelo Provimento n.º 09/2020, que permite que as atividades pedagógicas não presenciais sejam aproveitadas como componentes curriculares, a exemplo de disciplinas. Porém, sabe-se que não há como contemplar a todos os estudantes neste difícil contexto de pandemia, no qual foram ampliadas as desigualdades sociais, do que é parte a concentração de pessoas nas moradias precárias, as dificuldades econômicas para suprir necessidades básicas e a falta de acesso à internet e a equipamentos indispensáveis para o desenvolvimento de atividades remotas, como computador ou tablet. Assim, para que nenhum estudante fique para trás, as atividades pedagógicas não presenciais que se decidiu validar como atividades letivas, sob vergonhosa pressão do casuísmo, deverão ser ofertadas novamente pelos professores, de forma presencial, logo que se dê o retorno das atividades letivas, o que implicará em retrabalho para os docentes para garantir os direitos de todos os estudantes à educação de qualidade em igualdade de condições.                    Apesar do Provimento n.º 09/2020 ter sido aprovado com a justificativa de validar atividades remotas – que não equivalem às atividades letivas presenciais! – desenvolvidas em tempos de pandemia, ele se revela como expressão da manobra que colocou razões instrumentais acima das vidas das pessoas, acima dos direitos de milhares de estudantes e professores.   Na defesa dos direitos de docentes e discentes, o SINDIUVA e o DCE acreditam que o Provimento n.º 09/2020 apresenta a tendência de ampliar as desigualdades educacionais entre os estudantes e de precarizar o trabalho docente, além de interferir negativamente na qualidade da educação, haja vista os limites das atividades remotas realizadas de modo emergencial, e, o mais preocupante, em um momento no qual o calendário letivo está suspenso.   Por isso, na esteira deste arrazoado, defendemos a revogação do Provimento 09/2020.   Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual Vale do Acaraú – SINDIUVA – Seção Sindical do ANDES – SN Diretório Central dos Estudantes da Universidade Estadual Vale do Acaraú  Sobral, 08 de julho de 2020.