Mais outro episódio da sinfonia das pedras quebrando pelos maestros da Votorantim

No dia 21 de novembro, há dois dias, um sábado em que eu esperava dormir um pouco mais, fui acordado de supetão por nova edição da Sinfonia de Pedras da Votorantim, 05:38 da minha madrugada do sábado, dia 21 de novembro.

até parece uma bela imagem, lembra-me uma árvore de Natal, no cento o caule, enfeitado, ao redor uma nuvem de presentes, a poeira mortífera da Votorantim se espalhando por Sobral.

É injusto que a Votorantim possa fazer conosco aquilo que ela queira, nos incomodar dentro do horário do sono de muitos de nós, lançar para o alto a poeira que emporcalha as nossas casa, e os nossos pulmões. É injusto que aqueles que lucram e exploram o meio ambiente, possam também fazer o mal impunemente a toda uma população.

E somos todos que os alvejados pelo lixo que a Votorantim joga para cima, quem pensa que se livra da sujeira porque usa ar condicionado, se engana. O ar condicionado, que eu deixei de usar por causa da Votorantim, filtra mas deixa passar o que há de pior que as micropartículas, exatamente estas partículas contra as quais as nossas defesas orgânicas, a defesa natural dos pulmões, têm menos possibilidades de detectar e jogar fora.

A Votorantim está matando a população de Sobral e a prefeitura se omite na verificação desta denuncia que eu repito frequentemente.

Há cerca de 13 anos que luto contra a sujeira que a Fábrica de Cimento da Votorantim faz em Sobral. Mas já faz algum tempo que parei de gritar porque algumas pessoas chegaram a me chamar de Dom Quixote, o personagem de Cervantes. Eu estaria atacando moinhos de vento então parei de lutar. Mas ontem, sábado, dia 31 de outubro, por volta de 3:30 horas da madrugada, acordei-me com um forte barulho, da fábrica moendo pedras. A moagem durou cerca de meia hora e estava agindo em desrespeito a lei do silêncio, registrei o ruído apontando com o celular na direção da fábrica e alterando a direção quando observa que a intensidade do ruído diminuía numa comprovação de que o barulho vinha de fato da fábrica.

Mas agora a Fábrica resolveu colocar a sinfonia das pedras quebradas no ar, nas madrugadas. A primeira que
vez que observei foi no dia 31 de outubro, por volta de 3:30 horas da madrugada. No dia 13 de novembro,
mas agora em outro horário, porque a Votorantim é esperta, sempre muda os horários em que ela nos ataca,
sempre espera nos pegar desprevenidos, agora, no dia 13 de novembro foi 01:18, é, no começo da madrugada
que ela vei nos atacar com a sinfonia das pedras quebrando.

O mais recente episódio da Sinfonia da Pedras que pude observar, foi no dia 21 de novembro, há dois dias, um sábado em que eu esperava dormir um pouco mais, fui acordado de supetão por nova edição da Sinfonia de Pedras da Votorantim, 05:38 da minha madrugada do sábado, dia 21 de novembro.

Eu vivo a cerca de 500 metros da Fábrica de Cimento da Votorantim, em Sobral e desde 2007 que vivia postando informações sobre a sujeira que fábrica lança no ar.

Consegui uma pequena vitória, a Fábrica deixou de jogar sujeitas ostensivamente durante o dia, e montou um filtro em cima da estrutura, mas durante a noite, sem que possamos fotografar, ela deve usar processamento reverso e limpar o filtro no ar porque continuamos tendo um ar com uma grande quantidade de cimento.

Era bom que o prefeito de Sobral se lembrasse que ele também tem pulmão e que a poeira de cimento fica pairando no ar e entra em toda parte, mesmo nos aparelhos de ar condicionado, coisa que eu não uso há muito tempo porque eu tive um acabado pela poeira da Votorantim e cheguei à conclusão que fico menos atingido se
não forçar a ventilação para dentro de casa.

E o ruído da sinfonia das pedras quebrando!

A Sinfonia das pedras quebrando pela Votorantim

Eu vivo a cerca de 500 metros da Fábrica de Cimento da Votorantim, em Sobral e desde 2007 que vivia postando informações sobre a sujeira que fábrica lança no ar.

Novembro, poderia lembrar o Natal, mas no centro é a chaminé criminosa da Votorantim e a volta não é embelezamento natalino, é a poeira que ela espalha em volta

Há cerca de 13 anos que luto contra a sujeira que a Fábrica de Cimento da Votorantim faz em Sobral. Mas já faz algum tempo que parei de gritar porque algumas pessoas chegaram a me chamar de Dom Quixote, o personagem de Cervantes. Eu estaria atacando moinhos de vento então parei de lutar. Mas ontem, sábado, dia 31 de outubro, por volta de 3:30 horas da madrugada, acordei-me com um forte barulho, da fábrica moendo pedras. A moagem durou cerca de meia hora e estava agindo em desrespeito a lei do silêncio, registrei o ruído apontando com o celular na direção da fábrica e alterando a direção quando observa que a intensidade do ruído diminuía numa comprovação de que o barulho vinha de fato da fábrica.

Era bom que o prefeito de Sobral se lembrasse que ele também tem pulmão e que a poeira de cimento fica pairando no ar e entra em toda parte, mesmo nos aparelhos de ar condicionado, coisa que não uso há muito tempo porque eu tive um acabado pela poeira da Votorantim e cheguei à conclusão que fico menos atingido se não forçar a ventilação para dentro de casa.

E o ruído da sinfonia das pedras quebrando!

Comparando pano de limpeza e meus pulmões

Há cerca de 13 anos que luto contra a sujeira que a Fábrica de Cimento da Votorantim faz em Sobral. Mas já faz algum tempo que parei de gritar porque algumas pessoas chegaram a me chamar de Dom Quixote, o personagem de Cervantes. Eu estaria atacando moinhos de vento então parei de lutar. Mas ontem, sábado, dia 31 de outubro, por volta de 3:30 horas da madrugada, acordei-me com um forte barulho, da fábrica moendo pedras. A moagem durou cerca de meia hora e estava agindo em desrespeito a lei do silêncio, registrei o ruído apontando com o celular na direção da fábrica e alterando a direção quando observa que a intensidade do ruído diminuía numa comprovação de que o barulho vinha de fato da fábrica.

Eu vivo a cerca de 500 metros da Fábrica de Cimento da Votorantim, em Sobral e desde 2007 que vivia postando informações sobre a sujeira que fábrica lança no ar.

Consegui uma pequena vitória, a Fábrica deixou de jogar sujeitas ostensivamente durante o dia, e montou um filtro em cima da estrutura, mas durante a noite, sem que possamos fotografar, ela deve usar processamento reverso e limpar o filtro no ar porque continuamos tendo um ar com uma grande quantidade de poeira caracterizada como de cimento.

É o que se pode ver dos dois panos de limpeza do robô que fotografei com uma camisa branca para ajudar na comparação. Um dos panos, o que se encontra à esquerda na foto, está “limpo” e eu já o usei várias vezes. O da direita ainda está sujo de limpeza recente. Agora imagine como ficam os nossos pulmões para os quais não temos as mesma possibilidades de lavar e ainda assim lavando ainda ficariam sujos como se encontra o pano à esquerda, depois de diversas lavagens.

Agora, durante a pandemia, sem a possibilidade de limpar o carro, ele se encontra com pintura toda queimada, e lembro-me, por volta de 2007 quando comecei a denunciar a sujeira da fábrica eu usei a pintura do meu carro como comprovante da poluição que ela fazia e consegui que pintassem totalmente o carro. Mas interessa-me pouco uma nova pintura deste carro, o que me preocupa são os meus pulmões, os do prefeito Ivo Gomes, e os de todos os que vivem na vizinhança da fábrica onde há um bairro inteiro para onde se vê que poeira da é predominante empurrada pelos ventos do fim da tarde. Não posso fotografar os meus pulmões e nem lavá-los como faço com os panos de limpeza do robô.

É sumamente injusto que o grande capital, a poderosa Fábrica de Cimento tenha o direito de suja o meio ambiente nos fazendo mal, possa fazer barulho no horário sagrado do descanso, de noite, de madrugada. Sobral tem uma Secretaria do Meio ambiente que já foi informada diversas vezes daquilo que é de sobejo conhecimento da mesma que é o ataque ao meio ambiente que representa a Fábrica de Cimento da Votorantim, e sei de quem já contactou esta secretaria municipal, tendo com resposta que era preciso ir lá, pessoalmente, e preencher um formulário, coisa que deveria ser uma função da mesma, ao ser informada dum problema, fazer uma investigação em torno do assunto e inclusive dar satisfação a quem fizesse a reclamação se identificando o que nem precisava ser obrigatório, podia ser anônimo como uma forma de estímulo às denúncias.

Não espero muito do governo municipal para enfrentar a poderosa Fábrica da Votorantim em Sobral, não esquecendo que ela se chama assim porque tinha uma fábrica na cidade de Votorantim no Estado de São Paulo de onde foi “convidada” se retirar pelas razões que me levam a lutar a 13 anos contra este monstro, eis que sou um cavaleiro errante em luta contra moinhos, ou melhor, na defesa dos meus pulmões.

Assinado, Dom Quixote, el caballero de la triste figura.