Abaixo-assinado contra cortes nas universidades já tem mais de 1 milhão de assinaturas

Eu assinei!

Eu também enviei mensagem ao presidente da SBMAC cobrando um posicionamento da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional contra o desmonte das Universidades brasileiras – não obtive resposta!

As sociedades científicas, SBMAC, SBM, SBEM, SBF, Academia Brasileira de Ciências estão levando um silêncio de luto, aparentemente estão dispostas a colocar a mão no suporte do caixão das Universidades Brasileiras. Estão esperando o enterro passar!

Estou aterrorizado com o silêncio cúmplice das Sociedades Científicas antes o desmonte das universidades

Dirigi ao presidente da SBMAC esta mensagem manifestando a minha preocupação com o silêncio que entendo que é cúmplice ante o desmonte que é proposto das Universidades.

Acho que o CRUB também está mantendo um silêncio cúmplice e é sabido que quando se baixa a cabeça os fascistas aproveitam para avançar.

Sr. Presidente da SBMAC
É com uma grande preocupação que vejo a SBMAC se manter silenciosa frente ao desmonte que está sendo proposta da Universidade Brasileira e do sistema científico cultural que representam as Universidades, a CAPES e o CNPq pelo indivíduo que ocupa a Presidência da República.  O boletim que acabo de receber não faz nenhuma menção a uma atitude que tenha sido tomada pela nossa associação científica antes as tendências aterrorizantes que se propõem para a Universidade Brasileira e para o universo cultural que nós criamos a duras penas e que agora podem ser destruídos em muito pouco tempo.

Sugere uma atitude de cumplicidade que me deixa abismado.
A SBPC se manifestou de forma muito fraca, praticamente um gemido de dor ante a violência em curso da SBMAC não vi nada.
Atenciosamente,
Tarcisio Praciano Pereira

Maria was arrested on 29 March, the second time in a matter of weeks.

UPDATE 02/04/19: Maria was arrested on 29 March, the second time in a matter of weeks. Maria now faces 7 court cases, while Rappler, its directors and staff, face 11. These prosecutions are part of a campaign to silence critics of the Philippine government. Take action now and call on the Department of Justice to drop the charges, and put an end to politically-motivated prosecutions

Maria Ressa has helped to expose thousands of murders committed as a result of President Rodrigo Duterte’s “war on drugs” in the Philippines. She is now facing politically-motivated charges as authorities attempt to scare her into silence.

Since President Duterte came into power in 2016, thousands of poor and marginalised people have been murdered by police and others in extrajudicial killings. Maria and her team at the media outlet Rappler have been tireless in their efforts to investigate and expose this campaign of violence, intimidation and repression — even risking their own safety and freedom to do so.

In February 2018, Maria was banned by Duterte himself from attending press briefings at the presidential palace. In December, Maria and Rappler were targeted with “tax evasion” charges and had their company registration revoked in a blatant attack on free press in the country. They were later cleared of wrongdoing by the Court of Appeals, but the harassment didn’t end there.

In February 2019, Maria was arrested and detained overnight on “cyber-libel” charges. She has since been released after posting bail but the charges still stand. Maria says this is an “abuse of power” and “weaponization of the law”.

The ongoing harassment and arrest of Maria is a disturbing attempt to silence independent journalism in the Philippines. Please join us in calling for the Department of Justice to drop the charges against Maria and put an end to politically-motivated prosecutions.

Nota sobre a prisão da dirigente do Sinasefe Camila Marques

NOTA DA DIREÇÃO NACIONAL DO ANDES-SN SOBRE A PRISÃO DA COMPANHEIRA CAMILA MARQUES, DIRIGENTE DO SINASEFE.

Na manhã desse dia 15 de abril, tivemos conhecimento da prisão, em sala de aula, de Camila Marques, professora do Instituto Federal de Águas Lindas-GO e Coordenadora Geral do SINASEFE. Até o momento não temos informações precisas sobre o ocorrido, mas desde já prestamos a nossa solidariedade com a companheira e ao SINASEFE.

O ANDES-SN considera injustificada a prisão de professore(a)s em seu ambiente de trabalho e compreende que essa é uma forma de tentar intimidar educadore(a)s e lutadore(a)s que buscam em sua prática cotidiana construir a educação pública, gratuita, laica, democrática e socialmente referenciada.

Também registramos nossa total indignação diante da entrada da polícia civil em espaços educacionais para cumprir diligências que não sejam única e exclusivamente para defenderem estudantes, professore(a)s, técnico(a)s-administrativo(a)s e demais funcionário(a)s.

Nos solidarizamos com a companheira Camila e estamos colocando nossa assessoria jurídica e o nosso apoio político à disposição.  

Fascistas, não passarão!
Liberdade aos que educam!
Pela liberdade imediata de Camila Marques!

Brasília(DF), 15 de abril de 2019.


Diretoria do ANDES-Sindicato Nacional

Amnesty International survive from suffereing of other people

Amnesty International​ needs people suffering so to move hearts and get donations so it can follow living.

Lula is a political prisoner which has made 30 millions Brazilian free from hunger and has elevated Brazil to 6th position in the world economy and this is not interesting for ​Amnesty International​ that Lula be free, it is better that he stays in prison in conditions that more people stay in suffering otherwise ​Amnesty International​ will lost its living reason. The same with Marielle, it is better that Lula stay behind bars so that Marielle crime stay covered and that more people be assassinated which will give reason for ​Amnesty International​ moves.

Amnesty International suvive from suffereing of other people.

Amnesty International vive de sofrimentos.

Ela precisa que exista gente sofrendo para mover corações a fazer-lhe doações para que ela continue existindo.

Lula é um prisioneiro político porque libertou 30 milhões de brasileiros da fome e elevou o Brasil à 6ª posição na economia mundial, então não interessa à
Amnesty International que Lula seja livre, é melhor que ele fique preso para que haja gente sofrendo, para que o crime contra Marielle não seja desvendado
e até para que mais gente morra como Marielle o que permitirá mais ações de manutenção da Amnesty International.

Amnesty International sobrevive de sofrimentos.

Brasil já vai à guerra

Na década de 50 Juca Chaves escreveu a sua canção “Brasil já vai à guerra”. Brasil já vai à guerra, comprou porta-aviões, 82 bilhões! Um viva para a Inglaterra! Mas que ladrões!

E para que serviu o porta aviões? Você sabe? Alguém sabe para que serviu o porta-aviões? que serventia teve o Brasil gastar 82 bilhões para comprar um porta-aviões possivelmente reformado que de outra forma teria virado sucata a pesar no lixo dos ingleses!

Certamente serviu para os tenentes aviadores da FAB aprenderem a manobra em curso espaço caso contrário iriam morrer afogados quando fizessem alguma manobra militar conjunto, estas brincadeirinhas que tem um custo altíssimo e que a única utilidade que o país tem para o sistema de escoteiros públicos que mantemos a custo altíssimo.

Nem vou tentar fazer uma estimativa do imenso dinheiro que gastamos anos a fio para manter um “dispositivo” tão caro como inútil como o são as Forças Armadas até porque o número deles deve ser secreto, para nós, porque deve estar tudo em documentos escritos no word da Micro$oft e portanto vazado o segredo diretamente para a C.I.A se é que a C.I.A. mostra algum interesse pela potência das nossas Forças Armadas que afinal não tinham potência nem mesmo para invadir o Paraguai e tiveram que fazer um consórcio com os escoteiros das Argentina e do Uruguai para conseguir destruir o país irmão nosso vizinho e atender aos interesses da gang internacional que Eisenhower chamou, criando a expressão, “complexo industrial militar”. Eisenhouwer foi educado, não é um “complexo” e sim uma gang formada por egoístas com exclusiva sede de dinheiro e sangue.

Gastamos anos a fio uma montanha de dinheiro para manter um dispositivo inútil, perigoso, caro, improdutivo e cuja única serventia e ser usado pelo inimigo, a C.I.A. a cada cinquenta anos para dar um golpe em nossa democracia, ou como agora, nos fazer gastar uma montanha de dinheiro, do dinheiro que eles querem tomar dos nossos aposentados, para repetir com a Venezuela a invasão outrora feita contra contra o Paraguai e exatamente pelas mesmas razões, porque agora a Venezuela representa uma real alternativa ao capitalismo oferecendo ao seu povo desenvolvimento e se afastando do modelo rentista dominado pelo capital vadio, este mesmo que deseja se apoderar da nossa Previdência.

Entendo que foi um grave erro que cometemos na Constituinte de 88 quando poderíamos ter abolido este sistema inútil, perigoso, caro, perverso que é formado pelo que se chama de “forças armadas” e ter dado um salto avançado para o futuro separando o dinheiro inutilmente gasto com esta coisa na educação, saúde e infraestrutura de nosso país.

Se você tiver alguma fora de dimensionar o prejuízo que representa manter este sistema perverso, eu ficaria orgulhoso de incluí-la como coautora deste texto.

Paises livres não podem se submeter a ser bases americanas

Para el 13 de febrero de 2019 se ha anunciado una reunion en Washington entre Duque, presidente da Colombia y el presidente de los Estados Unidos, Donald Trump. Queremos manifestarle nuestra preocupacion por la actitud complaciente del Gobierno Nacional con relacion a una eventual intervencion militar de los Estados Unidos en Venezuela, y a la participacion que tendria nuestro pais en ese proposito. Estas son nuestras evidencias:

  1. El 15 de septiembre de 2018, en la ciudad de Cucuta, el secretario general de la Organizacion de Estados Americanos, Luis Almagro, acompanado del canciller, Carlos Holmes Trujillo, afirmo que “[e]n cuanto a la opcion militar para derrocar a Maduro, no debemos descartar ninguna opcion”
  2. El 16 de septiembre de 2018, el gobierno colombiano se abstuvo de firmar la declaracion del Grupo de Lima, en el que otros gobiernos de la region plasmaron su rechazo “[a]nte cualquier curso de accion o declaracion que implique una intervencion militar o el ejercicio de la violencia, la amenaza o el uso de la fuerza en Venezuela”
  3. El 18 de septiembre de 2018, el embajador de Colombia en Estados Unidos, Francisco Santos, declaro: “[s]e escuchan voces que hablan de operaciones militares unilaterales (sic). Creemos que debe darse una respuesta colectiva a esta crisis. Pero creemos, y, dejeme ser bastante claro, que todas las opciones deben ser consideradas”
  4. El 31 de enero de 2019, tras las reacciones por la nota en la libreta del consejero de Seguridad Nacional de Estados Unidos, John Bolton, en la que se mencionaba el envio de “5.000 tropas a Colombia”, el embajador de nuestro pais en los Estados Unidos dijo que “[e]s una jugada diplomatica inteligente para decirle a Venezuela que esta en el final (sic) […] Estados Unidos siempre ha dicho que ‘todas las opciones estan sobre la mesa'”4. Ese mismo dia, el inusitado despliegue militar en Cucuta como resultado de la visita del jefe del Comando Sur, almirante Craig Faller, genero mayor tension en la frontera con Venezuela.
  5. El 6 de febrero de 2019, al canciller Holmes Trujillo se le pregunto en rueda de prensa, luego de salir de la reunion con el Consejero de Seguridad de Estados Unidos, si habia tratado el asunto de la anotacion en la libreta a lo cual respondio: “Yo no iba a hacerle un interrogatorio, iba a conversar sobre lo que son las acciones que conjuntamente estamos disenando politica y diplomaticamente para crear condiciones que permitan que el hermano pueblo pueda vivir en democracia y libertad”

Senor presidente, de manera respetuosa, le pedimos que rechace cualquier accion que implique la participacion de Colombia en una confrontacion armada con Venezuela. Usted tiene en sus manos el deber moral y politico de defender la paz en Colombia y de la region.