Paises livres não podem se submeter a ser bases americanas

Para el 13 de febrero de 2019 se ha anunciado una reunion en Washington entre Duque, presidente da Colombia y el presidente de los Estados Unidos, Donald Trump. Queremos manifestarle nuestra preocupacion por la actitud complaciente del Gobierno Nacional con relacion a una eventual intervencion militar de los Estados Unidos en Venezuela, y a la participacion que tendria nuestro pais en ese proposito. Estas son nuestras evidencias:

  1. El 15 de septiembre de 2018, en la ciudad de Cucuta, el secretario general de la Organizacion de Estados Americanos, Luis Almagro, acompanado del canciller, Carlos Holmes Trujillo, afirmo que “[e]n cuanto a la opcion militar para derrocar a Maduro, no debemos descartar ninguna opcion”
  2. El 16 de septiembre de 2018, el gobierno colombiano se abstuvo de firmar la declaracion del Grupo de Lima, en el que otros gobiernos de la region plasmaron su rechazo “[a]nte cualquier curso de accion o declaracion que implique una intervencion militar o el ejercicio de la violencia, la amenaza o el uso de la fuerza en Venezuela”
  3. El 18 de septiembre de 2018, el embajador de Colombia en Estados Unidos, Francisco Santos, declaro: “[s]e escuchan voces que hablan de operaciones militares unilaterales (sic). Creemos que debe darse una respuesta colectiva a esta crisis. Pero creemos, y, dejeme ser bastante claro, que todas las opciones deben ser consideradas”
  4. El 31 de enero de 2019, tras las reacciones por la nota en la libreta del consejero de Seguridad Nacional de Estados Unidos, John Bolton, en la que se mencionaba el envio de “5.000 tropas a Colombia”, el embajador de nuestro pais en los Estados Unidos dijo que “[e]s una jugada diplomatica inteligente para decirle a Venezuela que esta en el final (sic) […] Estados Unidos siempre ha dicho que ‘todas las opciones estan sobre la mesa'”4. Ese mismo dia, el inusitado despliegue militar en Cucuta como resultado de la visita del jefe del Comando Sur, almirante Craig Faller, genero mayor tension en la frontera con Venezuela.
  5. El 6 de febrero de 2019, al canciller Holmes Trujillo se le pregunto en rueda de prensa, luego de salir de la reunion con el Consejero de Seguridad de Estados Unidos, si habia tratado el asunto de la anotacion en la libreta a lo cual respondio: “Yo no iba a hacerle un interrogatorio, iba a conversar sobre lo que son las acciones que conjuntamente estamos disenando politica y diplomaticamente para crear condiciones que permitan que el hermano pueblo pueda vivir en democracia y libertad”

Senor presidente, de manera respetuosa, le pedimos que rechace cualquier accion que implique la participacion de Colombia en una confrontacion armada con Venezuela. Usted tiene en sus manos el deber moral y politico de defender la paz en Colombia y de la region.

Professora, Enfermeira, Engenheira, Médica ou general

As professoras redimem os néscios fazendo deles professores, enfermeiros, engenheiros, médicos e até mesmo, infelizmente, generais. E um general faz o que? destrói casas e cidades, que os engenheiros construíram. Destrói pontes e estradas que a sociedade produziu para o bem estar de todos. Ou produzem golpes que podem levar a 6ª economia do mundo de volta para a 16ª posição em tempo mais recorde do que o duro trabalho que o torneiro mecânico e seus companheiros de partido gastaram para construir.

Que faz um general que se possa comparar com o trabalho dum professor, quantos deles merecem a honra dum Paulo Freire, reconhecido mundialmente por tornar analfabetos em pessoas livres que podem entrar num supermercado e escolher aquilo que lhes interessa comprar sem ter que perguntar a alguém ao lado se o conteúdo da lata é veneno ou comida. Se você souber algo que preste que tenha feito algum general, me diga, eu gostaria de saber. Claro que há exceções, a História já guardou um lugar de ouro para o Marechal Rondon, o defensor incansável dos Povos Primitivos e há outros poucos mais que podemos listar com auxílio dos dedos duma única mão.

Habitualmente os generais matam, bombardeiam, quebram, destroem, perseguem ou servem de apoio aos golpes do interesse duma minoria de lixos ricos.

Do sr. Vilas Boas restará o nome gravado numa pedra de túmulo e um infeliz registro histórico tão deprimente quanto o registro que cabe ao coronel Flores, ambos perseguiram heróis. O registro no túmulo ficará para leitura de alguns poucos, filhos, netos e talvez nem isto porque agora na Argentina os filhos dos ditadores e seus sequazes estão pedindo que eles sejam julgado pós morte para tirar-lhes das costas o peso que é conviver com nomes carregados de crimes contra a Humanidade.

Ao passo que Luís Inácio Lula da Silva, que é o perseguido preferido dos medíocres, tem o seu nome já inscrito ao lado de Juscelino Kubitschek de Oliveira, Getúlio Vargas, Paulo Freire, e que eu pare aqui a lista lhes dando a estes o privilégio de representar milhares de nomes brasileiros que levantam a bandeira do Brasil muito além de nossas fronteiras, com respeito, admiração.

E peça a um general para escrever uma defesa, eu a publicaria como direito que é o de resposta, no mesmo lugar até mesmo para a diversão dos que lerem porque talvez ela não passe dum texto tão simplório e ridículo como o que o idiota apresentou ao Mundo em Davos nos cobrindo de vergonha.

E me maltrata quando vejo alguns lutadores fazendo referência à elite brasileira como representada pelo lixo rico, ignorante, burro, egoísta, golpista, fratricida. Da elite sou eu professor, da elite somos nós os professores que produzimos outros professores, que retiramos da posição de analfabetos para uma posição de letrados, que produzimos médicas, enfermeiras, engenheiras e até mesmo, infelizmente, generais. Quantos generais sabem ler um teorema e dizer o que ele significa? Eu provo ou crio teoremas! Quantos generais sabem escrever um programa de computador que mostre alguma coisa interessante, exiba um plano tangente a uma superfície? Eu sei escrever um tal programa. Quantos generais saberiam escrever um programa para analisar dados estatísticos e fazer uma previsão, de curto prazo, para a Economia? Eu sei escrever um tal programa e sei fazer a previsão.

Os militares são caros, inúteis e perigosos e foi um grave erro na Constituição de 88 que não tenhamos aproveitado a oportunidade para limitar drasticamente a existência deste corpo perigoso ou, no meu entender, simples eliminá-lo como na Suíça ou como durante algum tempo na Costa Rica. A Suíça não tem forças armadas e nem golpes e pode assim passar por neutra e vender armas e informações aos dois lados em guerra o que é uma forma covarde de passar por neutro e contra a guerra. A Costa Rica eu não tenho certeza se andou para trás.

Educação para Libertação de Paulo Freire

Paulo Freira foi um visionário que descobriu o óbvio, mas foi ele quem
descobriu e o Mundo inteiro reconhece a genialidade que teve a sua
descoberta.

Foi nos idos de 1960 que o jovem Paulo Freire consegui trabalhar com adultos
na periferia de Natal, no Rio Grande Norte e teve o direito de fazer uma
sua experiência pedagógica. Foi quando ele descobriu aqui que ele chamou
de “palavras geradoras”, e eram as palavras que pertenciam a vida das
pessoas que ela ia alfabetizar: bolo, bola, boneca, sapato, rato, barata,
soja.

Ele as escreveu em cartazes colocando ao lado uma figura que correspondia a
cada palavra e logo os adultos estavam associando “bolo” com a figura do
bolo, “bola” com a figura da bola. Eram as palavras queridas e bem
conhecidas do grupo. Talvez não a “barata” mas mesmo não querida era bem conhecida e servia para introduzir novas sílabas.

Paulo Freire talvez não soubesse, mas descobriu, que nós funcionamos com
bancos de dados associativos e que as figuras podem ser guardadas em nossa
memória e com um pequena trabalho criamos a ponte para abstração associando
a figura com outra figura como o caso da bola com a palavra “bola”. É um
pequeno salto para abstração a associação no cérebro de dois tipos de figura.

Depois Paulo Freire começou o segundo estágio mostrando em cartazes que cada
uma dessas palavras que os adultos já reconheciam, e liam, se decompõem em
pedaços.

bola = bo + la
bolo = bo + lo
boneca = bo + ne + ca
casa = ca + sa

e assim ele levou os seus alunos ao segundo estágio quando eles passaram a reconhecer os componentes, a sílabas, que compunham cada uma daquelas palavras.

Desta forma agora ele pode escrever uma palavra nova para a qual não tinha figura mas que era
bem conhecida do grupo e continha os elementos das outras palavras

bo, ne, ca, sa, la

e assim, forçou um pouco a barra, e escreveu

so + ne + ca = soneca

e Paulo Freire estava dando mais um salto para abstração construindo com
sílabas uma palavra abstrata para a qual ele não tinha uma representação
gráfica e seus alunos estavam dando um salto para a abstração e dominando
um outro salto para a visão das sílabas que eram os compostos das palavras.

Depois veio o próximo salto:

bo = b + o
ne = n + e
ca = c + a

bo + ne + ca = boneca

E Paulo Freire estava inventando um método que invertia a consagrada soletração começando direto com a leitura das “palavras geradoras”, a sua
invenção, que hoje tem vários “pesquisadores” que lhe estão roubando a
invenção e se apropriando do seu método com outras formas semelhantes, mas
roubando o direito de Paulo Freire. Tem um “pesquisador” canadense que está fazendo ruído usando a invenção de Paulo Freire com pequenas modificações e sem dizer que começou tudo.

Em Londrina também tem um “pesquisador” que reinventou e está
distribuindo o seu método que na verdade é o Método de Paulo Freire.

Tem muita gente que está bombando com sua invenção que nada
mais do que o método do consagrado brasileiro Paulo Freire que é reconhecido
mundialmente.

Eu tenho um livro que comprei na década de 70, em sueco, que a “Pedagogia da Libertação” de Paulo Freire, sim, porque na Suécia Paulo Freire é um tópico dos currículos escolares, é uma disciplina na educação da Suécia, como é
muitas partes do Mundo.

Ai veio a ditadura de 1º de abril de 1964, prendeu o perigoso Paulo Freire
que estava libertando os adultos em Natal, e o enviou para Fernando de
Noronha de onde ele saiu para o exílio e o Mundo teve a oportunidade de
permitir que Paulo Freire desenvolvesse o seu método em outros países até
que pode voltar para sua pátria e ter a consagração que merecia numa das
principais universidades brasileiras, na Unicamp.

A força do método de Paulo Freire é tal que os ditadores e generais
entreguistas tremem antes o seu poder de libertação. Podemos aplicar o seu
método em Matemática e tornar a Matemática mais fácil de ser iniciada e
dominada. Podemos aplicá-lo na Química ou na Física Relativista ou na
Biologia. Podemos aplicá-lo em todos os campos do conhecimento em que o todo
possa ser decomposto em sílabas e partindo de “ideias geradoras” que um
grupo de alunos considerem naturais, “geradoras” descobrir-lhes as
“sílabas” para depois juntar estas sílabas para construir os conceitos
abstratos como é o caso de “soneca” que mostrei acima foi construída a
partir das sílabas já conhecidas das palavras geradoras “bola” e “boneca”.

É este visionário que o idiota, que serve de painel para os generais que
agora tentam montar outra ditadura entreguista, quer destruir. Coitado!
Paulo Freire é muito maior do que eles todos juntos e somados!

Say NO to Internet Censorship!

In today’s technologically driven world, the use of social media sites seems indispensable. It connects us with loved ones, friends, and even old acquaintances over the holiday season. We use social media sites as an outlet of personal expression, for the vast majority of us it is the only one we have. The problem is that we ignore at our own peril the ongoing deep learning and the super specialized technical sewage system that runs beneath the surface of all our daily tweets and Facebook updates. In the modern age we call them Big Tech – the international corporations that give us our free public platforms in exchange for all our metadata. Everything we say, everywhere we eat, every picture we take, even our post-dinner walks down the road and back are logged, spliced, recorded and analyzed for patterns. The prodigious plumbing system that surrounds us like magic can hear the conversation in the other room and show us an ad for it before our next YouTube video starts. The dangers of such a system is clear enough. The only revolutionary consequence for this dire state of internet things is the only plus that was ever imagined to the World Wide Web – free information for the masses. What were insignificant critiques in a hollow void two decades ago now have the revolutionary potential of virality. Videos and recordings of cops killing innocent people can now be shared across the globe in frightening speed, frightening for those who stand to be accused at least. Atrocities in Palestine, Flint, Honduras and the US border can be tweeted, screenshot, uploaded to video sharing sites. Critiques against biased US media conglomerates can now be freely discussed. The far reaching consequences of this, however, has already been understood by Big Tech and the corporate class and they have been trying to kill democratic free speech on the most widespread forums ever known. We have seen them censor TeleSur News, a media company from Venezuela, at the same time as military forces attempted an assassination of President Maduro. We have seen them censor Palestinian activists, which then lead to their arrest. We have seen the same with Black Lives Matter activists in the United States. At the Alliance for Global Justice, we have started a campaign to call out these corporations when they censor legitimate news or people when what they have to say contradicts the accepted narrative. The Social Media Anti-Censorship Campaign, or SMACC, has only begun but to get it off the ground we need your help – support SMACC with a tax-deductible donation today. With your much needed support we can create a more democratic world free of censorship and ripe with the truth.
DONATE NOW
https://afgj.org/  

Prenderam Pezão para ver a reação do meio jurídico e da esquerda. Por Elliel G Barros

Elliel G Barros     Antes que digam que *estou defendendo bandido*, vai um alerta para quem tá comemorando a prisão do *PEZÃO*: *esta prisão foi um teste para prenderem petistas ano que vem*. E explico o motivo:

Pezão tem foro privilegiado e foi preso apenas com base em delação sem sequer ter sido condenado, não poderia ser preso até o final do mandato. Sergio Moro vai usar os mesmos dispositivos jurídicos para prender governadores, deputados e senadores petistas a partir do ano que vem. Sua prisão foi apenas um teste.

Sim, ele é bandido, mas deveria ter sido preso a partir de 1º de janeiro. Se a Lava Jato quisesse prender bandidos não-condenados com base em delação, teriam prendido Alckmin que não tem foro privilegiado, ou mesmo quando ainda tinha, pois o Ministério Público da Suíça enviou centenas de páginas de provas de suas propinas. Prenderiam José Serra, Aécio Neves, Onyx Lorenzoni, etc.

Prenderam Pezão para ver a reação do meio jurídico e da esquerda. E foi a melhor possível (para os golpistas): sem nem pensar, a esquerda aplaudiu a prisão de um político com foro privilegiado que não foi sequer condenado baseado apenas em delações.

Os governadores, senadores e deputados do PT que se cuidem em 2019. *Sergio Moro já mostrou que não precisa de provas contra o PT*, só precisa convencer UM delator a falar algo contra algum petista, e ele manda prender na mesma hora. Gleisi, Haddad e Dilma encabeçam a lista dos próximos perseguidos.

Ou a esquerda começa a pensar com a cabeça e não com a emoção, ou vai ser dizimada. Bolsonaro não veio pra brincar, *seu projeto de poder é ficar no poder por no mínimo 40 anos*.

Você é RESISTÊNCIA a ele ou você é da turma do oba-oba que comemora prisão abusiva que será usada contra nós daqui a poucas semanas?

Em vez de comemorar esta prisão, pergunte-se por que Aécio Neves, José Serra, Alckmin (PSDB) e Magno Malta, Mandetta e Onyx (da turma de Bolsonaro) não foram presos também, se contra eles há centenas de provas e no caso de Onyx até uma confissão em vídeo.

_por Thiago dos Reis_

*Se leu até o final, parabéns, agora sua missão é REPASSAR*

A revolta é urgente, depois será tarde!

O Brasil é uma holding, e vão quebrar esta holding?

O Brasil é uma empresa, na linguagem da macro economia, é uma holding que gerencia grandes empresas como Banco do Brasil, Caixa Econômica, Petrobras, Eletrobras, enfim as
empresas estatais e mais Receita Federal que todas garantem o caixa do Governo Federal
com a Previdência representando a grande empresa social que garante aposentadorias, SUS com dinheiro arrecado inclusive pela Loteria Federal que é gerenciada pela Caixa Econômica Federal.

Esta é uma pintura em grandes traços da Economia desta holding chamada Brasil. Os economistas, professores universitários, gente que está habituada a descrever o panorama econômico tem que vir para fora rapidamente e descrever melhor, com números claros e com palavras exatas e pedagógicas o que eu estou aqui descrevendo de forma imprecisa mas que tenho certeza de que é profundamente real, mas de economia eu domino apenas aquilo que um leigo não idiota consegue dominar e não posso ter uma expressão ou desenvolver um argumento sólido para mostrar o suicídio em que o país estará incorrendo se esta claque de irresponsáveis assumir a gerência da Holding Brasil no dia 1º de Janeiro de 2019. Eu não tenho dúvida, estaremos definitivamente perdidos.

Com estes loucos que ninguém esperava que se tornassem os gerentes da holding Brasil agora anunciando que irão torrar todo o patrimônio da holding Brasil um caos vai se estabelecer a curtíssimo prazo e ai será tarde para que nós juntemos força para desfazer a loucura inclusive porque do ponto de vista “jurídico” os que levarem o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, a Petrobrás, a Eletrobrás, os Correios, a Casa da Moeda, a Receita Federal poderão dizer que o negócio foi legal e que não podemos simplesmente querer desfazê-lo porque terá sido um governo eleito por cincoenta milhões de brasileiras, claro, apenas 30% do eleitorado e via um estelionato eleitoral representado pelas notícias falsas que fizeram com que 40% se retraísse, votando nulo, branco ou simplesmente deixando de votar, e apenas quase 30% que se mantiveram firmes dizendo que queriam continuar com o Brasil como ele ainda é hoje.

Ou nos revoltamos agora ou depois será tarde demais. Se nos acomodarmos e deixarmos que estes loucos cometam o suicídio do país, será muito difícil corrigir o rombo depois porque eles estarão aparentemente amparados pelo resultado também aparentemente legal das eleições. Estaremos perdidos, então!

Agora os funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica estão alvoroçados para pegar a grana da demissão voluntária porque eles precisam mostrar dois bancos sem custos e apenas com um grande volume de capacidade operacional que pode ser toda tocada eletronicamente e sem precisar de mãos humanas, lucro puro. Em troca os suicidas que nomeamos gerentes da holding, terão um pequeno ativo como resultado da venda que irão torrar rapidamente com o pagamento das demissões voluntárias ou jogar no ralo da chamada dívida pública que o saudoso Hélio Fernandes passou toda a sua vida questionando e logo vai se acabar o resultado da venda das galinhas de ovos de ouro que temos.

Então vai chegar a vez de fazer a demissão voluntária no judiciário, nas forças armadas, nas Universidades, e no resto da empresas públicas, mas então vai ser muito tarde para reagirmos.

Não temos outra saída e começar urgentemente uma greve geral, parar o país inteiro e mostrar para o TSE que estas eleições fraudadas não podem ser legalizadas usando o irresponsável parecer da dita “procuradora federal” que menciona que as ilegalidades foram menores, apenas valendo alguns bilhões em caixa 2 que alteraram significativamente o pensamento de 70% das eleitoras e eleitores, os que votaram no capitão ou que deixaram de votar. Não foram ilegalidades menores, e pelo contrário foram profundas ilegalidades reconhecidas até pela Folha de São Paulo, mas também por toda a imprensa internacional.

Ou nos revoltamos agora ou depois será tarde demais.

Amnesty International primeiro espera o leite derramar depois tenta juntar!

Oi, ,tudo bem?   Claro que não!  Afinal durante toda a campanha eleitoral eu estive criticando a Amnesty Internacional porque havia um prisioneiro político.  E a Amnesty Internacional deu de ombros.  Aparentemente a Amnesty Internacional precisa que exista um problema para que ela fature em cima do problema.  Se não houverem prisioneiros políticos às dezenas, para que mesmo existiria a Amnesty Internacional.  Então a Amnesty Internacion torceu para houvesse golpe no Brasil para que ela agora apareça como protetora dos desvalidos!  hahahahaha!
Juntos, enfrentamos o desafio de proteger os direitos humanos no Brasil? E porque não se juntou conosco para evitar o golpe?  porque não se juntou conosco para denunciar que Luís Inácio Lula da Silva é um prisioneiro político e exatamente quem tinha um caudal eleitoral que poderia enfrentar o golpe que finalmente chegou e se instalou pela via eleitoral?  Agora Amnesty Internacional chegou para juntar o leito que derramou?
O “presidente eleito” fez campanha suja, com caixa 2, criminosa, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo,  tinha uma agenda abertamente anti-direitos humanos e frequentemente fez declarações discriminatórias sobre diferentes grupos da sociedade, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo, Sua eleição como presidente do Brasil representa um enorme risco para os povos indígenas e quilombolas, comunidades rurais tradicionais, pessoas LGBTI, jovens negros, mulheres, ativistas e organizações da sociedade civil, caso sua retórica seja transformada em política pública”.

Agora a Amnesty Internacional tem uma razão para sua existência, ela precisava que o golpe se instalasse,  que potencialmente houvessem os problemas com os direitos humanos para que a Amnesty Internacional mostrasse que ela poderia servir para alguma coisa!  hahaha!  Um pouco tarde!  Os apolíticos, os que se omitiram nas eleições, os que se deixaram enganar pelo propagando de caixa 2 que devem agora apoiar a Amnesty Internacional para apaziguarem mutuamente suas consciências de seres apolíticos.

Vamos nessa?
A nossa mobilização já mostrou ao que veio e que tem muito poder de frear retrocessos! 
Lembra do potencial da nossa campanha Direitos Não se Liquidam no ano passado? Com nossa mobilização e de outros movimentos da sociedade civil conseguimos, por exemplo, o adiamento da votação sobre a redução da maioridade penal e a não aprovação do relatório sobre a PEC 181 de 2015, que criminaliza o aborto nos casos previstos na legislação brasileira.
Ou seja, quanto mais lutamos, mais ganhamos. 
Já estamos preparando as bases para ampliar nossa mobilização e pressão sobre as autoridades em 2019, a fim de garantir que o futuro do Brasil tenha menos retrocessos e mais justiça e liberdade. Mas precisamos do seu apoio e doação para nos fortalecermos e atuarmos juntos por nenhum direito a menos!

Vem com a gente! Some sua voz a essa luta por direitos! Mostre que você se importa com direitos humanos!

Quero doar para a Anistia Internacional