Os heroicos negros americanos comemoram 56 anos hoje

Há 56 anos, no dia de hoje, Martin Luther King, Jr. estava puxando a histórica marcha através do Alabama, de Selma até Montgomery. Ele não estava apenas dizendo a verdade para os poderosos, ele junto com os seus companheiros de marcha estavam chamando atenção de toda a nação americana para o direito de voto.

Fifty-six years ago today, Martin Luther King, Jr. led a heroic march through Alabama, from Selma to Montgomery. He didn’t just speak truth to power — he and the marchers brought voting rights to the attention of the nation.

Dr. King e seus companheiros da Southern Christian Leadership Conference estava determinados a estabelecer a justiça apesar da violência que se repetia vinda dos vigilantes brancos e do próprio Estado. Eles estavam se levantando contra os fatos e fizeram uma marcha de 300 km escoltados pela Guarda Nacional. (Nota do tradutor, aqui no Brasil também copiaram esta esquisitice de “guarda nacional”, somente copiam o que há de pior dos americanos.)

Dr. King and members of the Southern Christian Leadership Conference were determined to see justice prevail, despite recurring acts of violence perpetrated by white vigilantes and the state itself. They were up against long odds — nevertheless, they made the 54-mile trek, all the while being escorted by the National Guard.

E apesar de que a lei 1964 Civil Rights Act havia entrado em vigor no ano anterior, estados como o Alabama estavam se recusando a segur a lei. Os cidadãos negros continuavam a sofrer sob o sistema brutal de Jim Crow tendo dificuldades para acessar os locais de votação e restrições significativas de acesso ao que fosse público.

Despite the fact that the 1964 Civil Rights Act had only passed the year before, states like Alabama were refusing to follow the law. Black citizens continued to suffer under a brutal Jim Crow system, including having scarce access to the ballot box to essentially no public accommodations.

Mas eles persistiram se recusando a aceitar o que estava estabelecido. Em particular eles entendiam que o direito sagrado ao voto era essencial para a mesma sobrevivência como de resto da preciosa democracia. Porque se todos não tiverem acesso aos locais de voto então se tratataria duma democracia apenas nominal.

However, they persisted, refusing to back down despite the daunting odds. If anything, they leaned in harder, understanding that the sacred right to vote was critical to their own survival — as well as to our precious democracy. After all, without everyone enjoying equal and unfettered access to the ballot box, ours is a democracy in name only.

Four Directions tem o orgulho de se encontrar na linha de frente da luta pelo igualdade de direitos ao voto para todos Os Primeiros Povos em toda a nação americana. Quem nos inspira e nos leva à ação são os verdadeiros lutadores como Dr. King e antigo Deputado John Lewis, os herois que deixaram derramar os seus sangues para expandir o direito ao voto.

Four Directions is proud to be at the forefront of the fight for equal voting rights for all Native Americans across the United States. We are motivated, inspired and compelled to action by true freedom fighters like Dr. King and the late Congressman John Lewis, heroes who shed blood to expand access to the voting booth.

O direito ao voto é sagrado e fundamental para a nossa democracia e é esta a razão pela qual nós iremos enfrentar com vigor a injusta supressão dos votos. Já vencemos o que as imposições nos estados North Dakota, Arizona, em outros locais e voltaremos a vencer novamente, as dificuldades são muito grandes para que possamos aceitar qualquer por menor.

The right to vote is a sacred and fundamental part of our democracy, which is the reason we’re going to give this fight against unjust voter suppression everything we’ve got. We’ve beaten the odds before — in North Dakota, Arizona, and elsewhere — and we will again! The stakes are just too high right now to accept anything less.

No momento se prepara uma onde fortíssima para assaltar o direito ao voto. Desde novembro último em que tivemos um recorde eleitoral revertendo as eleições, nos estados como Arizona, Georgia, North Carolina e muitos outros estão sendo desenvolvidas tácticas para tornar mais difícil o voto para Os Primeiros Povos e para o povo de cor.

Right now, we’re facing an all out assault on the right to vote. Since last November — a record turnout election — states like Arizona, Georgia, North Carolina, and many others are moving to make it harder for Native Americans, and people of color, to exercise their right to vote.

Um número imenso de leis dirigidas para a supressão do voto vem sendo introduzida pelo america toda numa forma que se assemelha a era de Jim Crow. Se não nos levantarmos agora de maneira forte, nossa democracia ficará seriamente comprometida.

A record number of voter suppression bills have recently been introduced all over the country, a situation which sadly mirrors the Jim Crow era. If we don’t take forceful action now, our democracy could be in serious trouble.

E é por isto que o projeto de lei como H.R. 1 o For the People Act é de suma importância. Mas quando ele for aprovado a nossa vigilância tem que ser mantida. É o exemplo da ação de Dr. King com seu movimento pelos direitos civil e do voto que continua até os dias de hoje, é uma tocha que temos que continuar carregando com todo o orgulho.

That’s why legislation like H.R. 1 — the For the People Act — is absolutely essential. But even when it passes, we must remain vigilant. Dr. King helped spark a movement for civil and voting rights in this country that lasts to this day, a torch we must continue to proudly carry going forward.

Levar a frente com sucesso este legado é nossa responsabilidade. Eu estou satisfeito de tê-lo conosco nesta luta.

The successful continuation of this legacy, is OUR shared responsibility. I’m truly glad that you’re with us in this struggle.

Obrigado

Thank you,

OJ Semans

Traidores e burros

Tarcisio Praciano-Pereira

NÃO DIVULGAR #Greve14J #GreveGeral14JNÃO DIVULGAR PORQUE O ministro PROIBIU! NÃO DIVULGAR #Greve14J #GreveGeral14JNÃO DIVULGAR

Os juízes do STF destruirão a economia brasileira com a decisão infame de permitir a venda das empresas brasileiras sem autorização co Congresso.

São burros, porque não entendem que um país, o nosso país, é uma holding, que no economês significa uma super-empresa que é dona de várias outras empresas. O Brasil é dono do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, da Petrobras, da EMBRAPA, dos Correios, da Embraer (era dono da Embraer até que outro traidor da Pátria doou a Embraer para uma empresa pública americana). Enfim o Brasil, como uma grande empresa é dono de outras empresas, algumas empresas algumas das quais são fins lucrativos como é o caso do MEC, da maioria dos ministérios, que também são empresas, apenas sem fins lucrativos, como também é o caso do SUS, da INSS, das Universidades. Outras têm fins lucrativos, mas limitados, porque o seu principal objetivo é oferecer à cidadania um serviço de qualidade e com segurança, mas elas precisam se sustentar porque têm custos, têm que sustentar os seus funcionários e tem que devolver algum rendimento ao governo que desta forma pode reduzir os impostos que são a forma como nós sustentamos a máquina pública.
a
E foi isto que fez de Luís Inácio Lula da Silva o gigante da economia que é hoje estudado nas universidades Mundo afora como um exemplo de economia que saiu do figurino imposto pelo sistema financeiro que é representado pelo FMI e pelo Banco Mundial. Eles não conseguiram entender que quando todos os países chamados desenvolvidos estavam dentro duma crise financeira imensa, o Brasil, assim como a China emergiam silenciosamente mas a passo firme a ponto de que o governo Brasileiro, e considero que isto foi um dos erros do governo do PT sanou a dívida com FMI terminando por se tornar credor do mesmo. Considero que foi um erro porque há anos existe um movimento cidadão, a “Auditoria cidadã da Dívida” que foi iniciado pelo jornalista Hélio Fernandes e que morreu sem ver a auditoria ser executada. Hélio Fernandes dizia que não havia dívida e nós sabemos e muitos economista também o dizem e sabem que não havia dívida e sim um truque contábil para extorquir do povo brasileiro um aluguel injusto. Eles são burros e não entendem isto que Lula entendeu e pôs em prática. Agora eles de forma antipatriótica e burra assumem para si o direito que não consigo ver de onde saiu a justificativa uma vez que o STF existe para proteger a Constituição e não para legislar em matéria econômica. Aliás, o STF não é uma casa legislativa, é apenas e tão somente o guardião da Constituição e lhe cabe apenas verificar se em algum ponto a Constituição estiver sendo ferida. Fora disto extrapola suas funções e comete um crime de abuso de poder, como foi o caso.

São burros porque não entendem que com destruição da “galinha dos ovos de ouro” da economia do Estado, estão destruindo a economia do Brasil e longo prazo eles perderão os salários monstruosos que recebem além das refeições de lords dum reino que eles pensam existir e do qual eles são os, pensam que são, os cortesãos do reino. Vai faltar dinheiro no caixa do governo e com a burrice deles vai minguar a grana da corte assim como vai faltar dinheiro para sustentar os inúteis e perigosos militares com seus brinquedinhos duma guerra antiga, os canhões, os tanques, os submarinos, os porta-aviões, os fuzis, as metralhadoras, a vida boa nos quarteis com aquela fardinha ridícula que eles pensam que servem para confundi-los com arbustos no meio da selva, que ridículos os escoteiros verde-oliva.

São antipatriotas porque estão destruindo o vigor econômica desta holding que é o nosso país. Agora deixaram em aberto que as nossas companhias municipais de água possam ser vendidas, o que na prática significa leiloadas dentro das regras do capital vadio dominado pelos bankster e certamente com licitações fajutas definidas pelos próprios abutres financeiros que irão abocanhar as nossas riquezas.

Cabe-nos urgentemente derrubar esta ditadura implantada pela via das eleições fraudadas à distância pelo facebook, whatsapp estimuladas e dirigidas desde os Estados Unidos da América do Norte pelo escritório do infame Steve Bannon que foi magistralmente desmascarado pelo seu assessor computacional inglês cujo nome me falha neste momento. E aqui, novamente, antipatrioticamente e burramente, STF, STE, STJ foram os cúmplices da traição conta a nação brasileira porque a fraude eleitoral foi denunciada em tempo pela Folha de São Paulo e por muitos outros meios de comunicação. Foram cúmplices do crime e assim além de burros e antipatriotas são criminosos.

NÃO DIVULGAR #Greve14J#GreveGeral14JNÃO DIVULGAR

Nota sobre a prisão da dirigente do Sinasefe Camila Marques

NOTA DA DIREÇÃO NACIONAL DO ANDES-SN SOBRE A PRISÃO DA COMPANHEIRA CAMILA MARQUES, DIRIGENTE DO SINASEFE.

Na manhã desse dia 15 de abril, tivemos conhecimento da prisão, em sala de aula, de Camila Marques, professora do Instituto Federal de Águas Lindas-GO e Coordenadora Geral do SINASEFE. Até o momento não temos informações precisas sobre o ocorrido, mas desde já prestamos a nossa solidariedade com a companheira e ao SINASEFE.

O ANDES-SN considera injustificada a prisão de professore(a)s em seu ambiente de trabalho e compreende que essa é uma forma de tentar intimidar educadore(a)s e lutadore(a)s que buscam em sua prática cotidiana construir a educação pública, gratuita, laica, democrática e socialmente referenciada.

Também registramos nossa total indignação diante da entrada da polícia civil em espaços educacionais para cumprir diligências que não sejam única e exclusivamente para defenderem estudantes, professore(a)s, técnico(a)s-administrativo(a)s e demais funcionário(a)s.

Nos solidarizamos com a companheira Camila e estamos colocando nossa assessoria jurídica e o nosso apoio político à disposição.  

Fascistas, não passarão!
Liberdade aos que educam!
Pela liberdade imediata de Camila Marques!

Brasília(DF), 15 de abril de 2019.


Diretoria do ANDES-Sindicato Nacional

Porque me ufano do meu país

Edgard Venant

E dedico este pequeno trabalho ao prisioneiro político, Luís Inácio Lula da Silva que liderou este país conduzindo para ser o Grande Brasil respeitado por todas as nações a ponto de ser o “B” do BRICS coisa que nunca tinha acontecido antes. Lula se se encontra encarcerado em Curitiba principalmente devido à covardia e a corrupção instalada no judiciário brasileiro. Covardia, uma vez que não precisavam aceitar que militares antipatriotas viessem ditar-lhes as regras políticas do judiciário e bastava mesmo dizer um “não” altaneiro e os milicos teriam enfiado o rabo entre as pernas porque eles somente tem coragem quando encontram covardes pela frente.

Comecei a escrever este texto que não quero que seja meu e que vou colocá-lo em público na esperança que outros se juntem a mim na busca das razões porque lutamos por aquilo que chamamos de pátria livre e que no meu entender não pode representar um patriotismo enrustido dum tipo que até permite a traição dos ideais que todos buscamos entre os quais tem que se encontrar a solidariedade entre os povos. Não é bem um texto, é um registro que mostra que nossa história podia ser outra se algum dos valentes aqui mencionados fosse seguido por todos nós. E fica aberto, que o peguem, o corrijam, o alterem, acrescentem aqui de que me esqueci ou não sei.

O título me veio do texto de Afonso Celso de Assis Figueiredo Júnior
http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/download/4869/3279
que era um texto habitual nas escolas quando eu era menino e aprendiamos a respeitar a terra Brasilis.

Porque há 500 anos atrás o brasileiro que aqui vivia ficou sabendo que visitantes em grandes canoas se aproximaram da terra brasileira que então se chamava Pindorama e era um grande espaço ocupado por diversas nações que falam linguás distintas entre as quais duas linguás eram as mais importantes o Tupi e o Guarani, e não tenho nem mesmo certeza disto porque nunca estudei na Escola as origens do meu povo. A família linguística tupi-guarani é uma das mais importantes da América do Sul. Engloba várias línguas indígenas, das quais a mais representativa atualmente é o guarani, um dos idiomas oficiais do Paraguai. E um único presidente do Brasil se preocupou com os primeiros povos e até lhes fez visitas e alterou seu plano de governo para incluí-los como o centro da brasilidade, Vargas, durante o a ditadura.

Mas sei que num certo momento algumas nações que aqui viviam souberam dos visitantes e se dirigiram à praia mas cordial mene recebê-los e seguindo uma tradição que até hoje persiste em alguns rincões deste enorme Brasil, lhe trouxeram aos visitantes presentes para lhes dizerem que eram bem vindos.

E me orgulho dos meus antepassados que receberam cordialmente os visitantes para apenas descobrir logo depois que não eram visitantes e sim invasores e eram covardes e desumanos e traidores. Que em troca da cordial recepção aos poucos se assenhorearam do que não lhes pertencia e sim a outrem que aqui vivia tomando-lhes a liberdade e fazendo deles escravos e tudo isto em nome dum deus que consigo traziam e que lhes permitia o desrespeito de suas próprias regras uma das quais eram amar ao próximo como si próprio.

E se passaram 500 anos, e aqueles a quem tudo pertencia da terra brasileira, hoje restam poucos e ainda têm que lutar e reclamar para ter o direito reconhecido a pequenos rincões de terra que antes era toda deles.

E assim se passaram 500 anos em que, primeiro, os assim chamados reis de Portugal roubaram, rapinaram, extorquiram, vandalizaram a terra brasileira e os seus primeiros moradores e como uma vez disse o poeta português Guerra Junqueiro, roubaram a terra brasileira e nem mesmo parte significativa deste roubo ficou com os portugueses mas com um espirito de cachorro vira-latas que ainda hoje marca a pequena minoria que tudo explora, repassaram para os ingleses tudo que do Brasil haviam roubado. Mesmo se tendo passado 500 anos de roubalheira e rapinagem, foi possível em pequeno período em que tivemos um governo voltado para nossa gente, sairmos da vergonhosa posição de 16ª economia mundial para a 6ª deixando para trás um dos invasores, os ingleses. Com isto mostramos que somos um povo forte, decidido, corajoso, trabalhador e com fé em nosso próprio poder.

E temos ao longo destes 500 anos de história depois da invasão, até mesmo, injustamente, esquecendo que antes do ano 1500 já tenhamos uma história que simplesmente nunca nos foi contada possivelmente até para que não reclamássemos a historia anterior à invasão como parte de nossa história e que acreditássemos que tudo haveria começado na invasão em 1500, mas mesmo olhando apenas para esta história que nos dizem registrada após a invasão, temos muito do que nos ufanar e orgulhar desta miscelânea formada dos primeiros povos, do africano que foi trazido para cá à força e submetido à escravidão, e dos portugueses que em grande parte eram trabalhadores que miscigenados formaram a cidadania brasileira. Deles sairão Antônio Conselheiro, Tiradentes ou Índio Mameluco todos lutadores, cada um à sua maneira, como Lampião, os os milhares de heróis mais recentes que se rebelaram contra a ditadura militar de 1964. É uma nação de heróis, de mulheres e homens cheios de ideais conscientes que eram membros duma nação heroica plantada numa Terra cheia de riquezas rodeadas duma Natureza retumbante que durante estes 500 anos apenas foi roubada, saqueada e ainda assim continua rica e desejada por novos e recentes invasores, pior, com o apoio dos anti-heroicos, os traidores que aceitam pequenas gorjetas em troca de prostituir a pátria e a sua gente.

Mesmo que representa uma injustiça contra os milhões de anônimos que fazem, que fizeram a nação brasileira, é interessante nomear alguns que brilharam muito além dos outros. E vou mencioná-los sem nenhuma ordem especial até porque a História que nos contaram não precisa ser a História em que desejamos acreditar. E nesta desordem vou começar por um militar que certamente se envergonharia dos que hoje sujam a farda do exército brasileiro com o sujo golpe iniciado em 2012 em reuniões que aconteceram fora do Brasil mas que desembocaram na destituição da primeira mulher presidente deste país. Quero lembrar o sertanista e indianista que foi o Marechal Cândido Rondón que gastou parte significativa de sua vida na defesa dos primeiros povos a quem respeitou, protegeu e por quem lutou. Era um militar desses por quem se deve ter respeito e veneração. Cândido Mariano da Silva Rondon, mais conhecido como Marechal Rondon, foi um militar e sertanista brasileiro. Patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro. De origem indígena por parte de seus bisavós maternos (Bororó e Terena) e bisavó paterna (Guará), Rondon tornou-se órfão precocemente, tendo sido criado pelo tio e, depois de sua morte, transferiu-se para o Rio de Janeiro para ingressar na Escola Militar desta cidade,[1] pois além dos estudos serem gratuitos, os alunos da escola recebiam, desde que assentassem praça, soldo de sargento.
Alistou-se no 3º Regimento de Artilharia a Cavalo em 1881. Dentre outros estudos, cursou Matemática e Ciências Físicas e Naturais da Escola Superior.

Ou então o sertanista que teve se educou em escola militar e de certa forma foi um militar e escritor brasileiro o autor da obra monumental “Os Sertões”, Euclides da Cunha e que fez pouco frente ao que poderia ter feito não tivesse morrido em vão ainda jovem.

Como sou Matemático, estudei nos livros de Sinésio de Fárias,
Ary Quintella, Manoel Jairo Bezerra, Darcy Leal de Menezes este autor de monumental obra que era o nosso maior susto pela quantidade de expressões algébricas que ele conseguiu juntar em seu então famoso Abecedário da álgebra – “Ciclo Colegial – Livro Premiado Pelo Exército Brasileiro”. Todos militares com exceção de Manoel Jairo Bezerra, que foi, entretanto, professor do Colégio Naval do Rio de Janeiro e de outras instituições de ensino dos militares. Embora a Matemática que eles tenham produzido fosse de certa forma repetição da existente na Europa e que eles mesmo tenha agregado pouco ou quase nada de novo, eles representaram o começo da Matemática Brasileira que hoje brilha e conseguiu brilhar num período relativamente curto de existência própria e sem dúvida deve a estes mestres da Matemática básica o alicerce daquilo que foi construído depois porque eles começaram. E foram militares de que nos orgulhamos, nenhum deles é um golpista, nenhum deles é um traidor da pátria e pelo contrario contribuirão para que nós crescemos.

João Guimarães Rosa nasceu em Cordisburgo, Minas Gerais, no dia 27 de junho de 1908.
Foi Oficial Médico do 9º Batalhão de Infantaria, quando em 1934, ingressa para a carreira diplomática, no Itamaraty.
Guimarães Rosa foi Patrono da cadeira nº 2 na Academia Brasileira de Letras, tomando posse três dias antes de morrer, no dia 16 de novembro de 1967.

Na literatura temos nomes de respeito internacional e citar alguns seria injustiça que eu cite um que foi um mestiço, que nunca teve instrução formal mas que deslumbrou meio mundo com os romances que escreveu e cujo nome marca a Academia Brasileira de Letras que nem sempre se tem mostrado merecedora do nome que ostenta, a Casa de Machado de Assis.

Seria injusto não lembrar Prestes também oriundo do exército ou Lamarca, este último um herói entre os que resistiram ao golpe de 1964 promovido pelo famigerado projeto Condor americano e que nos atrazou por dezenas de anos deixando ainda as raízes que vicejaram agora com este novo golpe.

Antes lembrei militares e agora quero lembrar os que marcaram etapas na vida brasileira, alguns mesmo vivendo fora do Brasil como Santos Dumont, ou o nosso primeiro matemático merecendo este nome, o maranhense Souzinha. O Maranhão, antes de ser dizimado por um dos filhotes da ditadura de 1964, produziu figuras imensas da literatura brasileira e aliás, durante muito tempo era considerado o berço da linguá portuguesa, o local, no Brasil, onde melhor se falava o português. Humberto de Campos era um maranhense e como ele muitos outros maranhenses brilharam nas letras.

Da Bahia, onde primeiro aportaram os invasores sairão diversas sumidades dentre elas o jurista Ruy Barbosa que já antevia a catástrofe ética em que um dia iriamos nos encerrar. Ruy Barbosa de Oliveira (Salvador, 5 de novembro de 1849 — Petrópolis, 1 de março de 1923) foi um polímata brasileiro, tendo se destacado principalmente como jurista, advogado, político, diplomata, escritor, filólogo, jornalista, tradutor e orador.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ruy_Barbosa

O trono no Brasil foi derrubado por um golpe militar que alijou do poder um dos reis mais corretos que a história da realeza registra. Pessoalmente detesto a “realeza” que considero uma infâmia, aliás, infâmia esta cuidadosamente corroborada por todas as realezas vigentes no Mundo. Mas Pedro II introduziu no Brasil a telefonia e neste sentido parece que o Brasil foi o primeiro país do mundo a usar telefones. Como também foi, muito tempo depois, o primeiro país fazer eleições totalmente eletrônicas e garantir um lugar de destaque nas ciências da computação cabendo a professores da PUC do Rio a construção duma linguagem de programação de reconhecimento mundial, a Lua. A fibra ótica foi produzida pela Unicamp/Telebras ao mesmo tempo que por uma fabrica americana marcando a cooperação do sistema Telebras com as universidades brasileiras tendo como uma das avançadas resposta a tecnologia brasileira do petróleo que o golpe ora em curso quer entregar de bandeja para os americanos junto com a tecnologia aérea produzida pela Embraer.

Instituto Oswaldo Cruz – Ciência e Saúde desde 1900 – Fiocruz
http://www.fiocruz.br/ioc/
Pesquisadores do IOC foram contemplados na Chamada Universal do CNPq. Trinta projetos receberão financiamento entre 30 e 120 mil. O IOC atua nas áreas de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação e na prestação de serviços de referência para diagnóstico de doenças infecciosas e genéticas e controle de vetores, amparado pela ação de comissões internas responsáveis por garantir os padrões de biossegurança, de qualidade e de gestão ambiental. O IOC também mantém coleções biológicas de importância nacional e internacional e forma cientistas e técnicos através da atuação na educação profissional e de pós-graduação.
Um artigo publicado na edição de fevereiro da revista The Lancet Global Health lançou a hipótese de que a infecção do vírus zika, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, pode gerar imunoproteção contra o vírus da dengue. O estudo intitulado “Does immunity after Zika vírus infection cross-protect against dengue?” foi resultado de pesquisas realizadas com pacientes infectados pelos vírus zika, dengue e chikungunya, em Salvador (BA).

Seria injusto não computar como crédito da Ditadura Militar de 1964 a criação do sistema Telebrás que foi destruído em 1998 pele entreguista FHC que também destruiu a indústria nacional do ferro contribuindo para o desastre da lama da Samarco. É preciso apenas registrar que não precisaríamos ter tido uma ditadura militar para produzir o que foi produzido inclusive às custas do que perdemos, da perseguição política, das torturas e dos assassinatos.

Delmiro Gouveia, um industrial do sertão pernambucano que poderia ter feito de Pernambuco o mais forte concorrente de São Paulo, teve sua vida ceifada pelos interesses da indústria inglesa que considerava o Brasil como sua colônia e para quem Gouveia representou um risco significativo de independência industrial. Delmiro Gouveia foi quem arquitetou e construiu um protótipo de hidrelétrica no Rio São Francisco e o que nós temos de Energia Hidrelétrica vem do que ele pensou em construir não tivesse sido morto pelos ingleses.

Amnesty International primeiro espera o leite derramar depois tenta juntar!

Oi, ,tudo bem?   Claro que não!  Afinal durante toda a campanha eleitoral eu estive criticando a Amnesty Internacional porque havia um prisioneiro político.  E a Amnesty Internacional deu de ombros.  Aparentemente a Amnesty Internacional precisa que exista um problema para que ela fature em cima do problema.  Se não houverem prisioneiros políticos às dezenas, para que mesmo existiria a Amnesty Internacional.  Então a Amnesty Internacion torceu para houvesse golpe no Brasil para que ela agora apareça como protetora dos desvalidos!  hahahahaha!
Juntos, enfrentamos o desafio de proteger os direitos humanos no Brasil? E porque não se juntou conosco para evitar o golpe?  porque não se juntou conosco para denunciar que Luís Inácio Lula da Silva é um prisioneiro político e exatamente quem tinha um caudal eleitoral que poderia enfrentar o golpe que finalmente chegou e se instalou pela via eleitoral?  Agora Amnesty Internacional chegou para juntar o leito que derramou?
O “presidente eleito” fez campanha suja, com caixa 2, criminosa, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo,  tinha uma agenda abertamente anti-direitos humanos e frequentemente fez declarações discriminatórias sobre diferentes grupos da sociedade, e Amnesty Internacional não podia ignorá-lo, Sua eleição como presidente do Brasil representa um enorme risco para os povos indígenas e quilombolas, comunidades rurais tradicionais, pessoas LGBTI, jovens negros, mulheres, ativistas e organizações da sociedade civil, caso sua retórica seja transformada em política pública”.

Agora a Amnesty Internacional tem uma razão para sua existência, ela precisava que o golpe se instalasse,  que potencialmente houvessem os problemas com os direitos humanos para que a Amnesty Internacional mostrasse que ela poderia servir para alguma coisa!  hahaha!  Um pouco tarde!  Os apolíticos, os que se omitiram nas eleições, os que se deixaram enganar pelo propagando de caixa 2 que devem agora apoiar a Amnesty Internacional para apaziguarem mutuamente suas consciências de seres apolíticos.

Vamos nessa?
A nossa mobilização já mostrou ao que veio e que tem muito poder de frear retrocessos! 
Lembra do potencial da nossa campanha Direitos Não se Liquidam no ano passado? Com nossa mobilização e de outros movimentos da sociedade civil conseguimos, por exemplo, o adiamento da votação sobre a redução da maioridade penal e a não aprovação do relatório sobre a PEC 181 de 2015, que criminaliza o aborto nos casos previstos na legislação brasileira.
Ou seja, quanto mais lutamos, mais ganhamos. 
Já estamos preparando as bases para ampliar nossa mobilização e pressão sobre as autoridades em 2019, a fim de garantir que o futuro do Brasil tenha menos retrocessos e mais justiça e liberdade. Mas precisamos do seu apoio e doação para nos fortalecermos e atuarmos juntos por nenhum direito a menos!

Vem com a gente! Some sua voz a essa luta por direitos! Mostre que você se importa com direitos humanos!

Quero doar para a Anistia Internacional

Apesar de você

Apesar de você – Chico Buarque

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu

Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro

Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal
Lá lá lá lá laiá

O caixa privado do Estado do Ceará

Outro dia me vi forçado a passar 3 horas e 10 minutos, parte do tempo em pé, esperando para fazer a “prova de vida” como aposentado do Estado do Ceará no caixa privado do Estado do Ceará, o tal do Bradesco.

Depois de algum tempo, e até porque observei que das quatro posições no balcão onde eu seria atendido, apenas duas posições estavam funcionando, dirigi-me a um dos atendentes e perguntei porque não preenchiam as outras duas posições rebendo uma resposta inútil como ficou inútil a minha reclamação. Indignado, dirigi-me em voz alta ao grupo de cerca de 50 pessoas que se encontravam na sala esperando ser atendidas e lhes perguntei se lhes parecia ser justo suportar a falta de atenção do caixa privado do Estado Ceará deixando-nos naquela espera imensa. Consegui uma sintonia e várias pessoas se manifestaram em voz alta indicando que também estavam indignadas ao que retruquei lhes pedindo que não se esquecessem se dirigir à Ouvidoria do Estado do Ceará para registrar uma reclamação contra péssimo atendimento do Caixa Privado do Estado do Ceará que ficou no lugar do nosso Banco do Estado do Ceará. Eu mesmo fiz esta reclamação junto à Ouvidoria do Estado do Ceará, mas descrente de alguma atitude também registrei uma queixa no Banco Central na Ouvidoria do Munício de Sobral, onde moro.

Em tempo observo que também dirigi-me ao gerente do Banco que adentrou o local de retorno do almoço uma hora dentro do tempo que fiquei esperando e ele me disse que nada podia fazer pois havia uma excesso de demanda que o banco não suportava e nem tinha meios para atender. Ao sair, depois de perder 3 horas e 10 minutos para apenas registrar que eu estava vivo, identificar-me permitindo que uma funcionário registrasse o fato num relatório, pedi que a funcionária registrasse na minha senha a hora do atendimento para comprovar as 3 horas de tempo perdido para fazer algo tão bobo e tão simples coisa que ela recusou dizendo que o gerente não o permitir. Voltei então a falar com o gerente que também se recusou a fazer o registro do tempo dizendo-me que não era política do Caixa Privado do Governo do Estado Ceará fazer este tipo de comprovação que, entendo, era um direito meu, e alias, é por esta razão que não perdi tempo dirigindo-me a à Ouvidoria do Bradesco uma vez que ela certamente ficaria coerente com a política do banco, e assim fiz o registro da insolência no Banco Central, na Ouvidoria do Munício de Sobral que já me respondeu dizendo-me que nada tinha o que ver com a coisa, mesmo eu sendo um cidadão de Sobral e estar sendo mal tratado por um serviço operando na cidade. Fiz o registro da reclamação na Ouvidoria do Estado do Ceará que não deu-me nenhuma resposta.

Ontem, e agora já passados 15 dias da insolência, recebi um telefonema automático do Bradesco perguntando-me se eu tinha alguma razão para estar insatisfeito com os serviços do Caixa Privado do Governo do Estado do Ceará, o Bradesco, que tomou o lugar do nosso valoroso Banco do Estado do Ceará, eu tinha a opção (1) sim (2) não tendo selecionado (1), porque estou sim, insatisfeito com a privatização do Caixa do Estado do Ceará e não consigo ver nenhuma razão pela qual o Estado do Ceará teria dado uma mãozinha para que o Bradesco ficasse mais rico às custas do cidadãos cearenses. A próxima pergunta se referia à minha ida ao Banco Central com a reclamação que tinha três opções (1) tinha ido à ouvidoria do Bradesco, sem resultado, (2) outra que não me lembro, e (3) não confiava no Bradesco que foi a opção que escolhi, e observem, o sistema automatizado de melhoria dos serviços do Caixa Privado do Estado do Ceará já tinha criado uma terceira opção bem a propósito,
desconfiança natural contra os péssimos serviços do Caixa Privado do Estado do Ceará, esta coisa chamada Bradesco.

I need you today, eu preciso de você hoje, disse Martin Luther King

I Need You, Today

Eu preciso de você hoje!

E peços desculpas por fazer um plágio, sim é uma cópia adulterada dum clamor dirigido ao povo americano de que em parte guardei trechos, até porque muitos precisam, para acreditar que devam reagir, do uso de exemplo alheio e então isto indo buscar este exemplo alheio para confundir aqueles que pensam que devem continuar de braços cruzados.

Captura_de_tela.png

When “following the law” by tearing apart families is promoted as a “biblical” value, when African Americans are twice as likely as whites to have zero (or negative) net worth, when 2.2 million Americans do not have health care because they live in a state that did not vote for Medicaid expansion; I urgently ask you to join me today in renewing your commitment to this Fellowship for peace and reconciliation.

Quando “seguir a lei” separando membros de famílias é apresentado como um valor “bíblico”, quando brasileiros de origem africana tem o dôbro da possibilidade de serem considerados como zero ou negativos comparados com os seus compatriotas ditos brancos, quando milhões de brasileiros estão sendo espoliados no mercado escravagista do trabalho ou cortados de qualquer que seja o apoio de assistência médica e isto pelo voto daqueles que eles pensam que elegeram e sob as vistas grossas dum conjunto de “juizes” quase todos envolvidos em ações corruptas, um deles é dono dum instituto jurídico mantido ilegalmente com dinheiro público e quando um jornalista ousa lhe perguntar quem pagou a viagem ele lhe dá uma resposta que apenas podemos esperar de moleques, outro é um advogado de banco e está sempre disponível para defender os interesses do banco que é cliente do seu escritório de advocacia, outro foi nomeado pelo golpe além do que é conhecido como advogado de bandidos, outra tem membros de sua família envolvidos com a GloGolpe, outro tem um património imobiliário incompatível com a soma de todos os salário que porvetura tenha recebido, e os demais são cúmplices deste, no mínimo, então como reza a Carta de Independência do país que o juizeco de Curitiba preza, “quando uma longa
cadéia de abusos e violências tendo como meta invariável o objetivo de reduzí-
la ao mais absoluto despotismo, é o seu direito, é o seu dever, derrubar um tal
governo e assim garantir novos gardiões para o seu futuro e sua segurança.”, é então o nosso dever, a nossa obrigação, o nosso direito, derrubar os canalhas enfiados no poder para instituir um novo governo que nos garanta o respeito à Constituição.

We are a grassroots movement, organizing activists across the country to engage deeply in the work of reparations, civil disobedience, and The Poor People’s Campaign. Our unique interfaith presence ensures that Buddhists, Christians, Muslims, Jews, Baha’is, and those of other faith traditions, work together toward that beloved community where differences are respected, conflicts are addressed nonviolently, and oppressive structures are dismantled.

Nós somos um movimento de base, ativistas espalhados no Brasil inteiro, infelizmente divididos em grupúsculos que sempre pensam, cada um deles, que têm uma visão mais acertada e avançada do que os outros, mas enfim aos poucos estamos nos unindo, budistas, negros, brancos, cristãos, mulsumanos, judeus, ubandistas, enfim cidadãos no berro comum pela liberdade do prisioneiro político, Luís Inácio Lula da Silva, que neste momento nos representa a nós todos até porque tem a seu favor várias conquistas libertadoras para o nosso povo que listar aqui apenas transformaria este lamento num manifesto, é o noss direito, é o nosso dever, derrubar um tal governo e assim garantir novos gardiões para o nosso futuro e pela nossa segurança, é então o nosso dever, a nossa obrigação, o nosso direito, derrubar os canalhas enfiados no poder para instituir um novo governo que nos garanta o respeito à Constituição.

In the words of Martin Luther King, Jr., “We are now faced with the fact that tomorrow is today. We are confronted with the fierce urgency of now. In this unfolding conundrum of life and history, there is such a thing as being too late. This is no time for apathy or complacency. This is a time for vigorous and positive action.”

Podemos até lembrar as palavras do pastor negro, Martin Luther King, assinados pelos país, avós, tios dos que agora se encontram no poder. Dizia MLK que o amanhã é hoje e que há uma urgência de confrontarmos a injustiça e que já não há mais tempo para apatia ou complacência. E muito menos para esperarmos sentados, apáticos, crentes por uma votação pífia que possivelmente será levada ao cenário do teatro onde mascarados dum carnaval fora de época, vestidos de mordomos de filmes de terror, desfilando em fila indiana se vão reunir para possivelmente mais uma vez nos demosntrar o escârnio que ele pensam que merecemos. Então o amanhã é hoje e que há uma urgência de confrontarmos a injustiça e que já não há mais tempo para apatia ou complacência.

I need you today

I need you today