Meus ensaios políticos

Meus contos e ensaios polítcos

Tirado da declaração da Independência (dos EUA).

A prudência, de fato, mostra que Governos estabelecidos há muito tempo
não devem ser substituidos em função de causas passageiras ou superficiais;
Mas, de acordo com o que a experiência nos mostrou,
a humanidade está mais disposta a
sofrer, a um ponto próximo do insuportável, do que se levantar para
abolir a situação a que ela se encontra acostumada.
Porém, quando uma longa
cadéia de abusos e violências tendo como meta invariável o objetivo de
reduzí-la ao mais absoluto despotismo, é o seu direito, é o seu dever,
derrubar um tal governo e assim garantir novos gardiães para o seu
futuro e sua segurança.
– Declaração da Independência (dos EUA).


Além de escrever matemática eu também faço reflexões sobre a vida que se apresentam sob formas
de contas ou crônicas. Algumas delas estão aqui, nos links abaixo para serem baixados e distribuidos
livremente.

Escrevi a minha forma de entender como nasceu o capitalismo, o
o primeiro capitalista. Agradeço ao professor Lyngnys Emmanuel de Arruda V. Saraiva a paciência
que teve para corrigir o texto. Se ainda tiverem ficado erros, são meus.

Quando pequeno ouvi de meu pai uma história sobre crianças pobres, aqui eu eu a redigi com as modificações que o tempo fez.

Uma tentativa, no meu entender errada de alterar a ociosidade nas universidades foi tentada e aqui está minha oposição ao método. Não há dúvida de que existe uma enorme ociosidade nas Universidades, uma evasão escolar significativa. A solução não é vender estas vagas, mas descobrir a razão da evasão. Descobrir talvez não, todos sabem o porque. Os nossos alunos precisam de apoio, de bolsas, de restaurante universitário, de residências universitárias, de bibliotecas, de laboratórios, de professores bem pagos, de prédios decentes. Tudo isto é oferecido aos alunos que vão para as escolas militares ou policiais. Militares e policiais são itens inúteis, precisamos de bons professores, de bons
médicos, advogados, dentistas, agrônomos, engenheiros, arquitetos, todos com a consciência social de suas profissões e não com a sensação de ao adquirir um diploma se abriram as portas do enriquecimento pessoal.

Uma secretaria de educação afirmou que a escola era faz de contas. Eu acho que os governos do Estado e o federal fazem de contas que gerenciam os recursos para o bem de todos, e a escola é o grande perdedor porque fica para trás em todos os
investimentos.

A cada semestre venho procurando fazer uma avaliação do meu trabalho docente, peço que os alunos se manifestem e contruo o documento de avaliação incluindo os meus comentários. É interessante ler o que os alunos escrevem, eles mesmo deveriam
ler o que escreveram.

O famigerado ensino profissional é uma farsa, uma enganação. Se conduz a juventude para ser mão de obra barata e se retira assim recursos importantes que deveriam ser utilizados na própria escola formal.

Um assunto grave, um problema de meio ambiente, de saúde, de higiene social é o barulho, aqui
faça uma sugestão aos jornalistas.

Em um dia 14 de Julho, foi em 1789, caiu uma prisão chamada bastilha onde estavam presos todos aqueles que são periféricos para a Sociedade ou aqueles são perigosos para os regimes. Foi na França quando, por algum tempo se tornou verdadeiro o que hoje existe apenas nas
moedas,

liberté, égalité, fraternité.

Este é um texto de Brecht, o analfabeto político, escrito na década de 40 mas terrivelmente atual e curto, são 10 linhas que dizem muita coisa.

Também sou indiscutívelmente contra a guerra, radicalmente
pacifista.

Contre la guerre – Contra la guerra – Mot Krieg

Leia a carta do irmão à irmã capitã canadense ao partir para guerra contra as
crianças no Afeganistão aqui

Read the letter of the brother to his sister, an army captain, going to the war agains
the children at Afghanistan, here

Você pode visitar os sites abaixo para ler mais sobre os que se opõem à guerra

http://www.aqoci.qc.ca/ceg/
http://www.blocktheempire.blogspot.com

You can reach the above sites to read those which oppose to the war, some of them
are (were) from the US army.

Por favor, vamos aumentar o berro contra guerra, não importa quais.
Please, lets multiply the echo against the war – no matter which one.

Kim Puch - a menina (hoje médica) em fogoKim Puch - a menina (hoje médica) em fogoKim Puch - a menina (hoje médica) em fogo

A Vale do Rio Dôce é nossa, leia a campanha do plebíscito popular aqui

Um pensamento sobre “Meus ensaios políticos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s