Abaixo-assinado contra cortes nas universidades já tem mais de 1 milhão de assinaturas

Eu assinei!

Eu também enviei mensagem ao presidente da SBMAC cobrando um posicionamento da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional contra o desmonte das Universidades brasileiras – não obtive resposta!

As sociedades científicas, SBMAC, SBM, SBEM, SBF, Academia Brasileira de Ciências estão levando um silêncio de luto, aparentemente estão dispostas a colocar a mão no suporte do caixão das Universidades Brasileiras. Estão esperando o enterro passar!

CPI da saúde em Campinas

PELA ABERTURA DE UMA CPI DA SAÚDE!O Ministério Público e a Polícia Federal investigam desvios de recursos da saúde de Campinas! Em uma operação no dia 30/11/2017, foram executados 33 mandados de apreensão e busca em sete cidades de SP, incluindo Campinas. Aqui, os mandados foram no Hospital Ouro Verde, na Prefeitura e no condomínio Alphaville. Uma pessoa foi presa no dia, apreendida até com Ferrari e BMW! ​Fernando Franco, ligado à organização da OS Vitale (gestora do Ouro Verde), foi preso! Na casa de Anésio Corat Júnior, Diretor da Secretaria de Saúde de Campinas,foram apreendidos R$ 1,2 milhões. Hoje, ele está preso. Onde há fumaça, há fogo e esse fogo está atacando as vidas de todos os usuários da saúde de Campinas! O próprio promotor do caso admitiu indícios de participação do alto escalão da Prefeitura. Tanto que o ex-Secretário de Assuntos Jurídicos Silvio Bernardin, o braço direito do Prefeito Jonas (PSB), foi preso.A saúde de Campinas vem sofrendo há anos! São falta de medicamentos, de médicos, de tempo para atender a população, de equipamentos e por aí vai. O próprio Hospital Ouro Verde vem tendo uma série de paralisações por falta de pagamentos da sua ex-administradora: a OS Vitale. A Prefeitura inclusive adiantou recursos para pagar os trabalhadores.​Isso não pode ficar assim! Precisamos exigir dos vereadores que cumpram sua função: fiscalizar o Executivo. É para isso que servem as Comissões Parlamentares de Inquérito, as famosas CPIs. Fizeram a Comissão Processante (CP), que não era a melhor ferramenta, pois ainda há muito que se investigar. A população não pode ficar na fila do SUS enquanto poucos se aproveitam para andar de Ferrari por aí. Campinas não pode mais esperar: precisamos de uma CPI da Saúde agora! Oba, sua pressão foi enviada!

Compartilhe com a sua galera pra aumentarmos nosso impacto!

Brasil já vai à guerra

Na década de 50 Juca Chaves escreveu a sua canção “Brasil já vai à guerra”. Brasil já vai à guerra, comprou porta-aviões, 82 bilhões! Um viva para a Inglaterra! Mas que ladrões!

E para que serviu o porta aviões? Você sabe? Alguém sabe para que serviu o porta-aviões? que serventia teve o Brasil gastar 82 bilhões para comprar um porta-aviões possivelmente reformado que de outra forma teria virado sucata a pesar no lixo dos ingleses!

Certamente serviu para os tenentes aviadores da FAB aprenderem a manobra em curso espaço caso contrário iriam morrer afogados quando fizessem alguma manobra militar conjunto, estas brincadeirinhas que tem um custo altíssimo e que a única utilidade que o país tem para o sistema de escoteiros públicos que mantemos a custo altíssimo.

Nem vou tentar fazer uma estimativa do imenso dinheiro que gastamos anos a fio para manter um “dispositivo” tão caro como inútil como o são as Forças Armadas até porque o número deles deve ser secreto, para nós, porque deve estar tudo em documentos escritos no word da Micro$oft e portanto vazado o segredo diretamente para a C.I.A se é que a C.I.A. mostra algum interesse pela potência das nossas Forças Armadas que afinal não tinham potência nem mesmo para invadir o Paraguai e tiveram que fazer um consórcio com os escoteiros das Argentina e do Uruguai para conseguir destruir o país irmão nosso vizinho e atender aos interesses da gang internacional que Eisenhower chamou, criando a expressão, “complexo industrial militar”. Eisenhouwer foi educado, não é um “complexo” e sim uma gang formada por egoístas com exclusiva sede de dinheiro e sangue.

Gastamos anos a fio uma montanha de dinheiro para manter um dispositivo inútil, perigoso, caro, improdutivo e cuja única serventia e ser usado pelo inimigo, a C.I.A. a cada cinquenta anos para dar um golpe em nossa democracia, ou como agora, nos fazer gastar uma montanha de dinheiro, do dinheiro que eles querem tomar dos nossos aposentados, para repetir com a Venezuela a invasão outrora feita contra contra o Paraguai e exatamente pelas mesmas razões, porque agora a Venezuela representa uma real alternativa ao capitalismo oferecendo ao seu povo desenvolvimento e se afastando do modelo rentista dominado pelo capital vadio, este mesmo que deseja se apoderar da nossa Previdência.

Entendo que foi um grave erro que cometemos na Constituinte de 88 quando poderíamos ter abolido este sistema inútil, perigoso, caro, perverso que é formado pelo que se chama de “forças armadas” e ter dado um salto avançado para o futuro separando o dinheiro inutilmente gasto com esta coisa na educação, saúde e infraestrutura de nosso país.

Se você tiver alguma fora de dimensionar o prejuízo que representa manter este sistema perverso, eu ficaria orgulhoso de incluí-la como coautora deste texto.

Como se fazem as mudanças no comando do golpe

Estou falando dum CEO duma empresa, e se aplica ao gerente atual do golpe que tem gente ainda chama de “presidente”, como “presidente”? Nem Jánio Quadros, o desajeitado, era tão escroto como esta coisa que foi desovada em Brasília. Melhor chamar de CEO, fica perfeito!

Conta-se que um CEO, (é o nome que eles dão nos meios financeiros, entre eles donos do capital vadio, CEO é o gerente geral, o Chefe do Alto Comando! hahahahahha!)

Pois é, o CEO duma grande empresa, enfrentando dificuldades crescentes no conselho diretor devido às estatísticas mais e mais frequentes de queda do rendimento da empresa, resolveu fazer uma reunião com o cara
que deveria substituí-lo, a cara na sequência de comando, coisa bem do tipo dos comandos militares como é agora o caso do governo no Brasil em tempos de ditadura! Hahahahahahaha!

O CEO geral, em seu último dia de serviço, tem a última conversa com
seu sucessor e nesta ocasião lhe passa três envelopes lhe dizendo:

  • “O meu antecessor, antes de sair, me passou três envelopes lacrados e
    desejo continuar a tradição fazendo o mesmo consigo.
  • Ao primeiro sinal de dificuldades: abra o primeiro envelope.
  • Ante novas dificuldades, abra o segundo envelope.
  • Se os problemas continuarem, abra, então, o terceiro envelope.

Boa sorte!, disse o CEO se despedindo, sorridente, apertou a mão do novo CEO e foi para casa, aposentado, claro, com uma gorda aposentadoria típica dos membros do STF ou do Altíssimo Comando Militar todas devidamente protegidas contra a Deforma da Previdência que afinal eles fizeram o golpe para isto mesmo.

Mas, desculpe-me, e deixe-me continuar a história como novíssimo CEO

O novo CEO arrumou a mesa, deixou tudo a seu gosto no escritório que até então era do outro, e jogou os três envelopes numa gaveta, até pensando que nunca ia ter mesmo problemas, afinal o velho CEO estava velho e tinha mesmo que dar problemas. Ele era novo!

Seis meses depois, os custos aumentaram e as entradas cairão e novo CEO, perturbado, lembrou-se dos envelopes e abriu o primeiro onde havia uma curta mensagem:

-“Culpe-me por tudo!”

No dia seguinte o CEO chamou uma conferência de imprensa e fez
exatamente o que dizia a mensagem. Lembram-se das primeiras falas do Vampirão ou do seu sucessor dentro da linha do golpe? A culpa é do PT!

Passados seis meses as vendas cairão vertiginosamente e, atrapalhado, o CEO abriu o segundo envelope onde estava:

-“Reorganize!”

O CEO novamente organizou uma rodada de imprensa e anunciou uma reestruturação dos setores e a crise passou.

Passado um ano nova crise, tudo começou a ir errado novamente e o CEO se trancou no seu escritório e abriu o terceiro envelope:

-“Prepare três envelopes!”

Enganei-me, estava:

-“Bozo, Prepare três envelopes! e faça uma reunião com o Altíssimo Comando das Forças Armadas!” hahahahaha! Alternativa, solte o Lula que ele acaba com esta bagunça em 48 horas!

A bem da verdade, esta história faz parte dum banco de pequenas histórias controladas por um programa chamado fortune que usualmente vem instalado nas distribuições Linux.

Depois bata digitar num terminal, certo, quem usa Linux sabe usar terminal, hahahahahaha!

“fortune -a”

Por exemplo, digitei o comando e me saiu:

[La guerra] é istintiva. Ma l’istinto si puo’ combattere. Noi siamo
esseri umani con il sangue di un milione di anni di barbarie nelle mani!
Ma noi possiamo fermarlo. Possiamo ammettere che siamo assassini… ma
non uccideremo oggi. E’ questo che serve! Sapere che non uccideremo
oggi!
— Kirk, “A Taste of Armageddon” (TOS), data astrale 3193.0

e novamente,

Pubblicare un volume di versi é come lasciar cadere un petalo di rosa
nel Grand Canyon e aspettarne l’eco.

Divirta-se, instale Linux, trabalhe, se divirta e cresça em inteligência que nunca cairá dentro do Alto Comando das Forças Armadas hahahahahaha!

E para terminar eu digitei o comando de novo, se você entender vai morrer de rir! Se não entender é porque não usa Linux, hahahahahaha! Alias dizem que, no formato binário, tem 10 tipos de pessoas as que sabem o que é computador e usam Linux e as outras, os militares!

I get the following error messages at bootup, could anyone tell me
what they mean?
fcntl_seteal() Caledônia bá processá 51 (LPP) Zika brotense floque() emulativo

They mean that you have not read the documentation when upgrading the
kernel.
— seen on c.o.l.misc

Sugestão, não tente dar um upgrade no kernel, é melhor fazer um upgrade na distribuição, é mais fácil, mais rápido, mais seguro e afinal, você usando Linux, não lhe vai custar nada! Depois se for preciso ajustar o kernel, isto será feito automática dentro do upgrade da distribuição. Tudo seguro e limpo! Use Linux, se divirta, evolua e fique certo de que não corre riscos de cair dentro do Alto Comando das Forças Armadas hahahahahaha!

A bem da verdade, esta história faz parte dum banco de pequenas histórias controladas por um programa chamado fortune que usualmente vem instalado nas distribuições Linux. Se não estiver, e se você estiver usando uma distribuição baseada no Debian, digite

sudo apt-get install fortune

e siga as instruções como nos 3 envelopes!

Ditadores e suas vergonhosas sinas.

Salazar, até morrer, em 1970, continuou a receber visitas como se fosse ainda Presidente do Conselho, nunca manifestando sequer a suspeita de que já o não era − no que não era contrariado pelos que o rodeavam. Mas ainda não foi julgado, como merece, pelos crimes que cometeu contra a Humanidade.

Franco escapou ileso dos seus crimes contra a Humanidade porque enfiou um reinado no rabo dos espanhois que se ocupou de protegê-lo e
deixar morrer sem julgamento. Ainda não foi julgado, como merece,
pelos crimes que cometeu contra a Humanidade.

Pinochet conseguiu manter-se como o mais alto responsável pelas Forças Armadas do país, até Março de 1998, altura em que passou a ocupar o cargo, por ele criado, de senador vitalício no Congresso chileno, ao qual renunciou em virtude dos problemas de saúde e das diversas acusações de violações aos direitos humanos. Seus últimos anos não foram fáceis, viajou para Inglaterra mas não pode passeiar e fazer compras nas lojas de Londres porque um pedido internacional de prisão foi lançado contra ele fazendo com o que democrático governo inglês o mantivesse protegido sob prisão domiciliar enquanto conseguiram que a justiça levantasse o pedido de prisão e assim, depois de quase 500 dias ele retornou ao Chile sem grandes benefícios para o passeio e terminou morrendo sob prisão domiciliar, mas ainda não foi julgado, como merece, pelos crimes que cometeu contra a Humanidade.

Somoza morreu assassinado por um opositor da ditadura. Em 1955, a constituição foi modificada para permitir que ele pudesse concorrer a um novo mandato. Pouco depois de ser nomeado, foi atingido por um tiro no peito, em 21 de Setembro de 1956, disparado pelo poeta Rigoberto López Pérez na cidade de León, e morreu dias após ser removido para um hospital na Zona do canal do Panamá. Seu filho mais velho, Luis Somoza, o sucedeu. Mas não foi julgado, como merece, pelos crimes que cometeeu contra a Humanidade.

Ferdinando Marcos ditador das Filipinas, em 1986, foi declarado oficialmente vencedor das eleições, mas suspeitou-se a nível nacional e internacional de fraude eleitoral maciça, tendo-se o exército, então, dividido e Marcos fugido para o Havaí (já no curso da chamada Revolução de Edsa ou Revolução do Poder Popular[1] ) subindo ao poder Corazón Aquino, a viúva de Benigno Aquino, um dos seus grandes opositores. Mas não foi julgado, como merece, pelos crimes que cometeu contra a Humanidade, entretanto terminou os seus dias exilado numa pequena colônia americana, Havai, uma vez que o governo americano não podia admitir a sua presença no território continental.

Castelo Branco o golpista de 1º de abril de 1964, cujo ministro da Guerra de Castello Branco, e seu futuro sucessor, Costa e Silva, pertencia à chamada “linha dura”, mais ligada aos serviços de inteligência dos Estados Unidos, de quem recebia orientações e fundos. Morreu, logo após deixar o poder, em um acidente aéreo (mal explicado pelos inquéritos militares) ocorrido em 18 de julho de 1967: um avião Lockheed T-33 da Força Aérea Brasileira teria atingido a cauda do avião Piper PA-23 Aztec no qual Castelo Branco viajava, o que fez com que o Piper caísse.[23][24][25] O corpo do Marechal Castelo Branco foi sepultado no cemitério São João Batista na cidade do Rio de Janeiro, onde ficou até 1972, quando transferido ao Monumento-Mausoléu Castelo Branco (Fortaleza). Ele e os outros ditadores que o sucederam ainda não foram julgados, como merecem, pelos crimes que cometeram contra a Humanidade.

Videla passou apenas cinco anos na prisão. Em 1990, o então presidente Carlos Saúl Menem fez uso da faculdade presidencial do indulto para ditar sua libertação, junto com a de outros membros de juntas militares e chefes da polícia da Província de Buenos Aires e do dirigente montonero Mario Eduardo Firmenich, através dos decretos 2741/90 e 2742/90. Menem argumentou ser necessário “superar os conflitos passados” para justificar sua atitude. Em 1998, Videla regressou à prisão, por curto período, pois um juiz determinara que as questões de subtração de menores durante a chamada Guerra Suja constituíam crimes de lesa humanidade, sendo, portanto, imprescritíveis. O ex-presidente passou 38 dias na Prisão de Caseros até que lhe foi concedido o direito à prisão domiciliar, em atenção à sua idade. Este foi um dos criminosos contra a Humanidade que foi julgado e condenado como em algum momento todos os demais também o serão.

Porque me ufano do meu país

Edgard Venant

E dedico este pequeno trabalho ao prisioneiro político, Luís Inácio Lula da Silva que liderou este país conduzindo para ser o Grande Brasil respeitado por todas as nações a ponto de ser o “B” do BRICS coisa que nunca tinha acontecido antes. Lula se se encontra encarcerado em Curitiba principalmente devido à covardia e a corrupção instalada no judiciário brasileiro. Covardia, uma vez que não precisavam aceitar que militares antipatriotas viessem ditar-lhes as regras políticas do judiciário e bastava mesmo dizer um “não” altaneiro e os milicos teriam enfiado o rabo entre as pernas porque eles somente tem coragem quando encontram covardes pela frente.

Comecei a escrever este texto que não quero que seja meu e que vou colocá-lo em público na esperança que outros se juntem a mim na busca das razões porque lutamos por aquilo que chamamos de pátria livre e que no meu entender não pode representar um patriotismo enrustido dum tipo que até permite a traição dos ideais que todos buscamos entre os quais tem que se encontrar a solidariedade entre os povos. Não é bem um texto, é um registro que mostra que nossa história podia ser outra se algum dos valentes aqui mencionados fosse seguido por todos nós. E fica aberto, que o peguem, o corrijam, o alterem, acrescentem aqui de que me esqueci ou não sei.

O título me veio do texto de Afonso Celso de Assis Figueiredo Júnior
http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/download/4869/3279
que era um texto habitual nas escolas quando eu era menino e aprendiamos a respeitar a terra Brasilis.

Porque há 500 anos atrás o brasileiro que aqui vivia ficou sabendo que visitantes em grandes canoas se aproximaram da terra brasileira que então se chamava Pindorama e era um grande espaço ocupado por diversas nações que falam linguás distintas entre as quais duas linguás eram as mais importantes o Tupi e o Guarani, e não tenho nem mesmo certeza disto porque nunca estudei na Escola as origens do meu povo. A família linguística tupi-guarani é uma das mais importantes da América do Sul. Engloba várias línguas indígenas, das quais a mais representativa atualmente é o guarani, um dos idiomas oficiais do Paraguai. E um único presidente do Brasil se preocupou com os primeiros povos e até lhes fez visitas e alterou seu plano de governo para incluí-los como o centro da brasilidade, Vargas, durante o a ditadura.

Mas sei que num certo momento algumas nações que aqui viviam souberam dos visitantes e se dirigiram à praia mas cordial mene recebê-los e seguindo uma tradição que até hoje persiste em alguns rincões deste enorme Brasil, lhe trouxeram aos visitantes presentes para lhes dizerem que eram bem vindos.

E me orgulho dos meus antepassados que receberam cordialmente os visitantes para apenas descobrir logo depois que não eram visitantes e sim invasores e eram covardes e desumanos e traidores. Que em troca da cordial recepção aos poucos se assenhorearam do que não lhes pertencia e sim a outrem que aqui vivia tomando-lhes a liberdade e fazendo deles escravos e tudo isto em nome dum deus que consigo traziam e que lhes permitia o desrespeito de suas próprias regras uma das quais eram amar ao próximo como si próprio.

E se passaram 500 anos, e aqueles a quem tudo pertencia da terra brasileira, hoje restam poucos e ainda têm que lutar e reclamar para ter o direito reconhecido a pequenos rincões de terra que antes era toda deles.

E assim se passaram 500 anos em que, primeiro, os assim chamados reis de Portugal roubaram, rapinaram, extorquiram, vandalizaram a terra brasileira e os seus primeiros moradores e como uma vez disse o poeta português Guerra Junqueiro, roubaram a terra brasileira e nem mesmo parte significativa deste roubo ficou com os portugueses mas com um espirito de cachorro vira-latas que ainda hoje marca a pequena minoria que tudo explora, repassaram para os ingleses tudo que do Brasil haviam roubado. Mesmo se tendo passado 500 anos de roubalheira e rapinagem, foi possível em pequeno período em que tivemos um governo voltado para nossa gente, sairmos da vergonhosa posição de 16ª economia mundial para a 6ª deixando para trás um dos invasores, os ingleses. Com isto mostramos que somos um povo forte, decidido, corajoso, trabalhador e com fé em nosso próprio poder.

E temos ao longo destes 500 anos de história depois da invasão, até mesmo, injustamente, esquecendo que antes do ano 1500 já tenhamos uma história que simplesmente nunca nos foi contada possivelmente até para que não reclamássemos a historia anterior à invasão como parte de nossa história e que acreditássemos que tudo haveria começado na invasão em 1500, mas mesmo olhando apenas para esta história que nos dizem registrada após a invasão, temos muito do que nos ufanar e orgulhar desta miscelânea formada dos primeiros povos, do africano que foi trazido para cá à força e submetido à escravidão, e dos portugueses que em grande parte eram trabalhadores que miscigenados formaram a cidadania brasileira. Deles sairão Antônio Conselheiro, Tiradentes ou Índio Mameluco todos lutadores, cada um à sua maneira, como Lampião, os os milhares de heróis mais recentes que se rebelaram contra a ditadura militar de 1964. É uma nação de heróis, de mulheres e homens cheios de ideais conscientes que eram membros duma nação heroica plantada numa Terra cheia de riquezas rodeadas duma Natureza retumbante que durante estes 500 anos apenas foi roubada, saqueada e ainda assim continua rica e desejada por novos e recentes invasores, pior, com o apoio dos anti-heroicos, os traidores que aceitam pequenas gorjetas em troca de prostituir a pátria e a sua gente.

Mesmo que representa uma injustiça contra os milhões de anônimos que fazem, que fizeram a nação brasileira, é interessante nomear alguns que brilharam muito além dos outros. E vou mencioná-los sem nenhuma ordem especial até porque a História que nos contaram não precisa ser a História em que desejamos acreditar. E nesta desordem vou começar por um militar que certamente se envergonharia dos que hoje sujam a farda do exército brasileiro com o sujo golpe iniciado em 2012 em reuniões que aconteceram fora do Brasil mas que desembocaram na destituição da primeira mulher presidente deste país. Quero lembrar o sertanista e indianista que foi o Marechal Cândido Rondón que gastou parte significativa de sua vida na defesa dos primeiros povos a quem respeitou, protegeu e por quem lutou. Era um militar desses por quem se deve ter respeito e veneração. Cândido Mariano da Silva Rondon, mais conhecido como Marechal Rondon, foi um militar e sertanista brasileiro. Patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro. De origem indígena por parte de seus bisavós maternos (Bororó e Terena) e bisavó paterna (Guará), Rondon tornou-se órfão precocemente, tendo sido criado pelo tio e, depois de sua morte, transferiu-se para o Rio de Janeiro para ingressar na Escola Militar desta cidade,[1] pois além dos estudos serem gratuitos, os alunos da escola recebiam, desde que assentassem praça, soldo de sargento.
Alistou-se no 3º Regimento de Artilharia a Cavalo em 1881. Dentre outros estudos, cursou Matemática e Ciências Físicas e Naturais da Escola Superior.

Ou então o sertanista que teve se educou em escola militar e de certa forma foi um militar e escritor brasileiro o autor da obra monumental “Os Sertões”, Euclides da Cunha e que fez pouco frente ao que poderia ter feito não tivesse morrido em vão ainda jovem.

Como sou Matemático, estudei nos livros de Sinésio de Fárias,
Ary Quintella, Manoel Jairo Bezerra, Darcy Leal de Menezes este autor de monumental obra que era o nosso maior susto pela quantidade de expressões algébricas que ele conseguiu juntar em seu então famoso Abecedário da álgebra – “Ciclo Colegial – Livro Premiado Pelo Exército Brasileiro”. Todos militares com exceção de Manoel Jairo Bezerra, que foi, entretanto, professor do Colégio Naval do Rio de Janeiro e de outras instituições de ensino dos militares. Embora a Matemática que eles tenham produzido fosse de certa forma repetição da existente na Europa e que eles mesmo tenha agregado pouco ou quase nada de novo, eles representaram o começo da Matemática Brasileira que hoje brilha e conseguiu brilhar num período relativamente curto de existência própria e sem dúvida deve a estes mestres da Matemática básica o alicerce daquilo que foi construído depois porque eles começaram. E foram militares de que nos orgulhamos, nenhum deles é um golpista, nenhum deles é um traidor da pátria e pelo contrario contribuirão para que nós crescemos.

João Guimarães Rosa nasceu em Cordisburgo, Minas Gerais, no dia 27 de junho de 1908.
Foi Oficial Médico do 9º Batalhão de Infantaria, quando em 1934, ingressa para a carreira diplomática, no Itamaraty.
Guimarães Rosa foi Patrono da cadeira nº 2 na Academia Brasileira de Letras, tomando posse três dias antes de morrer, no dia 16 de novembro de 1967.

Na literatura temos nomes de respeito internacional e citar alguns seria injustiça que eu cite um que foi um mestiço, que nunca teve instrução formal mas que deslumbrou meio mundo com os romances que escreveu e cujo nome marca a Academia Brasileira de Letras que nem sempre se tem mostrado merecedora do nome que ostenta, a Casa de Machado de Assis.

Seria injusto não lembrar Prestes também oriundo do exército ou Lamarca, este último um herói entre os que resistiram ao golpe de 1964 promovido pelo famigerado projeto Condor americano e que nos atrazou por dezenas de anos deixando ainda as raízes que vicejaram agora com este novo golpe.

Antes lembrei militares e agora quero lembrar os que marcaram etapas na vida brasileira, alguns mesmo vivendo fora do Brasil como Santos Dumont, ou o nosso primeiro matemático merecendo este nome, o maranhense Souzinha. O Maranhão, antes de ser dizimado por um dos filhotes da ditadura de 1964, produziu figuras imensas da literatura brasileira e aliás, durante muito tempo era considerado o berço da linguá portuguesa, o local, no Brasil, onde melhor se falava o português. Humberto de Campos era um maranhense e como ele muitos outros maranhenses brilharam nas letras.

Da Bahia, onde primeiro aportaram os invasores sairão diversas sumidades dentre elas o jurista Ruy Barbosa que já antevia a catástrofe ética em que um dia iriamos nos encerrar. Ruy Barbosa de Oliveira (Salvador, 5 de novembro de 1849 — Petrópolis, 1 de março de 1923) foi um polímata brasileiro, tendo se destacado principalmente como jurista, advogado, político, diplomata, escritor, filólogo, jornalista, tradutor e orador.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ruy_Barbosa

O trono no Brasil foi derrubado por um golpe militar que alijou do poder um dos reis mais corretos que a história da realeza registra. Pessoalmente detesto a “realeza” que considero uma infâmia, aliás, infâmia esta cuidadosamente corroborada por todas as realezas vigentes no Mundo. Mas Pedro II introduziu no Brasil a telefonia e neste sentido parece que o Brasil foi o primeiro país do mundo a usar telefones. Como também foi, muito tempo depois, o primeiro país fazer eleições totalmente eletrônicas e garantir um lugar de destaque nas ciências da computação cabendo a professores da PUC do Rio a construção duma linguagem de programação de reconhecimento mundial, a Lua. A fibra ótica foi produzida pela Unicamp/Telebras ao mesmo tempo que por uma fabrica americana marcando a cooperação do sistema Telebras com as universidades brasileiras tendo como uma das avançadas resposta a tecnologia brasileira do petróleo que o golpe ora em curso quer entregar de bandeja para os americanos junto com a tecnologia aérea produzida pela Embraer.

Instituto Oswaldo Cruz – Ciência e Saúde desde 1900 – Fiocruz
http://www.fiocruz.br/ioc/
Pesquisadores do IOC foram contemplados na Chamada Universal do CNPq. Trinta projetos receberão financiamento entre 30 e 120 mil. O IOC atua nas áreas de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação e na prestação de serviços de referência para diagnóstico de doenças infecciosas e genéticas e controle de vetores, amparado pela ação de comissões internas responsáveis por garantir os padrões de biossegurança, de qualidade e de gestão ambiental. O IOC também mantém coleções biológicas de importância nacional e internacional e forma cientistas e técnicos através da atuação na educação profissional e de pós-graduação.
Um artigo publicado na edição de fevereiro da revista The Lancet Global Health lançou a hipótese de que a infecção do vírus zika, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, pode gerar imunoproteção contra o vírus da dengue. O estudo intitulado “Does immunity after Zika vírus infection cross-protect against dengue?” foi resultado de pesquisas realizadas com pacientes infectados pelos vírus zika, dengue e chikungunya, em Salvador (BA).

Seria injusto não computar como crédito da Ditadura Militar de 1964 a criação do sistema Telebrás que foi destruído em 1998 pele entreguista FHC que também destruiu a indústria nacional do ferro contribuindo para o desastre da lama da Samarco. É preciso apenas registrar que não precisaríamos ter tido uma ditadura militar para produzir o que foi produzido inclusive às custas do que perdemos, da perseguição política, das torturas e dos assassinatos.

Delmiro Gouveia, um industrial do sertão pernambucano que poderia ter feito de Pernambuco o mais forte concorrente de São Paulo, teve sua vida ceifada pelos interesses da indústria inglesa que considerava o Brasil como sua colônia e para quem Gouveia representou um risco significativo de independência industrial. Delmiro Gouveia foi quem arquitetou e construiu um protótipo de hidrelétrica no Rio São Francisco e o que nós temos de Energia Hidrelétrica vem do que ele pensou em construir não tivesse sido morto pelos ingleses.