Em defesa das Universidades Públicas Brasileiras

As Universidades Federais estão sob forte ataque do governo. As Universidades Públicas brasileiras são responsáveis pela quase totalidade, por mais de 90% de toda a pesquisa científica que se faz no país em todas as áreas: da filosofia à medicina, das artes às engenharias. Não há instituição que tenha contribuído de modo equivalente para o progresso do país. As universidades são os grandes produtores de conhecimento e, portanto, responsáveis por grande parte de nosso crescimento econômico ao longo de nossa história.

Mais ainda, elas estão atreladas ao processo de democratização do país. Não há país democrático e soberano sem a universalização do conhecimento. Nossas Universidades têm um compromisso inquestionável com a construção de um Brasil mais justo, mais humano, mais livre e mais igualitário. E do equilíbrio entre liberdade e igualdade depende a democracia. As universidades são ainda mais vitais em uma sociedade do conhecimento, isto é, em que o conhecimento é o grande motor da economia. 

Não podemos dizer que essa atitude do governo, de cortar sem justificativa 30% dos orçamentos já aprovados das Universidades, seja surpresa. Afinal, desde o início, e mesmo durante a campanha, o governo Bolsonaro tem demonstrado uma forte visão anti-intelectualista, contrária à ciência e à cultura, à democracia. Eleger a Universidade como grande inimiga não é, portanto, algo inesperado.

O ataque do governo teve início com o corte do orçamento de três universidades: Universidade Federal da Bahia, a Universidade de Brasília e a Universidade Federal Fluminense. O governo se utilizou de dois argumentos falsos, mentirosos.  O primeiro, que nossas Universidades possuem um rendimento insatisfatório, o que é desmentido por vários instrumentos de avaliação de desempenho, inclusive do próprio governo. O segundo, que elas são espaço de balbúrdia, ou seja, eles querem impor o seu código moral, quando não foram eleitos para isso. Ora, quem verdadeiramente frequenta as universidades sabe que elas são lugares de estudo, pesquisa, trabalho. Há evidentemente espaço para a crítica social e mesmo para a irreverência, dimensões importantes da vida democrática. Porque os cortes, se restrito à três Universidades, caracterizariam perseguição e portanto improbidade administrativa, o governo recuou atirando e universalizou a medida, estendendo-a a todas as Universidades Federais, bem como aos Institutos Federais

O Sistema Federal de Universidades é um patrimônio da sociedade brasileira. Ele precisa ser defendido, de todas as maneiras possíveis. Assim, considere assinar e compartilhar. Não vamos deixar que esse governo acabe com as nossas universidades e institutos federais. Afinal, ele teve a maioria dos votos, mas não representa a maioria dos eleitores. O destino de nossa democracia passa pelo destino de nossas Universidades.  Vamos lutar por elas. Vamos pressionar o Congresso Nacinal para que, conosco, ponhamos um fim a este ataque brutal que é absolutamente contrário aos interesses da sociedade brasileira.

Abaixo-assinado contra cortes nas universidades já tem mais de 1 milhão de assinaturas

Eu assinei!

Eu também enviei mensagem ao presidente da SBMAC cobrando um posicionamento da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional contra o desmonte das Universidades brasileiras – não obtive resposta!

As sociedades científicas, SBMAC, SBM, SBEM, SBF, Academia Brasileira de Ciências estão levando um silêncio de luto, aparentemente estão dispostas a colocar a mão no suporte do caixão das Universidades Brasileiras. Estão esperando o enterro passar!

Estou aterrorizado com o silêncio cúmplice das Sociedades Científicas antes o desmonte das universidades

Dirigi ao presidente da SBMAC esta mensagem manifestando a minha preocupação com o silêncio que entendo que é cúmplice ante o desmonte que é proposto das Universidades.

Acho que o CRUB também está mantendo um silêncio cúmplice e é sabido que quando se baixa a cabeça os fascistas aproveitam para avançar.

Sr. Presidente da SBMAC
É com uma grande preocupação que vejo a SBMAC se manter silenciosa frente ao desmonte que está sendo proposta da Universidade Brasileira e do sistema científico cultural que representam as Universidades, a CAPES e o CNPq pelo indivíduo que ocupa a Presidência da República.  O boletim que acabo de receber não faz nenhuma menção a uma atitude que tenha sido tomada pela nossa associação científica antes as tendências aterrorizantes que se propõem para a Universidade Brasileira e para o universo cultural que nós criamos a duras penas e que agora podem ser destruídos em muito pouco tempo.

Sugere uma atitude de cumplicidade que me deixa abismado.
A SBPC se manifestou de forma muito fraca, praticamente um gemido de dor ante a violência em curso da SBMAC não vi nada.
Atenciosamente,
Tarcisio Praciano Pereira

Maria was arrested on 29 March, the second time in a matter of weeks.

UPDATE 02/04/19: Maria was arrested on 29 March, the second time in a matter of weeks. Maria now faces 7 court cases, while Rappler, its directors and staff, face 11. These prosecutions are part of a campaign to silence critics of the Philippine government. Take action now and call on the Department of Justice to drop the charges, and put an end to politically-motivated prosecutions

Maria Ressa has helped to expose thousands of murders committed as a result of President Rodrigo Duterte’s “war on drugs” in the Philippines. She is now facing politically-motivated charges as authorities attempt to scare her into silence.

Since President Duterte came into power in 2016, thousands of poor and marginalised people have been murdered by police and others in extrajudicial killings. Maria and her team at the media outlet Rappler have been tireless in their efforts to investigate and expose this campaign of violence, intimidation and repression — even risking their own safety and freedom to do so.

In February 2018, Maria was banned by Duterte himself from attending press briefings at the presidential palace. In December, Maria and Rappler were targeted with “tax evasion” charges and had their company registration revoked in a blatant attack on free press in the country. They were later cleared of wrongdoing by the Court of Appeals, but the harassment didn’t end there.

In February 2019, Maria was arrested and detained overnight on “cyber-libel” charges. She has since been released after posting bail but the charges still stand. Maria says this is an “abuse of power” and “weaponization of the law”.

The ongoing harassment and arrest of Maria is a disturbing attempt to silence independent journalism in the Philippines. Please join us in calling for the Department of Justice to drop the charges against Maria and put an end to politically-motivated prosecutions.

A fórmula de Euler

A fórmula de Euler nada mais é do que uma descrição do círculo
trigonométrico que foi notável na época em que foi descoberta
porque o circulo trigonométreico é um subgrupo multiplicativo do grupo multiplicativo dos complexos sem o zero e a teoria
dos grupos ainda não havia sido inventada. Isto faz da fórmula de Euler uma invenção magnífica.

Euler escreveu uma fórmula e eu não sei a história de como ele a
obteve e vou seguir da conhecida fórmula e certamente inventar uma história para inseri-la no contexto. Oxalá algum crítico corrija a minha maneira de ver e recomponha a a parte histórica que vou deixar de lado. A magnífica fórmula é

e^{i\alpha} = \cos(\alpha) + i \sin(\alpha) \rightarrow  e^{i\pi} + 1 = 0;

Escrevendo o número complexo desta equação
como um par de número se tem um ponto sobre o círculo trigonométrico como
consequência da fórmula fundamental da trigonometria. Mas à esquerda
na equação se encontra uma
operação de exponenciação envolvendo o
número de Néper o que torna a fórmula de
Euler realmente intrigante.

Vou terminar este artigo com o cálculo da derivada das funções \sin, \cos
que no meu entender justificam uma reengenharia do Cálculo tarefa em que
estou atualmente empenhado. Confira a seguinte sucessão de equações com
os comentários que farei em seguida:

h(t) = e^{it} = (\cos(t) + i\sin(t)) \approx (\cos(t) , \sin(t))

h'(t) = ie^{it} = i(\cos(t) + i\sin(t)) = (-\sin(t) + i\cos(t)) =
= (-\sin(t) , \cos(t));

\frac{d \cos(t)}{dt} =  -\sin(t); \frac{d \sin(t)}{dt} =  \cos(t);

Obtive assim com uma simples comparação entre vetores
a derivada das funções \sin, \cos de uma forma limpa e rápida e sem os
artifícios cabulosos com que consegue calcular estas derivadas na maioria
dos livros de Cálculo.

Confira http://www.sobralmatematica.org/preprints/2019/preprint_2019_05.pdf

Amnesty International survive from suffereing of other people

Amnesty International​ needs people suffering so to move hearts and get donations so it can follow living.

Lula is a political prisoner which has made 30 millions Brazilian free from hunger and has elevated Brazil to 6th position in the world economy and this is not interesting for ​Amnesty International​ that Lula be free, it is better that he stays in prison in conditions that more people stay in suffering otherwise ​Amnesty International​ will lost its living reason. The same with Marielle, it is better that Lula stay behind bars so that Marielle crime stay covered and that more people be assassinated which will give reason for ​Amnesty International​ moves.

Amnesty International suvive from suffereing of other people.

Amnesty International vive de sofrimentos.

Ela precisa que exista gente sofrendo para mover corações a fazer-lhe doações para que ela continue existindo.

Lula é um prisioneiro político porque libertou 30 milhões de brasileiros da fome e elevou o Brasil à 6ª posição na economia mundial, então não interessa à
Amnesty International que Lula seja livre, é melhor que ele fique preso para que haja gente sofrendo, para que o crime contra Marielle não seja desvendado
e até para que mais gente morra como Marielle o que permitirá mais ações de manutenção da Amnesty International.

Amnesty International sobrevive de sofrimentos.

CPI da saúde em Campinas

PELA ABERTURA DE UMA CPI DA SAÚDE!O Ministério Público e a Polícia Federal investigam desvios de recursos da saúde de Campinas! Em uma operação no dia 30/11/2017, foram executados 33 mandados de apreensão e busca em sete cidades de SP, incluindo Campinas. Aqui, os mandados foram no Hospital Ouro Verde, na Prefeitura e no condomínio Alphaville. Uma pessoa foi presa no dia, apreendida até com Ferrari e BMW! ​Fernando Franco, ligado à organização da OS Vitale (gestora do Ouro Verde), foi preso! Na casa de Anésio Corat Júnior, Diretor da Secretaria de Saúde de Campinas,foram apreendidos R$ 1,2 milhões. Hoje, ele está preso. Onde há fumaça, há fogo e esse fogo está atacando as vidas de todos os usuários da saúde de Campinas! O próprio promotor do caso admitiu indícios de participação do alto escalão da Prefeitura. Tanto que o ex-Secretário de Assuntos Jurídicos Silvio Bernardin, o braço direito do Prefeito Jonas (PSB), foi preso.A saúde de Campinas vem sofrendo há anos! São falta de medicamentos, de médicos, de tempo para atender a população, de equipamentos e por aí vai. O próprio Hospital Ouro Verde vem tendo uma série de paralisações por falta de pagamentos da sua ex-administradora: a OS Vitale. A Prefeitura inclusive adiantou recursos para pagar os trabalhadores.​Isso não pode ficar assim! Precisamos exigir dos vereadores que cumpram sua função: fiscalizar o Executivo. É para isso que servem as Comissões Parlamentares de Inquérito, as famosas CPIs. Fizeram a Comissão Processante (CP), que não era a melhor ferramenta, pois ainda há muito que se investigar. A população não pode ficar na fila do SUS enquanto poucos se aproveitam para andar de Ferrari por aí. Campinas não pode mais esperar: precisamos de uma CPI da Saúde agora! Oba, sua pressão foi enviada!

Compartilhe com a sua galera pra aumentarmos nosso impacto!